Depois de tanto tempo como jogador e de tantas afirmações audaciosas e grandiosas, não há dúvidas sobre a mentalidade vencedora de Zlatan Ibrahimovic. Isso se fez sentir na mais recente do atacante, ao jornal italiano Corriere dello Sport. Falando sobre o momento do Milan, o sueco lembrou que, por mais que a fase seja boa, nada foi ainda conquistado. Mesmo evitando colocar os rossoneri entre os concorrentes ao , alertou: “O segundo lugar é apenas o primeiro lugar dos perdedores”.

Aos 39 anos, Zlatan Ibrahimovic se sente um líder no vestiário milanista: “O time me segue. Dez anos atrás, era um Milan diferente”. O atacante, no entanto, destaca que mesmo esta atual equipe está em constante evolução, devido à juventude de parte significativa do elenco. “Mesmo o Milan que encontrei em 2020 era diferente (do de agora), um time novo. Trabalhamos e nos sacrificamos. Os resultados não são méritos só meus”, afirmou, dividindo os louros da inegável melhora de desempenho ao longo do ano passado.

“Estamos fazendo grandes coisas, mas ainda não vencemos nada. Ainda é cedo demais, faltam muitos jogos, mas não estabelecemos limites. O segundo lugar é apenas o primeiro lugar dos perdedores. Quero dar o meu melhor para esse tipo, o tempo todo, também durante os treinamentos”, garantiu.

Por mais que ame falar de si mesmo, Ibrahimovic reservou elogios também a outras figuras do Milan. Sobre o goleiro , o sueco brincou: “Ele é o melhor goleiro do , mas nunca digo isso a ele”. “Ele precisa continuar tendo ambição, mas não é normal que ele nunca tenha jogado a Champions League”, completou.

Questionado sobre sua relação com o técnico Stefano Pioli, foi inicialmente breve: “Ele treina, e eu jogo”. Depois, desenvolveu um pouco mais e elogiou o treinador por provar seu valor ao longo do último ano.

“Gosto do que ele me diz, me sinto bem dentro e fora do campo e acredito que minhas tarefas estão bem equilibradas. Ele provou que pode treinar um grande clube. Na temporada passada, seu futuro estava em dúvida, ele poderia dizer: ‘Tchau, irei aonde há um amanhã’.”

Outro a ser agraciado com palavras de elogio por parte de Ibra foi Emil Roback. Para ele, o atacante sueco de 17 anos, contratado pelo próprio Milan em agosto de 2020, é o melhor talento vindo das categorias de base do país, e Ibra compara seu talento a ele próprio.

“Na Suécia, não há outro Ibrahimovic agora. Na verdade, tem um, que não parece sueco: Emil Roback. Ele tem habilidades físicas e técnicas, é rápido. Não é coincidência que o Milan o tenha contratado. Acredito que ele jogará permanentemente na seleção principal no futuro”, projetou.

Depois de um início de temporada em altíssimo nível, chegando a marcar dez gols em apenas seis jogos na Serie A, Ibrahimovic sofreu com lesões e uma infecção por Covid-19 que o tiraram de um total de 15 partidas. O sueco, no entanto, acaba de fazer seu retorno, tendo atuado por pouco mais de cinco minutos na vitória sobre o Torino, na rodada passada do Italiano. Os rossoneri aguentaram bem as pontas durante a ausência do veterano, mantendo-se na liderança da liga, mas certamente se beneficiarão significativamente de sua volta.