Serie A

Com 100º gol de Insigne pelo clube, Napoli vence Juventus e se aproxima do rival na tabela

Depois da frustração pela eliminação na semifinal da Coppa Italia contra a Atalanta no meio da semana, o Napoli não poderia ter torcido por uma resposta melhor à queda do que a vitória por 1 a 0 sobre a rival Juventus neste sábado (13), pela Serie A. O triunfo suado aproximou os Partenopei da Juve na tabela e foi uma demonstração importante de resiliência de um time combalido por lesões e bombardeado sobretudo no segundo tempo por um adversário determinado em resgatar mesmo um pontinho sequer.

O Napoli já tinha uma série de desfalques em Mertens, Koulibaly, Manolas, Demme, Hysaj e Ghoulam. De última hora, perdeu ainda o goleiro David Ospina, lesionado no aquecimento. Alex Meret então assumiu a posição – e se tornaria essencial ao triunfo com uma grande atuação no segundo tempo.

Os donos da casa, que mais cedo haviam reclamado de um pênalti quando Chiellini bloqueou finalização de Maksimovic com o braço, conseguiram sua penalidade máxima aos 28 minutos do primeiro tempo, quando Chiellini, de novo ele, subiu para disputar uma bola e colocou o braço no rosto de Rrahmani. A revisão no VAR confirmou a infração, e, aos 31, na cobrança, Insigne converteu, acabando com sua pequena maldição de pênaltis contra a Juve. O italiano havia perdido seus três últimos pênaltis contra os Bianconeri. Com o tento, Insigne chegou à marca de 100 gols com a camisa do Napoli, ocupando o sétimo lugar entre maiores artilheiros da história dos napolitanos.

No segundo tempo, a Juventus intensificou suas ações e passou a consagrar um nome: Alex Meret. O goleiro primeiro parou Cristiano Ronaldo em finalização à queima-roupa após escanteio, em lance aos quatro minutos da etapa final. Aos 11, em jogada ensaiada, Bernardeschi bateu falta rolando para a entrada da área, em posição central, Bentancur deixou a bola passar, e Chiesa chegou batendo forte, parando em mais uma boa defesa de Meret.

Aos 23, em outra boa chance, Alex Sandro pegou sobra de bola levantada na área e bateu forte, cruzado. Ela passou com perigo à esquerda do gol, e Cristiano Ronaldo quase a alcançou para completar para o gol.

Depois de um primeiro tempo parelho no número de chances (7 a 6 para o Napoli), a Juve teve uma segunda etapa de bombardeio, com 18 finalizações contra apenas uma dos donos da casa, e por isso Andrea Pirlo deixou o Estádio San Paolo se sentindo injustiçado pelo resultado e questionando o pênalti.

“Não concedemos um chute a gol (foram duas finalizações certas do Napoli, na verdade), perdemos graças a um incidente dúbio. Mas é uma pena que não tenhamos conseguido a derrota. Tivemos a atuação de que precisávamos, mas não o resultado que merecíamos”, lamentou à Sky Sport Italia, acrescentando ainda que “alguns incidentes são tratados de maneira diferente quando acontecem contra a Juventus”.

Vencedor, Insigne preferiu destacar a entrega da equipe e a luta diante de tantos desfalques: “Estamos felizes com o resultado, mas, acima de tudo, com o desempenho, porque trabalhamos como uma equipe, lutando juntos até o fim, e o Chucky (Lozano) estava despedaçado ao fim, então estávamos basicamente com um a menos. Ainda assim, nos unimos como equipe e levamos a vitória para casa. Esta temporada não tem sido tão boa quanto a passada, mas tivemos muitos problemas de lesão e de Covid e ainda perdemos o David Ospina no aquecimento hoje”.

Em meio a tantas dificuldades, a vitória aproximou o Napoli do pelotão de cima. O triunfo colocou a equipe de Gennaro Gattuso no quarto lugar, a dois pontos da Juventus, terceira colocada.

Classements proposés par SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo