Serie A

E agora, Mourinho? Venezia toma virada, vira de novo e afunda a Roma

Depois de tomar a virada ainda no primeiro tempo, Venezia arranca dois gols em sequência no segundo tempo, vira o jogo e coloca Mourinho sob mais pressão

A Roma mais uma vez teve mais uma atuação decepcionante na Serie A e, desta vez, foi derrotada pelo Venezia, fora de casa. Foi um jogo maluco, que os mandantes saíram em vantagem, mas o time da capital virou ainda no primeiro tempo. No segundo, os mandantes conseguiram dois gols e saíram de campo com os três pontos, afundando mais a equipe do técnico José Mourinho, que vive um péssimo momento. Nos últimos 10 jogos, são cinco derrotas, três vitórias e dois empates, em todas as competições.

Mourinho tinha vários problemas para a partida com as lesões de Matías Viña e Riccardo Calafiori, dois laterais esquerdos, além de Leonardo Spinazzola, que é desfalque desde a sua lesão na Eurocopa. Chris Smalling foi outro dos desfalques na defesa. Assim, a Roma atuou com uma linha de três defensores, com Stephan El Shaarawy improvisado como ala pela esquerda. O treinador ainda escalou uma dupla de atacantes, com Eldor Shorumodov e Tammy Abraham.

O Venezia começou bem o jogo. Mattia Aramu cobrou falta do lado esquerdo para dentro da área e o zagueiro Mattia Caldara, sim, aquele mesmo ex-Atalanta, Juventus e Milan, completou para o gol e marcou 1 a 0, logo a três minutos. O placar poderia ser 2 a 0 com Okereke perdendo uma grande oportunidade após passar por Marash Kumbulla, mas errar o alvo.

A virada veio no final do primeiro tempo. Depois de um bate rebate dentro da área que Tammy Abraham tocou na bola, que sobrou pipocando dentro da área e Eldor Shomurodov finalizou girando e marcou: 1 a 1. Eram 43 minutos do primeiro tempo. Antes do intervalo, aos 46, foi a vez de Shomorodov cruzar para Tammy Abraham dominar no peito e finalizar para marcar 2 a 1. Foi o fim de um jejum imenso do atacante inglês. Eram seis jogos da Serie A sem marcar. Seu último gol tinha sido no dia 30 de setembro, contra o Zorya Lugansk, na Conference League.

No segundo tempo, a Roma voltou melhor e parecia perto de marcar o terceiro gol, o que a colocaria em uma situação muito mais tranquila na partida. Shomurodov poderia ter ampliado em uma boa chance, mas o lateral Ridgeciano Haps fez um chute acrobático em cima da linha para evitar o gol. Um lance espetacular.

El Shaarawy teve uma chance, em jogada de Shomurodov, mas não conseguiu marcar. E a maré começou a virar. Porque aos 19 minutos, o árbitro marcou pênalti de Bryan Cristante sobre Caldara. Um pênalti controverso, já que é um lance discutível. Mattia Aramu cobrou com categoria e marcou: 2 a 2 no placar.

Precisando da vitória, a Roma foi para cima, tentando fazer mais. Abraham tentou mais um de cabeça e também em um chute, mas errou o alvo. Aos 29 minutos, o caldo entornou de vez no Estádio Pirluigi Penzo. Ethan Ampadu fez o passe para David Okereke, nas costas da defesa, e ele saiu na cara do gol. De frente para o goleiro Rui Patricio, ele fintou com o corpo e tocou para a rede: 3 a 2.

Como era de se esperar, a Roma tentou avançar ainda mais ao ataque e pressionou no final. Só que em contra-ataques, o Venezia poderia ter até marcado mais gols e complicado mais ainda a vida dos comandados de José Mourinho. No fim, o placar de 3 a 2 afundou a Roma de Mourinho na cidade conhecida pelos canais e navegação.

A vitória leva o Venezia a 12 pontos, muito importante na luta contra o rebaixamento. A Roma, com 19 pontos, está em quinto lugar, mas pode ser ultrapassada pela rival Lazio na rodada.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo