ItáliaSerie A

Marchisio, ma che!

A Juventus contratou muitos jogadores para o meio-campo na janela de transferências. Claudio Marchisio era um dos maiores ameaçados por jogadores como Arturo Vidal e Andrea Pirlo, além de Michele Pazienza, em menor escala. O camisa 8, memso sempre mostrando potencial, não tinha conseguido se firmar. Aos 25 anos, já sem a justificativa da juventude, o meio-campista parecia que seria mais um dos talentos que a Juve não consegue transformar em grande jogador.

Só que o início de temporada mostraria que a missão dos recém-chegados no clube não seria fácil. O camisa 8 mostrou um excelente entrosamento com Andrea Pirlo, chegando com muita força no ataque, sempre chutando com perigo. Tanto que, em 12 jogos até aqui na Serie A, Marchisio marcou seis gols. Uma média que poderia ser de atacante, embora o jogador seja um volante.

Sob o comando de Antonio Conte, Marchisio marcou seis gols, fez uma assistência e ainda foi eleito o melhor jogador da partida em quatro jogos. Com o seu bom desempenho, sua ótima ligação com Andrea Pirlo e o excelente Arturo Vidal pedindo passagem, Antonio Conte deixou de lado o seu 4-4-2 tradicional para usar uma especie de 4-3-3, com Pirlo, Marchisio e Vidal no centro do meio-campo, com Pepe e Vucinic pelas pontas e Matri como centroavante. Quem perdeu o lugar foi Krasic, que perdeu espaço no elenco bianconero como um todo.

É com essa formação que a Juventus vem sendo o melhor time da Italia e que Marchisio conquistou o seu lugar de destaque no campeonato e sua vaga de titular também na seleção italiana. Afinal, com o futebol que apresentando, era inevitável que Cesare Prandelli o escalasse como titular na Azzurra. E ele tem correspondido. Jogando em um losango no meio-campo, Marchisio tem obrigações defensivas, mas tem responsabilidades ofensivas também. Exatamente como na Juve.

Marchisio é o símbolo de uma Juventus que Conte molda à sua imagem e semelhança. Os jogadores precisam se entregar em campo, mostrar determinação e, de preferência, que façam mais de uma função. Um meio-campo com Pirlo, Marchisio e Vidal é defensivo ou ofensivo? Todos jogam como meias ofensivos se necessário, ao mesmo tempo que todos também são jogadores de marcação. O time é trabalhador. Essa característica realçou o futebol de Marchisio, a ponto de ser o destaque não só da Juventus, mas de toda a Serie A. Até aqui, ele é o nome do campeonato.

CURTAS

– A Inter, trôpega, precisa de uma reação até o início do segundo turno, ou pode começar a dar adeus até mesmo a uma vaga na Liga dos Campeões. Já são 13 pontos de diferença para a terceira colcoada, Udinese. É muita coisa.

– Luis Enrique foi apresentado ao inferno das cobranças enormes na Roma. O time continua sendo uma equipe com potencial, mas sem futebol consistente – o que é pouco, até mesmo para um trabalho que inicia.

– Com um jogo a menos, o Torino continua tranquilo na Serie B. Está a quatro pontos do segundo, Verona e caminha a passos largos para voltar à primeira divisão.

– Quem decepciona é a Sampdoria. Com apenas 25 pontos, o time é nono colocado e está fora da zona do play-off.

– O grupo da Itália na Eurocopa ficou de bom tamanho. Claro que enfrentar a Espanha é um problema, mas essa é a única concorrente feroz pela vaga. Croácia e Irlanda não têm poder de fogo para brigar por outra vaga. Seguindo a lógica, a Azzurra deve classificar.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo