Serie A

Em uma rodada de empates agonizantes na Serie A, a Fiorentina se salvou aos 51 do 2° tempo

A rodada de sábado na Serie A já havia sido generosa, com jogos decididos nos últimos instantes. Cagliari e Sampdoria arrancaram empates agônicos, no minuto derradeiro dos acréscimos, contra Roma e Lazio. Já neste domingo, a loucura se deu no embate entre Sassuolo e Fiorentina. Os neroverdi iam vencendo o duelo no Estádio Mapei até os 51 do segundo tempo. Foi quando apareceu Kevin Mirallas, arrancando o heroico empate por 3 a 3 aos violetas – que também evita uma pressão maior sobre o técnico Stefano Pioli, balançando no cargo.

Todos os gols aconteceram no segundo tempo. Entre os 12 e os 17 minutos, o Sassuolo abriu dois tentos de vantagem. Alfred Duncan anotou o primeiro num lindo chute de fora da área e deu o passe para Khouma Babacar ampliar.  A Fiorentina descontou com Giovanni Simeone, aproveitando a sobra de uma bola na trave, mas logo um chute de longe de Stefano Sensi permitiria aos neroverdi retomarem a diferença. Contudo, a expulsão de Filip Djuricic aos 41 ressuscitou os violetas. Marco Benassi anotou o segundo aos 44, em rebote do goleiro. Nikola Milenkovic também deixou os visitantes com dez, ao receber o segundo amarelo aos 46. Mas não atrapalhou a equipe e, em confronto ainda aberto, a igualdade se consumou aos 51, em contra-ataque definido por Mirallas.

“Há problemas porque tomamos dois gols em poucos minutos e precisamos melhorar, mas a reação no final tem que ser nosso modelo ao resto da temporada. Essa é a Fiorentina de verdade, um time que não quer se entregar nunca. Precisamos melhorar nos treinamentos, mas acho que podemos construir algo a partir do que ocorreu”, declarou Federico Chiesa. Recuperando-se de uma lesão muscular, o ponta começou o jogo no banco, mas foi para o sacrifício no segundo tempo e comandou sua equipe.

A Fiorentina faz uma campanha modesta até o momento. Ocupa o 12° lugar, com sete rodadas consecutivas sem vencer, incluindo cinco empates. Está a dois pontos da zona de classificação à Liga Europa, ao menos. Já o Sassuolo perdeu o embalo após o excelente início na liga. Com quatro rodadas em jejum, é o décimo, mas fora do G-6 apenas pelos critérios de desempate – com nada menos que cinco equipes acumulando 21 pontos. Equilíbrio que não se vê no topo da tabela, mas sobra em outras partes.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo