Serie A

Em jogo com racismo contra napolitanos, Roma consegue vitória em jogo difícil contra o Napoli

A Roma conseguiu uma vitória difícil e sofrida por 2 a 1 contra o Napoli neste sábado, no Estádio Olímpico. O jogo na capital italiana teve um Napoli que ameaçou muito, criou chances e por pouco não marcou. O jogo também foi paralisado pelo árbitro por gritos racistas contra os napolitanos, feitos por parte da torcida da Roma.

[foo_related_posts]

Foi uma disputa direta pelo quarto lugar na tabela da Serie A. A Roma vinha cheia de desfalques por lesão e, por isso, o zagueiro Mert Cetin começou como titular no centro da defesa dos giallorrossi, formando dupla com Chris Smalling. Teve a missão de jogar contra um dos ataques mais prolíficos da Serie A, com Dries Mertens e Arkadiusz Milik.

O primeiro gol saiu aos 19 minutos. Leonardo Spinazzola cruzou e Nicolò Zaniolo dominou e chutou forte para marcar: 1 a 0. Foi o quarto gol do jogador em quatro jogos pela Serie A na temporada. Depois, foi Alex Meret, goleiro do Napoli, que precisou trabalhar. Ele defendeu chute perigoso de Aleksandar Kolarov, mandando para escanteio. Só que na cobrança, a bola tocou no braço de José Callejon, que tentou interceptar a bola e acabou tocando na bola de forma irregular. Pênalti para a Roma. Na cobrança, Kolarov bateu e Meret defendeu.

O Napoli lutou muito para se recuperar na partida. Giovanni Di Lorenzo cabeceou quase certo que marcaria o gol, mas Smalling conseguiu tirar, em cima da linha. A pressão aumentou. Lorenzo Insigne e Milik ameaçaram em chutes perigosos. No final do primeiro tempo, uma blitz: chute de Milik, que Pau López defendeu, mas a bola tocou na trave, voltou para Piotr Zielinski, que pegou o rebote, mas também não conseguiu marcar. Por fim, Mertens teve a chance, mas errou, mandando para fora.

Depois do intervalo, veio outro pênalti para a Roma. Javier Pastore tentou o cruzamento e o lateral Mario Rui levantou os braços para tentar bloquear. A bola bateu nos braços e, assim, o árbitro marcou pênalti. Desta vez quem fez a cobrança foi Jordan Veretout, que chutou forte, Meret ainda tocou na bola, mas ela entrou. Com o gol, foi a vez da Roma tentar matar o jogo e Justin Kluivert quase conseguiu.

O jogo foi paralisado aos 68 minutos (23 da segunda etapa). Foi feito um alerta pelo autofalante do estádio dizendo que o jogo foi paralisado pelos cantos racistas contra os napolitanos. Edin Dzeko foi até a Curva Sud, onde ficam os ultras, e pediu para que parassem.

A paralisação acabou sendo ruim para a Roma. O Napoli voltou com tudo e conseguiu um gol. Hirving Lozano, que entrou no segundo tempo no lugar de Callejón, desceu pela direita e cruzou para Milik completar e diminuir: 2 a 1, aos 27 minutos.

A Roma reagiu, com um uma cabeça de Pastore que Meret precisou de um milagre para defender. O lance acabaria anulado porque o contra-ataque teve impedimento, mostrado pelo VAR. A Roma teria um gol anulado, corretamente, quando Dzeko mandou para a rede, mas Smalling, que cabeceou no lance, estava impedido.

No final, Zielinski chutou com muito perigo, com a bola passando a centímetros do gol. Já nos acréscimos, Cetin acabou expulso depois de tomar o segundo cartão amarelo ao derrubar Fernando Llorente de forma faltosa. Milik chutou a falta na barreira, encerrando o jogo.

Standings provided by Sofascore LiveScore

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo