ItáliaSerie A

Inter de Mazzarri surpreende com intensidade e marcação

Antes do início do Campeonato Italiano, era difícil vislumbrar a Internazionale vencer quatro dos seus cinco primeiros jogos, sendo o único que não venceu um empate em casa com a Juventus, favorita ao título. Mas foi isso que o time fez, com uma boa parcela de mérito ao técnico Walter Mazzarri. Jogadores antes muito questionados, como Jonathan, Juan Jesus e especialmente Ricky Álvarez, têm rendido bem. Hugo Campagnaro, que chegou de graça, tem sido um dos melhores do time. Jonathan, inclusive, foi o autor do gol da vitória por 2 a 1 contra a Fiorentina, nesta quinta-feira e tanto o zagueiro quanto o meia foram bem na partida.

Nos cinco jogos, foram quatro vitórias contra Genoa, Catania, Sassuolo e Fiorentina, além do empate com a Juventus em casa, na terceira rodada. Com um esquema novo, com três zagueiros, Mazzarri tem feito a Inter ter força para pressionar no ataque e também para contra-atacar quando toma pressão.

A marcação, um dos problemas da temporada, tornou-se mais intensa: o time é líder em desarmes entre as principais ligas europeias, com 27,4 por partida. Só contra a Fiorentina, foram 30 desarmes dos nerazzurri, sendo que Cambiasso, principal volante do time, fez seis. Mas não é por isso que é uma equipe defensiva: o time é o quarto colocado em dribles, com 16,4 por partida, atrás de Hamburg (18,2), Borussia Mönchengladbach (18,2) e Bayern de Munique (17,3).

O jogo contra a Fiorentina foi duro, com o time sofrendo um gol de pênalti de Giuseppe Rossi. Mas nem tomando o gol, já no segundo tempo, a Inter perdeu a força. Na verdade, o time passou a jogar melhor. Pressionou e conseguiu o empate assim, com uma confusão na área. Esteban Cambiasso marcou.

O gol da vitória veio também na pressão e com Jonathan lembrando os torcedores da inter de outro lateral brasileiro: Maicon. Como atua na ala no esquema de Mazzarri, com liberdade para atacar, o brasileiro apareceu dentro da área e fez um bonito lance antes de chutar forte, já aos 38 minutos, para marcar o 2 a 1 para a Inter. Nos minutos finais, com a Fiorentina indo ao ataque com tudo, a Inter ainda teve chances para ampliar o marcador.

Ricky Álvarez tem se destacado pela sua participação nos jogos. Ofensivamente, ele é quem mais cria jogadas de ataque e faz 3,4 passes para gol por jogo, em média. É o quinto na Europa no quesito, atrás de Francesco Totti (4,8), Matiheu Valbuena (4,7), Marco Reus (3,7) e Sylvain Marveaux (3,7). Mas esse não é o único ponto que o argentino tem ido bem. Ele é o líder da Inter em média de desarmes, com quatro por partida. Contra a Fiorentina, foram cinco só dele, atrás apenas do volante Cambiasso. Rodrigo Palacio, outro que se destaca na Inter, também fez cinco desarmes na partida. Os jogadores de frente também incomodam os adversários.

Ainda é cedo para dizer onde a Inter pode chegar na Serie A. Em 2012/13, quando a equipe do então técnico Andrea Stramaccioni venceu a Juventus e impôs a primeira derrota no novo estádio bianconero, o time parecia que teria força para brigar pelo título italiano. Não teve. Naquela altura, era a 11º rodada. Por isso, ainda não dá para dizer o que essa Inter é capaz, mas é possível afirmar que esse time é mais consistente do que na temporada passada. Vale o mesmo para a Roma, essa com um início espetacular. Se os dois se mantiverem nessa disputa, junto com o Napoli, bom para a Serie A. Perto da expectativa inicial, os torcedores da Inter podem ficar satisfeitos com o desempenho do time até aqui.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo