Serie A

Roma segue sua epopeia para ir à Champions, afinal sonhar não custa nada

Melhor após a saída de Mourinho, a Roma viaja para encarar o Monza, em ótima fase e que passou fevereiro sem perder na Serie A

Dois times que vivem fases recentes excelentes na Serie A se encontram neste sábado, cada qual com sua ambição. Dono da casa para partida de hoje, o Monza é um dos times estacionados no meio da tabela do Campeonato Italiano, e isso não é nada ruim, afinal evitar a queda para a segunda divisão era o objetivo principal da temporada. E como visitante teremos a Roma, que após um período de muita instabilidade que culminou com a demissão de José Mourinho, parece ter se encontrado sob o comando de Daniele de Rossi e, além de ter se classificado às oitavas de final da Liga Europa, segue mirando uma vaga na Champions League através da Serie A.

A situação da Roma para conseguir o acesso à principal competição de clubes da Europa não é nada simples, é bem verdade, mas já beirou o impossível e, por isso, os romanistas estão otimistas. São quatro pontos que separam o clube da capital da Itália do Bologna, equipe que abre o G4 da Serie A e tem 48 pontos conquistados, além de uma série impecável de cinco vitórias seguidas. Ou seja, a Roma não se pode mais dar ao luxo de desperdiçar qualquer ponto que seja, fazendo da vitória contra o Monza um resultado essencial.

Mas o Monza não tem sido clube de dar mole para nenhum time, nem ao menos os considerados grandes. Sinal disso é o resultado da antepenúltima rodada, quando recebeu o Milan e enfiou um sonoro 4 a 2 nos rossoneri, que estão disputando no alto da tabela da Serie A. O ataque do Monza não é lá dos mais chamativos e nem a defesa está entre as menos vazadas do Campeonato Italiano, mas a arrancada de jogos sem perder em fevereiro deu gás para o time subir na tabela ao alcançar nove vitórias, nove empates e oito derrotas no certame — equilibrado, para dizer o mínimo.

Como a Roma chega para o jogo contra o Monza

Jogar fora de casa não tem sido uma missão nada fácil para a Roma na atual edição da Serie A e é um dos pontos que Daniele de Rossi mais tem de dar atenção se quiser levar a equipe à Champions League. Até o momento, foram 12 partidas disputadas longe da capital da Itália, com quatro vitórias, dois empates e seis derrotas. Ou seja, os romanistas simplesmente perderam metade dos jogos que fizeram fora de casa na temporada, o que explica muito o porquê de o time não estar no G4.

Para a partida contra o Monza, a esperança em reverter esse mau desempenho longe do estádio Olímpico reside praticamente toda nos pés de Paulo Dybala. O atacante argentino fez três gols na vitória por 3 a 2 sobre o Torino, na última rodada, chegando a 11 gols em toda a Serie A e se isolando como artilheiro romanista na competição. O jogador, campeão do mundo pela Argentina, ainda tem seis assistências, totalizando 17 participações em 18 gols marcados.

A partida ainda será a preparação da Roma para um de seus jogos mais importantes no ano: o duelo de ida das oitavas de final da Liga Europa, quando os italianos receberão o Brighton no estádio Olímpico. Apesar de não estar exatamente bem na Premier League, o time inglês está muito bem na competição europeia e passou em primeiro lugar de seu grupo, o que explica o mando de campo no segundo jogo. Contra o Monza, a Roma terá a última chance de fazer ajustes antes de abrir a decisão.

Como o Monza chega para o jogo contra a Roma

Sem perder um jogo desde 21 de janeiro, quando foi batido pelo Empoli por 3 a 0, o Monza se recuperou bem na Serie A neste começo de 2024, passou por um fevereiro invicto e, como fruto, basicamente se garantiu na próxima edição do Campeonato Italiano, abrindo uma confortável vantagem de 16 pontos para o Sassuolo, primeiro time dentro da zona de rebaixamento do torneio.

Nessa sequência de cinco jogos sem perder, o Monza acabou somando 11 pontos cruciais para sua classificação atual — é o décimo primeiro na tabela do Campeonato Italiano. Apesar de não poder sonhar muito com vagas em competições europeias e estar eliminado da Copa da Itália, o clube pode se orgulhar por garantir sua terceira participação seguida na Serie A. Chegou como estreante na temporada passada, fez boa e sólida campanha e agora passa pelo seu segundo torneio sem rebaixamento, o que é um feito para um clube que poucos anos atrás era praticamente amador.

Sem um ataque fabuloso e nem uma defesa extremamente segura, o Monza vem trabalhando em busca de equilíbrio e isso se reflete, por exemplo, na artilharia do time. São basicamente cinco jogadores que marcaram a maior parte dos 27 gols do Monza na atual edição da Serie A: Andrea Colpani fez sete, Milan Đurić fez cinco, Lorenzo Colombo e Matteo Pessina fizeram quatro cada e Dany Mota tem três. Nada menos do que 85% dos gols feitos por esses jogadores citados, uma distribuição difícil de ver por aí. É esse equilíbrio que o time espera ter para atrapalhar (e muito) os sonhos da Roma.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo