Serie A

Internazionale reage antes da parada para a Copa e vira contra a Atalanta

A Internazionale era uma incógnita para a sua torcida nos últimos meses. Resultados ruins, atuações abaixo da crítica e oscilações incompreensíveis. Entretanto, antes da parada para a Copa do Mundo, a equipe de Simone Inzaghi entregou tudo de si e fez um grande resultado em Bérgamo, contra a Atalanta. Neste domingo (13), os interistas fizeram 3 a 2 no placar.

Não foi o início mais produtivo por parte da Inter, que começou nas cordas e sendo pressionada pela equipe da casa. E o placar foi inaugurado em uma penalidade cometida por Stefan De Vrij em Duván Zapata. Coube a Ademola Lookman bater e colocar a Atalanta em vantagem. O que Gian Piero Gasperini não esperava era que os visitantes iriam dar uma resposta superior até o intervalo.

Com alguma dificuldade para infiltrar na defesa da Dea, a Inter aos poucos foi ganhando jardas e confiança. Em um lance de contragolpe clássico, Lautaro Martínez cruzou na área e viu Edin Dzeko subir para tocar de calcanhar no alto. O goleiro Juan Musso apenas olhou o golaço, sem reação.

Até aquele momento, o duelo estava parelho. A Inter tinha a bola, mas não produzia tanto para justificar uma vitória. Isso mudou após o intervalo: mais agressiva e com uma postura mais aguda, a equipe de Simone Inzaghi viu em Federico Dimarco uma arma valiosa pela esquerda. Foi dele o passe para Dzeko marcar o segundo, acompanhado por Joakim Maehle. A disputa do bósnio com o dinamarquês rendeu a virada, e os créditos foram todos para o camisa 9, que chegou a encostar na bola, embora o último resvalo tenha sido na perna de Maehle.

Eram jogados 10 minutos da segunda etapa quando a Inter virou, e a jogada foi o prenúncio do que viria depois: em mais um cruzamento para a marca penal da Atalanta, o zagueirão Jose Luis Palomino se antecipou demais e cabeceou contra a própria meta, roubando o que seria o terceiro de Dzeko. Antes disso, Lautaro havia desviado, mas a bola não iria para o gol.

Quis a bizarra construção da narrativa da partida que Palomino fosse ao ataque e se redimisse no trecho final do confronto. O defensor impulsionou uma reação mais forte da Atalanta, que diminuiu em sua cabeçada e ganhou fôlego para apertar os oponentes. O abafa da Dea foi um teste para Andre Onana, que precisou trabalhar para evitar o empate.

Em pouco mais de 15 minutos de trocação, o placar se manteve favorável à Inter, que gerenciou seu sofrimento com inteligência e se segurou para comemorar três importantes pontos para a campanha da Serie A. O resultado pode ser a virada de chave necessária para uma arrancada na segunda metade do campeonato. Em um bolo bastante equilibrado como o dessa temporada, entrar na parada para a Copa do Mundo em alta é uma ótima notícia para os interistas.

A Atalanta, que também não se desgarra do G4, vê de perto a situação e também terá algum tempo para traçar a estratégia final. Ainda estamos em uma disputa imprevisível da segunda colocação para baixo na tabela, felizmente.

Foto de Felipe Portes

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes
Botão Voltar ao topo