Serie A

O cozido de Mazzarri não foi bom, mas o Napoli achou uma importante vitória contra a Atalanta

Mesmo fazendo um segundo tempo muito ruim, o Napoli venceu a Atalanta em Bérgamo na reestreia de Walter Mazzarri graças a erro de Marco Carnesecchi

Em sua entrevista coletiva na véspera de reestrear como treinador do Napoli, na sexta-feira (24), Walter Mazzarri ironizou o título que recebeu de “cozido” (que também significa ultrapassado, em italiano) dizendo que se estivesse bom, ele também comeria. Pois bem, o primeiro cozido do técnico em sua volta ao comando dos Partenopei não ficou gostoso, mas foi o suficiente para o atual campeão nacional vencer a Atalanta por 2 a 1 neste sábado (25), pela 13ª rodada da Serie A, no Gewiss Stadium.

O primeiro tempo foi morno e com oportunidades apenas na reta final, mas o Napoli foi levemente superior e abriu o placar em cabeçada de Khvicha Kvaratskhelia. A segunda etapa, por outro lado, foi de um domínio total da Atalanta, que empilhou chances, empatou com Ademola Lookman e ficou muito perto da virada. Acontece que justamente quando o triunfo dos donos da casa parecia questão de tempo, o goleiro Marco Carnesecchi entregou e colaborou demais no gol de Elif Elmas, que garantiu a vitória visitante.

A partida em Bérgamo foi um confronto direto na briga por uma vaga na próxima edição da Champions League. O Napoli chegou a 24 pontos e continuará no G4 ao final da rodada, independente de outros resultados. Já a Atalanta segue com 20 pontos e pode cair para o oitavo lugar caso Fiorentina, Roma e Bologna vençam seus jogos.

Primeiro tempo foi a melhor parte do cozido de Mazzarri

O primeiro tempo no Gewiss Stadium foi de poucas emoções até os 30 minutos. O Napoli era mais incisivo, ficava mais com a bola e controlava a posse no campo de ataque, enquanto a Atalanta esperava um erro para contra-golpear. Ambas as iniciativas, no entanto, foram prejudicadas pelos muitos erros e pela demora nas transições.

A primeira boa chegada foi dos donos da casa aos 21 minutos, em cabeçada de Mario Pasalic após levantamento na área em cobrança de falta que exigiu defesa de Pierluigi Gollini. Os visitantes responderam aos 33, quando Giacomo Raspadori recebeu na intermediária e quase na marca do pênalti para Amir Rrahmani cabecear e balançar a rede. Acontece que o zagueiro estava impedido, e o gol foi anulado pelo VAR.

Apesar da frustração pelo tento invalidado, o Napoli percebeu que a bola área poderia ser um bom caminho para abrir o placar. E foi justamente assim que os Partenopei saíram na frente. Já aos 43 minutos, Khvicha Kvaratskhelia encontrou Raspadori por dentro e entrou na área. Depois de passar por Rrahmani, a bola chegou na direita com Di Lorenzo, que cruzou na entrada da pequena área para Kvaratskhelia finalizar a jogada que ele mesmo começou e inaugurar o marcador de cabeça.

Ao contrário do resto da primeira etapa, os acréscimos foram bem movimentados. Gollini precisou fazer uma grande defesa em cabeçada de Teun Koopmeiners na segunda trave depois de Hans Hateboer levantar na área. Pouco depois, foi a vez do Napoli levar perigo, já que Éderson perdeu a bola dentro da própria área e foi salvo por Marco Carnesecchi, que defendeu a tentativa cara a cara com Piotr Zieliński. No rebote, Giorgio Scalvini travou a finalização de Di Lorenzo.

Atalanta volta melhor e empata, mas Carnesecchi entrega

O segundo tempo foi completamente diferente. A Atalanta voltou do intervalo melhor, dominando a partida e encurralando o Napoli, que não conseguiu mais controlar a posse da bola. Logo no primeiro minuto, Gollini foi exigido em chute forte de Matteo Ruggeri de dentro da área, mas com pouco ângulo. Já aos sete, após jogada trabalhada desde a defesa por quase um minuto, Hateboer recebeu de De Ketelaere com liberdade pela direita e cruzou para o meio da área. Ademola Lookman subiu mais alto que a defesa adversária e deixou tudo igual de cabeça, mandando no contrapé de Gollini.

O empate não alterou a postura dos donos da casa, e a virada da Atalanta parecia questão de tempo. O time comandado por Gian Piero Gasperini pressionava alto e conseguia roubar a bola no campo de ataque, mas pecava na hora de concluir. Pasalic poderia ter marcado em um voleio, mas acertou De Ketelaere em cheio e viu o próprio companheiro desviar para linha de fundo. Depois, Scalvini desviou cruzamento de Koopmeiners na direção do gol, mandando á direita do gol adversário.

Pasalic até iria balançar a rede de Gollini aos 22 minutos, após receber na intermediária, tabelar com Koopmeiners e chutar de primeira na saída do goleiro, mas o gol também foi invalidado por impedimento — este, do meio-campista holandês, que teria uma chance pouco depois afastada pelo zagueiro brasileiro Natan.

Era jogo de um time só, mas o Napoli achou a vitória justamente quando estava pior na partida. Aos 33, Carnesecchi tentou dar um chutão e entregou nos pés de Jens Cajuste, que de primeira encontrou Victor Osimhen dentro da área. O centroavante nigeriano então deu um carrinho para chegar antes do marcador e passar para Elif Elmas, que completou para o gol parcialmente aberto. O goleiro da Atalanta até tocou na bola, mas não foi capaz de se redimir.

Os minutos finais do confronto foram de pressão dos donos da casa, mas o Napoli se fechou e conseguiu se defender muito melhor do que tinha feito até então na segunda etapa. Com isso, os Partenopei asseguraram uma importante vitória na reestreia de Walter Mazzarri, mesmo que o placar não tenha não tenha traduzido muito do que aconteceu em campo.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo