Serie A

Com atuação de gala, Milan arrasa Sassuolo para selar a esperada conquista do título italiano

Com 3 a 0 no primeiro tempo, Milan passou por cima do Sassuolo e não deu qualquer chance para a sorte: o time é campeão italiano pela 19ª vez

O Milan teve uma das suas melhores atuações na temporada para garantir a conquista do título da Serie A, a primeira vez desde 2010/11 que o scudetto foi conquistado. Fora de casa, mas com a torcida imensamente favorável aos rossoneri, o Milan venceu o Sassuolo por 3 a 0, com um banho de bola, e conquistou o título com autoridade. Foi uma grande atuação do time comandado por Stefano Pioli, com direito a mais uma participação decisiva do atacante Rafael Leão, o grande nome desta temporada no futebol italiano.

Foi uma atuação segura, de quem sabia o que precisava e queria terminar com a cereja no bolo. Os 3 a 0 no placar vieram ainda no primeiro tempo, com dois gols de Olivier Giroud, que chegou assim a 11 gols no Campeonato Italiano – e 14 no total da temporada, contando as demais competições. Ele quebra a “maldição da camisa 9”, muito falada desde que Filippo Inzaghi se aposentou e nenhum outro jogador que vestiu o número conseguiu se firmar no time e jogar bem. Giroud acabou com isso.

Um título que ficará marcado pela segurança de Mike Maignan, que não deixou o torcedor do Milan sentir falta de Gianluigi Donnarumma, as boas atuações de Fikayo Tomori e Pierre Kalulu, tendo que ser improvisado, o foguete Theo Hernández na defesa e o florescimento de Sandro Tonali, que assumiu o protagonismo de um time que marcaria o seu nome na história.

Foram 11 anos de espera para o scudetto chegar e Stefano Pioli conquista o primeiro título da sua carreira como treinador e, ao mesmo tempo, escreve um belo capítulo na história de um gigante como é o Milan.

Um título que foi merecido pela capacidade do time vencer jogos importantes, embalar no momento certo e não dar chance de recuperação aos rivais, que foram ficando para trás. Juventus, Napoli e, por fim, a Inter tentaram perseguir o Milan, mas nos últimos 16 jogos ninguém conseguiu vencer os rossoneri, que terminar com a taça e com a festa.

Foram muitos anos de títulos consecutivos da Juventus na Serie A, mas já chegamos ao segundo ano seguido de títulos diferentes. A Internazionale ganhou na temporada 2020/21 e agora é a vez do outro gigante de Milão, o Milan, ficar com o título em 2021/22. Desta vez, a decisão ficou para a rodada final e o Milan se iguala à Inter em número de títulos italianos com 19.

Atuação avassaladora desde o começo

Giroud comemora (Chris Ricco/Getty Images)

O começo de jogo do Milan foi muito bom, criando chances e ficou claro que o time não tinha intenção de contar com a sorte: queria decidir o título o mais rapidamente possível. O Milan chegou com perigo aos seis minutos. Em cruzamento para a área em cobrança de falta da intermediária, Oliver Giroud cabeceou bem, mas o goleiro Andrea Consigli conseguiu fazer uma boa defesa.

Melhor no jogo, o Milan seguiu tentando. Em um erro de saída de bola do Sassuolo, Sandro Tonali tomou a bola, tocou para Rafael Leão que armou o chute, mas foi travado no último instante por Gian Marco Ferrari. A pressão seguia e no escanteio, Fikayo Tomori tentou o toque na bola, tocou meio no susto e Maxime Lopez conseguiu salvar em cima da linha com o joelho.

Logo depois, Rafael Leão fez a finalização, o goleiro Consigli soltou e a bola ficou pipocando na área, mas a defesa conseguiu tirar. Um início muito empolgante do time rossonero, que parecia querer resolver o jogo rapidamente.

A pressão era tanta que uma hora o Sassuolo não resistiu mais. Kaan Ayhan saiu jogando errado e perdeu a bola para Rafael Leão avançar pela esquerda. Ele tocou para o meio, a bola ainda teve um leve desvio em Maxime Lopez e chegou em Giroud, que finalizou firme, de pé esquerdo. A bola foi no meio das pernas de Consigli: 1 a 0 para o Milan no Mapei Stadium.

A fome do Milan continuava e o time seguia pressionando o rival no seu campo. Tanto com as investidas de Rafael Leão pela esquerda quando com um chute de fora da área de Tonali, que encheu o pé e obrigou Consigli para mais uma defesa. Os rossoneri eram muito melhores em campo.

Aos 22 minutos, um lance inacreditável: chute de fora da área de Saelemaekers que Consigli defendeu, Theo Hernández pegou o rebote, tocou para dentro da área e a bola bateu de leve em Tomori e a defesa do Sassuolo conseguiu afastar, já dentro da pequena área. Um sufoco para os neroverdi, que sentiam a boa atuação dos adversários.

Avassalador em campo, o Milan conseguiu fazer 2 a 0 ainda no primeiro tempo. Aos 32 minutos, Novamente Rafael Leão fez a jogada pela ponta esquerda, imparável, e cruzou rasteiro para o meio onde estava Giroud, mais uma vez bem posicionado, para finalizar de pé esquerdo e colocar no fundo da rede: 2 a 0 para o Milan. O scudetto já parecia nas mãos. Só um desastre a essa altura seria capaz de tirar o título do Milan.

O Milan aumentou a vantagem aos 35. Maxime Lopez perdeu a bola para Krunic, que acionou Rafael Leão, desta vez pelo lado direito, e o português cruzou para a área. O meio-campista Franck Kessié pegou de primeira, de pé esquerdo, e acertou o canto: 3 a 0 e contando. Rafael Leão mais uma vez sendo decisivo para o time.

Zlatan Ibrahimovic foi chamado para entrar em campo aos 27 minutos e, aos 33, ele balançou as redes. Rafael Leão foi lançado, avançou em velocidade nas costas da zaga e curou alto para Ibrahimovic tocar de cabeça e marcar. O gol foi anulado pela posição de impedimento de Leão na hora que foi lançado.

No fim, não houve mais gols, mas a festa já estava garantida. Aos poucos, os jogadores fora de campo e o técnico do Milan não continham mais a alegria, celebram à beira do gramado e vibravam com o título. Um título inesperado no começo da temporada, mas que se consolidou ao longo do caminho. O Milan termina a temporada como o melhor time da Itália e, mais do que isso, resgatando o seu orgulho e a esperança de voltar a fazer bonito na Serie A e na Europa. Afinal, é o segundo maior campeão da Champions, com sete títulos, atrás apenas do Real Madrid com 13 títulos.

Inter se despediu com vitória segura contra a Sampdoria

Perisic comemora com Lautaro, Barella e Correa o seu gol pela Inter (MIGUEL MEDINA/AFP via Getty Images)

A Inter entrou em campo sabendo que precisaria vencer e torcer ainda pela vitória do Sassuolo contra o Milan. O técnico Simone Inzaghi não tinha desfalques e pôde escolher quem quisesse para a partida. Ele escolheu começar o jogo com Joaquín Correa no ataque e deixar Edin Dzeko no banco de reservas.

Como era esperado, a Inter pressionava desde os primeiros minutos. O time tinha dificuldades em conseguir finalizações limpas, embora rondasse a área adversária com frequência.

O gol ficou muito perto aos 23 minutos. Ivan Perisic levantou da esquerda e Lautaro Martínez cabeceou com perigo, mas a bola passou à direita do goleiro. Nada de gol. Pouco depois, em uma roubada de bola no campo de ataque, Lautaro arriscou de fora da área, mas a bola foi no meio do gol e facilitou a defesa.

Lautaro seguia sendo o mais perigoso e, em uma jogada de Nicolò Barella, a bola chegou até o camisa 10 que chutou forte e o goleiro Emil Audero defendeu. Pouco depois, em cobrança de escanteio, Denzel Dumfries subiu de cabeça no meio da área e tocou com algum perigo, mas para fora.  

O primeiro gol saiu no começo do segundo tempo. A Inter roubou a bola no campo de defesa, no lado esquerdo, com Perisic, Joaquín Correa recebeu, passou para Barella, que esperou até o momento certo para passar de volta a Perisic. O croata finalizou bem para marcar 1 a 0.

Aos nove minutos, a Inter alcançou o segundo gol. Çalhanoglu abriu na esquerda para Perisic, que tocou rasteiro para o meio, onde Çalhanoglu ajeitou de primeira para Joaquín Correa marcar: 2 a 0. Rapidamente o time chegou ao terceiro gol: aos 11, Joaquín Correa mais uma vez recebeu dentro da área, fintou e finalizou cruzado para marcar 3 a 0, em um contra-ataque.

A vitória garantiu que a Inter chegasse aos 84 pontos, dois a menos que o Milan. Os dois voltam à Champions League na próxima temporada, assim como Napoli e Juventus. Lazio e Roma estarão na Liga Europa, enquanto a Fiorentina vai para a Conference League.

Classificação final:

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo