Serie A

Cassano se aposenta, volta atrás e agora só quer ter uma boa temporada pelo Verona

Antonio Cassano assinou contrato com o Verona, na esperança de, aos 34 anos, retomar a sua carreira. Parecia em boa forma física, feliz e cheio de vontade. Sorria nas fotos e havia se oferecido para diversos clubes porque realmente queria uma nova chance. Uma semana depois, tempo insuficiente para colocar a conta de luz no seu nome ou descobrir qual a padaria mais próxima, decidiu se aposentar, na manhã desta terça-feira. Em algumas horas, porém, voltou atrás e decidiu que não iria mais se aposentar, em uma perfeita mini-parábola dos motivos que o atrapalharam de atingir todo o seu potencial.

LEIA MAIS: Cassano busca (mais um) recomeço no Verona, que investe pesado em medalhões

Cassano havia disputado amistosos pelo Verona e impressionado. Recebera o apoio dos torcedores e tudo corria bem, mas, nesta manhã, comunicou aos companheiros que deixaria o clube para se aposentar porque sentia saudades demais da família. Convocou uma coletiva de imprensa para anunciar a sua decisão e, na hora de falar com os jornalistas, acabou anunciando a sua não-decisão: teve um momento de fraqueza, mas foi convencido a voltar a trás e está animado para a próxima temporada.

“Eu tive um momento difícil esta manhã”, disse, na entrevista. “Estava cansado e tive uma reunião com o diretor (Filippo Fusco) e disse que queria uma folga. Minha escolha é continuar jogando. Eu frequentemente penso com o estômago, desta vez eu decidi com a cabeça, graças à minha mulher, o diretor e (o técnico Fabio) Pecchia. Quero vencer esta aposta. Meu impulso estava tão errado quanto esteve em outros momentos. Quero continuar este desafio e tenho certeza que vou vencê-lo. A decisão que tomei no impulso era uma loucura. Quero ter uma grande temporada com o time”.

A diretoria e a comissão técnica deram um jeito de aproximar a família de Cassano do jogador para deixá-lo mais à vontade. “Eu passei um ano e meio em casa e me reajustar para um acampamento de pré-temporada sem minha família fez com que eu quisesse voltar para eles”, explicou. “A diretoria fez um milagre trazendo minha família para o retiro. Quero voltar a campo. Minha mulher está animada, mal pode esperar para me ver jogar. Estamos todos animados. Isto vai me dar ainda mais força”.

Cassano agradeceu a presença dos torcedores – segundo ele, até 5 mil pessoas apareceram para vê-lo jogar – e os tranquilizou: não sairia do Verona para outra equipe. “Eu peço desculpas se eles se sentiram traídos. Eles são o 13º homem em campo, não o 12º”, calculou. “Eu estava errado, mas agora voltei ao caminho certo. É difícil pedir desculpas, mas, esta semana, entre 4 mil e 5 mil pessoas vieram me ver e eu peço desculpas. Quero ter uma super temporada. Ainda posso dar muito, estou aqui para jogar e estou motivado. O que posso dizer é para as pessoas não ficarem bravas, porque após dois ou três jogos, eu vou fazer com que vocês esqueçam tudo isso”.

Cria do Bari, Cassano atuou por Roma, Real Madrid, Milan e Internazionale, mas nunca conseguiu atingir todo o potencial que seu talento prometia. Problemas físicos e de comportamento atrapalharam o seu percurso. Seu último clube antes do Verona havia sido a Sampdoria, e sua última partida oficial foi em maio do ano passado.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo