Serie A

Lazio joga balde de água fria no Milan e arranca empate aos 49 minutos do segundo tempo

A Lazio conseguiu arrancar um empate dramático por 1 a 1 diante do Milan no Estádio Olímpico, depois de um jogo que parecia que os visitantes sairiam com os três pontos. Com muitos desfalques, o técnico do Milan, Gennaro Gattuso, mudou o esquema e conseguia um resultado excelente até o fim do jogo, quando a Lazio arrancou o empate no último lance do jogo, aos 49 minutos, graças a um belo gol de Joaquín Correa, ex-Sevilla.

LEIA TAMBÉM: Inter deu chance a reservas contra Frosinone e Keita e Lautaro Martínez brilharam

O Milan entrou em campo sem meio time: Alessio Romagnoli, Mateo Musacchio, Mattia Caldara, Lucas Biglia e Giacomo Bonaventura, todos machucados, além do suspenso Gonzalo Higuaín. Gattuso, então, adaptou para o time jogar em um 3-4-3, com o lateral Ricardo Rodríguez se tornando zagueiro pelo lado esquerdo. Abate, outro lateral, jogou como zagueiro pela direita, com Christian Zapata entre os dois, formando a linha de três. Fabio Borini, atacante de origem, foi adaptado para jogar de ala pela esquerda.

A Lazio não teve o volante brasileiro Lucas Leiva, também machucado. Quem entrou no seu lugar foi Milan Badelj. Assim como o adversário, formou uma linha defensiva de três jogadores, com uma linha no meio de cinco e dois jogadores mais avançados. Badelj, justamente, foi o melhor jogador da Lazio no jogo.

O jogo teve muitas chances, dos dois lados. Ciro Immobile, centroavante da Lazio, foi quem mais chutou a gol, cinco vezes. Marco Parolo, seu companheiro de time, chutou quatro, assim como Sergej Milinkovic-Savic e Hakan Çalhanoglu, do Milan. No total, foram 20 chutes da Lazio e 11 do Milan, mas o número de chutes certos foi igual: quatro para cada lado.

O gol só saiu aos 33 minutos do segundo tempo. O volante marfinense Franck Kessié chutou de fora da área, a bola desviou e matou o goleiro Thomas Strakosha: 1 a 0 para os rossoneri em Roma. E, como era de se esperar, a Lazio pressionou muito buscando o gol. Ele veio, mas só bem fundo nos acréscimos, aos 49 minutos.

Lançamento longo para a área, já em um chutão para tentar arranjar alguma coisa. O atacante Joaquín Correa, que tinha entrado aos 20 minutos no lugar de Luis Alberto, dominou bem na coxa e chutou bem, no canto: 1 a 1. Delírio dos laziales, que comemoraram muito o gol. O técnico do Milan, Gattuso, ficou furioso com o árbitro pelos acréscimos que considerou excessivos. Reclamava já antes do gol e, claro, mais ainda depois.

“Pode acontecer de você estar vencendo nos acréscimos e ficar muito atrás. Quem fez a diferença foi Francesco Acerbi, que nos causou problemas com um jogo muito físico”, afirmou Gattuso, logo depois do jogo, à Sky Sports Italia. “Agora estamos ansiosos e esperançosos de recuperar alguns dos jogadores machucados. Eu não espero notícias positivas deles nas próximas semanas, para ser honesto, então nós poderemos dar espaço para aqueles que não tiveram muito tempo de jogo ainda”.

“O time tirou algo extra durante estes momentos difíceis e foi maravilhoso se preparar para este jogo. Não há pressa para que os jogadores voltem, porque nós queremos evitar relapsos. O clube tem sido muito próximo a mim durante esses momentos difíceis. Quaisquer discussões que tivemos foi pelo bem do Milan”, continuou Gattuso, que também não quis comentar os rumores que Zlatan Ibrahimovic será contratado pelo time a partir de janeiro. “Nós veremos, mas eu acho que neste momento nós precisamos nos concentrar no que nós temos e no que precisamos fazer. Não há sentido em falar disso agora. Eu tenho apenas que fazer o meu time jogar o melhor que pode”.

O empate por 1 a 1 acaba sendo ruim na tabela para os dois, já que não se aproximam de Napoli e Inter, segundo e terceiro colocados, respectivamente.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo