Serie A

Federação italiana abre investigação contra o Cagliari após mais um episódio de racismo

Maignan e Tomori foram vítimas de insultos racistas ao final da vitória do Milan sobre o Cagliari na Sardenha

A partida entre Cagliari e Milan, na Sardenha, foi palco de mais um deplorável episódio de racismo na Serie A. Ao final da vitória milanista por 1 a 0, Mike Maignan e Fikayo Tomori passaram a discutir com um setor das arquibancadas. Logo uma grande confusão ocorreria entre as duas equipes. Após o jogo, o técnico Stefano Pioli e outros membros rossoneri confirmaram os insultos racistas. Neste domingo, a federação italiana abriu investigação sobre o ocorrido.

Esta rodada da Serie A contava com uma pretensa “ação contra o racismo”. Algo mais para valer ao marketing da liga do que necessariamente para agir efetivamente. O próprio Milan comentou sobre o assunto: “Essa rodada da Serie A foi dedicada a se opor ao racismo, mas ainda há um longo caminho pela frente e precisamos seguir lutando juntos. #MantenhaoRacismoFora”.

Ainda que o racismo não seja um problema exclusivo do Cagliari, a torcida dos rossoblù possui um longo histórico de insultos racistas. Jogadores como Samuel Eto’o, Sulley Muntari, Moïse Kean e Romelu Lukaku já foram vítimas de racismo nas visitas à Sardenha. As medidas tomadas pela Lega Calcio claramente são insuficientes para gerar algum efeito prático. É ver se algo mudará desta vez.

Segundo a agência de notícias ANSA, a federação italiana abriu investigação para analisar as punições cabíveis aos insultos racistas no Cagliari 0x1 Milan. Imagens deverão ser usadas para tentar identificar os responsáveis. O Cagliari promete colaborar. Porém, a conivência do clube sardo também é flagrante. Questionado depois do jogo sobre o tema, o atacante João Pedro disse que não ouviu os insultos, “mas que está no clube há oito anos e defenderá os torcedores”, como se desconhecesse o histórico. Um pensamento lamentável tantas vezes compartilhado por dirigentes, afinal, inclusive no comando da federação.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo