Serie A

Mandzukic e CR7 formaram uma combinação destrutiva para garantir a virada sobre o Napoli

O Napoli atravessa novos tempos sob as ordens de Carlo Ancelotti. As ideias ao redor do time mudam, mas o início do treinador guardou alguns bons resultados. No entanto, a prova de fogo aos celestes aconteceria neste sábado. Visitavam Turim e teriam a chance de assumir a liderança da Serie A. Não dessa vez. A Juventus segue embalada na competição e aproveitou o confronto direto para abrir mais vantagem no topo da tabela, mantendo seus 100% de aproveitamento. Uma tarde que contou com o poder de decisão de seus dois homens de frente. Mario Mandzukic, mais uma vez, provou-se essencial à Velha Senhora ao balançar as redes duas vezes. Ainda assim, não dá para desconsiderar a participação de Cristiano Ronaldo, que muito tentou e teve influência direta em todos os tentos. Vitória por 3 a 1, para confirmar que os juventinos seguem um degrau acima de todos os outros na Itália.

A Juventus entrou em campo com força máxima, escalada no 4-3-1-2. Paulo Dybala se encarregava de fazer a ligação. Já na linha de frente, dois homens de referência com Cristiano Ronaldo e Mario Mandzukic. O Napoli apostava mais uma vez no 4-4-2, com Carlo Ancelotti confiando nas combinações entre Dries Mertens e Lorenzo Insigne no ataque. E o início do jogo, intenso, reproduziria a qualidade dos times.

O primeiro aviso foi do Napoli. Em um chute de fora da área, Piotr Zielinski carimbou a trave de Wojciech Szczesny. A Juventus responderia logo em seguida, com tiro de Cristiano Ronaldo que Davide Ospina defendeu com firmeza. De qualquer maneira, a pressão alta dos celestes era um de seus trunfos, dificultando a saída de bola dos bianconeri, que erravam demais. Assim nasceu o primeiro gol da partida, aos dez minutos. Allan interceptou um passe de Leonardo Bonucci no campo de ataque e conectou o contragolpe rápido. A trama muito bem construída teve todos os méritos de José Callejón, que se projetou na área e deu um inteligente passe de primeira para Mertens. Com a meta vazia, ficou fácil ao belga.

A Juventus não se abalou com a desvantagem e, aos poucos, começou a se impor mais no campo de ataque. Em um jogo que passava a ficar mais controlado, Cristiano Ronaldo aparecia bastante. E o camisa 7 seria fundamental para assegurar o empate, aos 26 minutos. Fez uma excelente jogada pela esquerda e, depois de driblar Elseid Hysaj, cruzou para Mario Mandzukic completar de cabeça. O momento era favorável aos anfitriões, que pressionavam e viam a defesa napolitana se safar como dava. Os celestes tinham grandes dificuldades para responder no ataque.

Já no início do segundo tempo, uma ótima jogada ofensiva da Juventus rendeu a virada. O ataque rápido contou com a participação dos três protagonistas da equipe. Dybala carregou pelo meio e tocou a Cristiano Ronaldo. O atacante soltou a bomba de fora da área e Ospina fez um milagre, buscando no cantinho a finalização, que ainda tocou na trave. O problema é que Mário Rui não prestou atenção na sobra e Mandzukic apareceu mais uma vez para decidir. O tento foi seguido pela reação do Napoli, que chegou algumas vezes com perigo em poucos minutos, com a participação crucial de Alex Sandro. Mário Rui, entretanto, não vivia sua melhor tarde. Recebeu o segundo amarelo e deixou os celestes com um a menos a partir dos 13 minutos. Ancelotti sacou Mertens e Zielinski, promovendo as entradas de Arkadiusz Milik e Kevin Malcuit.

Mesmo com um a menos, o Napoli assustou e quase empatou, com Callejón parando em Szczesny. O susto serviu para acordar a Juventus, que matou o jogo logo na sequência. Aos 31 minutos, em cobrança de escanteio, Cristiano Ronaldo desviou dentro da área e Bonucci apareceu quase em cima da linha para tranquilizar os juventinos. CR7 seguiu insistindo e tentando marcar o seu gol, mas não conseguiu ser preciso em seus arremates, parando também em Ospina. Já do outro lado, os napolitanos não desistiam e tentavam os últimos suspiros, sem sucesso de vazar a zaga da Juventus novamente. Teriam que aceitar o revés.

Com a vitória, a Juventus segue soberana na Serie A. São sete vitórias em sete rodadas, somando 21 pontos. O Napoli estaciona com 15, na segunda colocação, e pode ser ultrapassado pelo Sassuolo no domingo, caso os neroverdi batam o Milan no Estádio Mappei. Sossego enorme à Velha Senhora, que deseja emendar mais um Scudetto, mas possui como grande meta o retorno ao topo da Liga dos Campeões. Abrir vantagem no Campeonato Italiano pode ser importante aos reflexos que acontecerão ao final da temporada.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo