ItáliaSerie A

Inter segue como time do cadeado: foi a sétima vitória por 1 a 0 na Serie A

Roberto Mancini é um técnico conhecido por ser pragmático. As críticas choveram no tempo de Manchester City, mas foi ele o comandante que tirou o time da fila, em 2011, com o título da Copa da Inglaterra e, depois, com a quebra do jejum também no Campeonato Inglês, em 2012. De volta à Inter, o técnico tem sido mais uma vez pragmático e igualmente competente. O domingo foi dia da sétima vitória por 1 a 0 dos nerazzurri no Campeonato Italiano, oitava vitória no geral, em 12 rodadas. Desta vez, o triunfo foi sobre o Torino, em Turim.

LEIA TAMBÉM: Chelsea perde três jogos seguidos na Premier League pela primeira vez desde 1999

A defesa é o grande trunfo da Inter de Mancini. Os reforços do brasileiro Miranda e do colombiano Murillo tornaram o time muito melhor na zaga, mas também porque tem um volante que faz o trabalho de marcação preciso: Gary Medel, chileno que é também peça fundamental na sua seleção, campeã da Copa América neste ano, em casa.

Neste domingo, o técnico ainda escalou um time com três zagueiros, com outro brasileiro, Juan Jesus, formando o trio com Miranda e Murillo. No meio, três volantes. Além de Medel, Kondogbia e Felipe Melo formaram um meio-campo muito marcador. Nas alas, Nagatomo pela esquerda e D’Ambrosio na direita. O italiano mal subiu ao ataque e a Inter teve um sistema defensivo bastante seguro. Praticamente não deu qualquer chance ao Torino na partida, mesmo no final do jogo, com os mandantes colocando em campo três atacantes. Não por acaso, o time só sofreu sete gols em 12 jogos e é a melhor defesa da Serie A. A Fiorentina, segunda melhor, sofreu nove. Entrar na defesa da inter, com os jogadores que o time tem escalado, é um desafio para Indiana Jones, não para atacantes.

O problema é que o ataque da Inter também fez pouco. Mauro Icardi, principal atacante do time, pouco conseguiu fazer entre os zagueiros. Rodrigo Palacio, o outro atacante do time na partida, foi outro que não conseguiu fazer muito. Sem criar muitas jogadas, a Inter se contentou em manter a segurança o jogo inteiro. No final, no desespero do Torino, ainda teve algumas chances no contra-ataque. São apenas 12 gols em 12 jogos, média muito baixa para quem disputa na parte de cima da tabela. Mais uma vez usando a Fiorentina como parâmetro, são 22 gols em 11 jogos. A Roma, terceira colocada, é dona do melhor ataque com 25 gols em 11 jogos.

Assim como em outros jogos, a Inter passou os últimos minutos como em finais de campeonato: enrolando nos minutos finais e pedindo pelo amor de Deus para o técnico encerrar a partida. Sabe aquelas cenas clássicas de jogadores à beira do gramado. No fim, vitória muito comemorada pelos jogadores interistas, que se abraçaram no centro do gramado e correram para saudar à torcida – algo que a Roma se acostumou a fazer na última temporada, quando buscava o título depois de um grande início.

Com 27 pontos, o time assume provisoriamente a ponta da tabela. A Fiorentina ainda joga neste domingo com a Sampdoria e, com 24, pode chegar aos mesmos 27 e tomar a liderança. Na pior das hipóteses, o time de Mancini fica na segunda posição, uma vez que a Roma, terceira colocada, tem 23 pontos e pode chegar a no máximo 26 nesta rodada. Depois da parada da data Fifa, a Inter volta a campo contra o Frosinone, no dia 22.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo