Serie A

Cristiano Ronaldo cobra dívida da Juventus por salários congelados na pandemia

Cristiano Ronaldo entrará com ação legal para reaver vencimentos que foram adiados pela Juventus durante a crise de Covid-19

Cristiano Ronaldo decidiu entrar com uma ação legal contra a Juventus para cobrar €19,9 milhões em salários que foram congelados durante a pandemia, segundo uma reportagem da Gazzetta dello Sport publicada neste sábado.

Como outros clubes, a Juventus negociou com seus jogadores para compensar as quedas de receitas durante a crise da Covid-19, principalmente as bilheterias que zeraram durante o período de jogos com portões fechados ou diminuíram drasticamente quando a torcida voltou apenas parcialmente.

De acordo com o jornal, a Velha Senhora primeiro fechou renegociação coletiva com todo o elenco e o técnico, na época Maurizio Sarri, e depois discutiu adiamentos individuais com os jogadores, incluindo Cristiano Ronaldo, de longe o maior salário do clube.

A equipe legal do português, que trocou a Juventus pelo Manchester United em 2021 e atualmente defende o Al-Nassr, da Arábia Saudita, requisitou documentos ao Ministério Público de Turim para dar início à empreitada legal para receber o dinheiro ao qual alega ter direito.

Paulo Dybala, agora na Roma, também chegou a conversar com a procuradoria de Turim, mas fechou um acordo com a Juventus para receber cerca de € 3 milhões que lhe eram devidos.

O caso financeiro da Juventus apenas piora

Não seria o melhor momento para a Juventus desembolsar quase € 20 milhões ou ter que lidar com mais um processo judicial. As suas finanças foram escrutinadas na última temporada, quando levou uma punição de 10 pontos que a tirou da briga por vaga na Champions League pela Serie A.

As fraudes aconteceram em relatórios financeiros apresentados em 2019, 2020 e 2021. A Velha Senhora exagerava os valores de transferências para reduzir as suas perdas. Com déficits artificialmente sanados, os balanços pareciam mais saudáveis do que realmente eram para as entidades reguladoras, como o Fair Play Financeiro da Uefa.

A primeira sanção, anunciada em janeiro, foi de 15 pontos. Ela foi suspensa em abril, após um recurso junto ao Colégio de Garantia do Comitê Olímpico Nacional Italiano, e finalmente reduzida a 10 em meados de maio. Apesar da dedução, a Juventus conseguiu vaga na Conference League, mas foi punida também pela Uefa e ficou sem a vaga.

Uma outra investigação envolve justamente os salários adiados durante a pandemia e pode gerar uma punição ainda maior. Segundo a acusação, a Juventus teria anunciado que reduziu os vencimentos, mas teria continuado a pagá-los integralmente por baixo dos panos.

Em um caso paralelo e sem relação, Leonardo Bonucci, atualmente no Union Berlim, decidiu processar a Juventus por danos morais, alegando que não recebeu condições adequadas de treinamento em Turim após ser excluído do grupo da pré-temporada por Massimiliano Allegri.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo