ItáliaSerie A

Formando dupla letal com Dzeko, Salah escancara a boa fase com uma tripleta

Em 12 rodadas, algumas ‘romadas’ já aconteceram. Ainda assim, a Roma se apresenta mais uma vez como uma das principais rivais à Juventus pelo título da Serie A. Os giallorossi reassumiram a segunda colocação e estão a quatro pontos da Velha Senhora. Além disso, acumulam cinco vitórias nas últimas seis rodadas. E a campanha dos romanistas se resume basicamente a um binômio: Edin Dzeko e Mohammed Salah. A dupla rende muitíssimo bem e comanda o setor ofensivo de Luciano Spalletti. Neste domingo, quem destoou foi o egípcio. Eleito o melhor jogador do campeonato em outubro, ele respondeu com os três gols na vitória por 3 a 0 sobre o Bologna, no Olímpico.

Caindo pela ponta direita, Salah demonstrou todo o seu oportunismo e a sua velocidade contra o Bologna. Aproveitou as boas jogadas de Diego Perotti e Kevin Strootman para anotar os seus dois primeiros tentos. Já no terceiro, foi ele quem fez a jogada para Dzeko, mas o rebote do goleiro Angelo da Costa sobrou livre para que o egípcio completasse a sua tripleta.

Após 12 rodadas, o rendimento de Salah já se aproxima do que registrou na última temporada. O camisa 11 produziu oito tentos e quatro assistências até o momento. Em 2015/16, foram 14 bolas nas redes e seis passes para gol, mas em 34 aparições. Dzeko, por sua vez, já até se superou. Artilheiro da Serie A ao lado de Mauro Icardi, ele anotou 10 gols até o momento, dois a mais que em sua temporada de estreia com os giallorossi. De um ano cheio de críticas, o bósnio vem se provando essencial.

Juntos, Dzeko e Salah participaram diretamente de 20 dos 29 gols da Roma, somando seus gols e as assistências para outros companheiros. Prova irrefutável da relevância de ambos à engrenagem de Luciano Spalletti. Enquanto a boa fase continua, os romanistas agradecem pelos efeitos que isto traz à tabela.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo