BrasilBundesligaLa LigaLigue 1Premier LeagueSerie A

Como saber se a geração brasileira é mesmo ruim? Esse levantamento pode ajudar

Por Rodrigo Weber

Perante inúmeras opiniões e calorosos debates sobre os resultados negativos recentes da Seleção Brasileira e a recorrente ideia de que a geração atual de jogadores do Brasil é medíocre, resolvi fazer uma pesquisa objetiva para avaliar a safra.

CRITÉRIOS
  1. Avaliar o desempenho dos principais jogadores do mundo seguindo a avaliação do site especializado @WhoScored. Considero esse o melhor site de estatística e análise de futebol. A avaliação deles leva em conta estatísticas fornecidas pela Opta e se baseia em um algoritmo que determina quais valores favorecem o desempenho em cada posição.
  2. Competições consideradas serão as cinco principais ligas da Europa, na temporada que terminou recentemente. Não levarei em conta o Campeonato Brasileiro devido às discrepâncias do calendário, uma vez que a nossa temporada está na metade. São elas: Inglaterra, Alemanha, Espanha, Itália e França.
  3. Serão listados os 15 jogadores com melhor desempenho em cada posição única (lateral direito e lateral esquerdo) e 30 em cada posição dupla (zagueiro, volante e atacante). Na posição meia, serão listados 40 jogadores, devido ao fato de que muitas equipes utilizam três jogadores como titulares nessa função. Goleiros não serão considerados pois são posições que o desempenho depende diretamente do quão exigido ele é. O melhor goleiro do mundo pode jogar em uma equipe que não permite nenhuma finalização ao adversário e assim não soma estatísticas ao seu nome.
  4. Jogadores com menos de 20 partidas como titular pelos seus clubes serão desconsiderados.
  5. Jogadores com idade superior a 33 anos foram desconsiderados, por não representarem mais a atual geração.
  6. Destes 160 jogadores, vamos númerar os brasileiros e compará-los com outros países. Como a liga brasileira não está considerada, vou listar também os principais brasileiros, de cada posição, fora do recorte.

LEIA TAMBÉM: Nos 13 anos do penta, reviva aqueles momentos e reveja todos os gols da Seleção

PESQUISA

Lateral-direito

  1. Jallet (Lyon/FRA) França 7.50
  2. Hilbert (Leverkusen/ALE) Alemanha 7.40
  3. Jantschke (Gladbach/ALE) Alemanha 7.38
  4. Fabinho (Monaco/FRA) Brasil 7.38
  5. Dani Alves (Barcelona/ESP) Brasil 7.37
  6. Fanni (Marseille/FRA) França 7.33
  7. Ivanovic (Chelsea/ING) Sérvia 7.25
  8. Vieirinha (Wolfsburg/ALE) Portugal 7.24
  9. Valencia (Manchester United/ING) Equador 7.23
  10. Zabaleta (Manchester City/ING) Argentina 7.23
  11. Rafinha (Bayern/ALE) Brasil 7.22
  12. Sidibé (Lille/FRA) Mali 7.20
  13. Elmohamady (Hull/ING) Egito 7.17
  14. Selasie (Werder Bremen/ALE) Rep. Tcheca 7.16
  15. Basta (Lazio/ITA) Sérvia 7.16

Outros brasileiros:

Bruno Peres (Torino/ITA) 7.06

Zagueiro

  1. Naldo (Wolfsburg/ALE) Brasil 7.78
  2. Hummels (Dortmund/ALE) Alemanha 7.60
  3. Otamendi (Valencia/ESP) Argentina 7.59
  4. Perrin (St.Etienne/FRA) França 7.59
  5. N’Koulou (Marseille/FRA) Camarões 7.59
  6. Thiago Silva (PSG/FRA) Brasil 7.56
  7. Jones (Manchester United/ING) Inglaterra 7.51
  8. Bell (Mainz/ALE) Alemanha 7.50
  9. Piqué (Barcelona/ESP) Espanha 7.43
  10. Sergio Ramos (Real Madrid/ESP) Espanha 7.42
  11. Toprak (Leverkusen/ALE) Turquia 7.41
  12. Tomkins (West Ham/ING) Inglaterra 7.40
  13. Astori (Roma/ITA) Itália 7.40
  14. Fazio (Tottenham/ING) Argentina 7.39
  15. Koscielny (Arsenal/ING) França 7.39
  16. Gonzalo Rodríguez (Fiorentina/ITA) Argentina 7.38
  17. Lautoa (Lorient/FRA) França 7.38
  18. Maksimovic (Torino/ITA) Sérvia 7.38
  19. Godín (Atlético Madrid/ESP) Uruguai 7.37
  20. Chiellini (Juventus/ITA) Itália 7.37
  21. De Vrij (Lazio/ITA) Holanda 7.35
  22. Smalling (Manchester United/ING) Inglaterra 7.34
  23. Davies (Hull/ING) Inglaterra 7.32
  24. Kjaer (Lille/FRA) Dinamarca 7.32
  25. Djilobodji (Nantes/FRA) Senegal 7.31
  26. Genevois (Nice/FRA) França 7.29
  27. Hünemeier (Paderborn/ALE) Alemanha 7.29
  28. Klavan (Augsburg/ALE) Estônia 7.29
  29. Jagielka (Everton/ING) Inglaterra 7.27
  30. Shackell (Burnley/ING) Inglaterra 7.27

Outros brasileiros:

David Luiz (PSG/FRA) 7.25

Juan Jesus (Internazionale/ITA) 7.12

Dante (Bayern/ALE) 7.12

Lateral-esquerdo

  1. Amavi (Nice/FRA) França 7.74
  2. Rodríguez (Wolfsburg/ALE) Suíça 7.72
  3. Kurzawa (Monaco/FRA) França 7.54
  4. Wendell (Leverkusen/ALE) Brasil 7.42
  5. Hector (Colônia/ALE) Alemanha 7.40
  6. Marcelo (Real Madrid/ESP) Brasil 7.39
  7. Clichy (Manchester City/ALE) França 7.38
  8. Baba Rahman (Augsburg/ALE) Gana 7.37
  9. Oczipka (Frankfurt/ALE) Alemanha 7.36
  10. Monreal (Arsenal/ING) Espanha 7.33
  11. Tabanou (St.Etienne/FRA) França 7.33
  12. Fuchs (Schalke/ALE) Áustria 7.30
  13. Veigneau (Nantes/FRA) França 7.29
  14. Bernat (Bayern/ALE) Espanha 7.28
  15. Holebas (Roma/ITA) Grécia 7.27

Outros brasileiros:

Danilo Avelar (Cagliari/ITA) 7.05

Volante

  1. Pogba (Juventus/ITA) França 7.67
  2. Fabregas (Chelsea/ING) Espanha 7.62
  3. Xhaka (Gladbach/ALE) Suíça 7.61
  4. Verratti (PSG/FRA) Itália 7.59
  5. Guarín (Internazionale/ITA) Colômbia 7.56
  6. Jedinak (Crystal Palace/ING) Austrália 7.55
  7. Schneiderlin (Southampton/ING) França 7.51
  8. Matic (Chelsea/ING) Sérvia 7.50
  9. Lars Bender (Leverkusen/ALE) Alemanha 7.43
  10. Bruno (Villarreal/ESP) Espanha 7.43
  11. Gonalons (Lyon/FRA) França 7.43
  12. Kroos (Real Madrid/ALE) Alemanha 7.42
  13. Biglia (Lazio/ITA) Argentina 7.42
  14. Camacho (Málaga/ESP) Espanha 7.41
  15. Gueye (Lille/FRA) Senegal 7.41
  16. Sanson (Montpellier/FRA) França 7.41
  17. Yaya Touré (Manchester City/ING) Costa do Marfim 7.40
  18. Dani Parejo (Valencia/ESP) Espanha 7.37
  19. Marchisio (Juventus/ITA) Itália 7.37
  20. Allan (Udinese/ITA) Brasil 7.36
  21. Imbula (Marseille/FRA) França 7.36
  22. Kanté (Caen/FRA) França 7.36
  23. Kramer (Gladbach/ALE) Alemanha 7.35
  24. Vidal (Juventus/ITA) Chile 7.34
  25. Geis (Mainz/ALE) Alemanha 7.33
  26. Krychowiak (Sevilla/ESP) Polônia 7.33
  27. Toulalan (Monaco/FRA) França 7.32
  28. Iborra (Sevilla/ESP) Espanha 7.32
  29. Juzunovic (Werder Bremen/ALE) Áustria 7.32
  30. Luiz Gustavo (Wolfsburg/ALE) Brasil 7.30

Outros brasileiros:

Fernandinho (Manchester City/ING) 7.19

Meia

  1. Hazard (Chelsea/ING) Bélgica 7.96
  2. De Bruyne (Wolfsburg/ALE) Bélgica 7.95
  3. James Rodríguez (Real Madrid/ESP) Colômbia 7.85
  4. Firmino (Hoffenheim/ALE) Brasil 7.79
  5. Vázquez (Palermo/ITA) Itália 7.74
  6. Bale (Real Madrid/ESP) Gales 7.66
  7. Bellarabi (Leverkusen/ALE) Alemanha 7.64
  8. Payet (Marseille/FRA) França 7.62
  9. Cazorla (Arsenal/ING) Espanha 7.60
  10. Fékir (Lyon/FRA) França 7.57
  11. Özil (Arsenal/ING) Alemanha 7.57
  12. Choupo-Moting (Schalke/ALE) Camarões 7.50
  13. Perotti (Genoa/ITA) Argentina 7.48
  14. Nolito (Celta/ESP) Espanha 7.47
  15. Felipe Anderson (Lazio/ITA) Brasil 7.47
  16. Lucas (PSG/FRA) Brasil 7.46
  17. Raffael (Gladbach/ALE) Brasil 7.43
  18. Ayew (Marseille/FRA) Gana 7.42
  19. Pastore (PSG/FRA) Argentina 7.40
  20. Stindl (Hannover/ALE) Alemanha 7.39
  21. Gradel (St.Etienne/FRA) Costa do Marfim 7.36
  22. Isco (Real Madrid/ESP) Espanha 7.35
  23. Coutinho (Liverpool/ING) Brasil 7.34
  24. Mkhitaryan (Dortmund/ALE) Armênia 7.33
  25. Missiroli (Sassuolo/ITA) Itália 7.33
  26. Koke (Atlético Madrid/ESP) Espanha 7.32
  27. Candreva (Lazio/ITA) Itália 7.27
  28. Piatti (Valencia/ESP) Argentina 7.27
  29. Ferreira-Carrasco (Monaco/FRA) Bélgica 7.25
  30. Bernardo Silva (Monaco/FRA) Portugal 7.23
  31. Young (Manchester United/ING) Inglaterra 7.23
  32. Herrmann (Gladbach/ALE) Alemanha 7.23
  33. Bertolacci (Genoa/ITA) Itália 7.22
  34. Calhanoglu (Leverkusen/ALE) Turquia 7.20
  35. Oscar (Chelsea/ING) Brasil 7.20
  36. Götze (Bayern/ALE) Alemanha 7.20
  37. Sigurdsson (Swansea/ING) Islândia 7.18
  38. Lucas Vázquez (Espanyol/ESP) Espanha 7.17
  39. Mahrez (Leicester City/ING) Argélia 7.16
  40. Orellana (Celta/ESP) Chile 7.16

Outros brasileiros:

Diego (Reims/FRA) 7.04

Willian (Chelsea/ING) 7.02

Atacante

  1. Messi (Barcelona/ESP) Argentina 8.84
  2. Cristiano Ronaldo (Real Madrid/ESP) Portugal 8.48
  3. Robben (Bayern/ALE) Holanda 8.47
  4. Neymar (Barcelona/ESP) Brasil 7.96
  5. Alexis Sánchez (Arsenal/ING) Chile 7.81
  6. Ibrahimovic (PSG/FRA) Suécia 7.75
  7. Suárez (Barcelona/ESP) Uruguai 7.69
  8. Lacazette (Lyon/FRA) França 7.69
  9. Agüero (Manchester City/ING) Argentina 7.67
  10. Tévez (Juventus/ITA) Argentina 7.66
  11. Dost (Wolfsburg/ALE) Holanda 7.59
  12. Benzema (Real Madrid/ESP) França 7.56
  13. Reus (Dortmund/ALE) Alemanha 7.54
  14. Meier (Frankfurt/ALE) Alemanha 7.54
  15. Lewandowski (Bayern/ALE) Polônia 7.43
  16. Diego Costa (Chelsea/ING) Espanha 7.43
  17. Kiessling (Leverkusen/ALE) Alemanha 7.39
  18. Dybala (Palermo/ITA) Argentina 7.37
  19. Bobadilla (Augsburg/ALE) Paraguai 7.33
  20. Berardi (Sassuolo/ITA) Itália 7.31
  21. Kruse (Gladbach/ALE) Alemanha 7.31
  22. Ménez (Milan/ITA) França 7.29
  23. Kane (Tottenham/ING) Inglaterra 7.28
  24. Rooney (Manchester United/ING) Inglaterra 7.28
  25. Müller (Bayern/ALE) Alemanha 7.28
  26. Sterling (Liverpool/ING) Inglaterra 7.27
  27. Giroud (Arsenal/ING) França 7.23
  28. Mandzukic (Atlético Madrid/ESP) Croácia 7.22
  29. Joselu (Hannover/ALE) Espanha 7.21
  30. Volland (Hoffenheim/ALE) Alemanha 7.19

LEIA TAMBÉM: Pior do que a eliminação foi o futebol que o Brasil não apresentou na Copa América

RESULTADO

Jogadores por país

França – 24

Alemanha – 22

Brasil – 16

Espanha – 16

Argentina – 12

Inglaterra – 10

Itália – 9

Sérvia – 4

Bélgica – 3

Chile – 3

Holanda – 3

Portugal – 3

Áustria – 2

Camarões – 2

Colômbia – 2

Costa do Marfim – 2

Gana – 2

Polônia – 2

Senegal – 2

Suíça – 2

Turquia – 2

Uruguai – 2

Argélia – 1

Armênia – 1

Austrália – 1

Croácia – 1

Dinamarca – 1

Egito – 1

Equador – 1

Estônia – 1

Gales – 1

Grécia – 1

Islândia – 1

Mali – 1

Paraguai – 1

Rep. Tcheca – 1

Suécia – 1

Países com pelo menos um jogador citado em cada posição

França

Alemanha

Brasil

ANÁLISE

A pesquisa não tem por fim determinar quem são os melhores jogadores da atualidade, nem avaliar merecimento de convocação para Seleção Brasileira. Jogadores que não estão na lista podem ter muito valor e resultados ótimos, uma vez que o futebol é um esporte coletivo e mesmo atuações não tão brilhantes individidualmente podem ser muito importantes para o time. O levantamento, por outro lado, permite a visualização ampla, distante do ponto de vista subjetivo, do bom desempenho dos atletas citados. Sendo assim, para fazer uma avaliação dos jogadores brasileiros que Dunga tem à sua disposição, é válido.

O primeiro dado que atrai atenção é de que apenas franceses e alemães superam o número de brasileiros. Uma vez que as ligas da Espanha, Inglaterra e Itália entraram no recorte e, em todas elas os jogadores locais dominam o número absoluto de disputantes, seria natural que estivessem entre os cinco primeiros. Brasil empata com a Espanha e supera, com folga, Inglaterra e Itália. Além disso, exclusivamente ao lado de Alemanha e França, teve jogadores citados em todas as posições. Apenas Dunga, Deschamps e Löw conseguiriam formar um time titular dos jogadores de linha apenas com nomes dessa lista. Argentina, finalista da Copa do Mundo, está um degrau abaixo do Brasil e a Holanda, uma de nossas algozes, não chega nem perto.

Esse levantamento não prova, nem tem tal pretensão, mas acredito que deva servir de um bom subsídio para demonstrar que não existe crise técnica no futebol brasileiro, de que a safra não é ruim. A esses 16 jogadores que, inquestionavelmente, fizeram ótima temporada, somam-se outros que não estão na lista mas tem qualidades. Alguns inclusive foram lembrados já que, por pouco, não entraram entre os 160. E ainda há atletas que tiveram bom desempenho em ligas de menor expressão. Danilo, Alex Sandro, Casemiro e Jonas em Portugal. Luiz Adriano, Douglas Costa, Fred e Alex Teixeira na Ucrânia. Hulk e Mário Fernandes na Rússia. Até Felipe Melo na Turquia. Somem-se a eles todos os talentos que estão no nosso futebol, muitos com grande potencial.

Há um dado que também é bastante representativo da realidade do futebol brasileiro: a escassez de grandes atacantes. Entre os melhores trinta dos últimos 12 meses, apenas Neymar nos representa. Diego Costa, que optou pela Espanha, seria hoje uma excelente alternativa. De fato é a posição mais carente. Para quem já teve Ronaldo, Romário, Rivaldo, Bebeto, Careca e dezenas de outros espetaculares avantes, de fato assusta. Mas por outro lado, jogadores criativos de frente não faltam. Firmino, Felipe Anderson, Lucas e Coutinho foram brilhantes pelos seus clubes. Oscar e Willian ótimos no Chelsea. O próprio Neymar, que seria o especialista em finalizar da lista, é um exímio criador de jogadas.

Opções há em todos os setores. Cada um terá seus preferidos, é normal. Fica esse breve estudo como um argumento para que nós possamos formar nossa opinião. A minha é de o único problema que o Brasil não tem é falta de jogadores com qualidade técnica suficiente para formar um time forte e competir com qualquer outro. Vencer é consequência de uma série de fatores, principalmente do trabalho coletivo. Perder deve ser encarado como parte do jogo, como incentivo para melhorar e principalmente, ambicionar mais a vitória. O que tenho convicção é de que devemos saber, enquanto nação que se autoproclamou durante décadas como “o melhor futebol do mundo”, que nada é eterno, garantido, sem humildade, estudo e constante aprimoramento.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo