Serie A

Buffon foi exemplar em texto condenando pichações ofensivas no monumento do Grande Torino

Todo quarto dia de maio a cidade de Turim amanhece nublada, mesmo que o sol de primavera raie na cidade piemontesa. É a data que marca o aniversário o acidente aéreo de Superga, ocorrido em 1949. A tragédia matou todos os passageiros que estavam a bordo: os jogadores do chamado Grande Torino, o melhor time do Toro de todos os tempos; a comissão técnica e os tripulantes da aeronave. As consequências do acidente foram muitas, mas nenhuma se compara ao terrível sentimento de perda dos familiares das vítimas. Sentimento este que algumas pessoas insistem em ignorar. E pior: insistem em desrespeitar. Foi o que, infelizmente, ocorreu nesta quarta-feira.

VEJA TAMBÉM: O pai acima do ídolo: Bonucci leva o filhinho de quatro anos, torcedor do Torino, ao estádio

Em Turim, há um monumento em homenagem às vítimas da fatalidade. Todo ano no dia 4 de maio, os jogadores que atuam pelo Torino vão até esse memorial para prestar condolências e respeito ao acidente que devastou o clube. Nesta quarta, o monumento amanheceu pichado com mensagens ofensivas sobre os mortos de Superga. Sabendo disso, os torcedores do Torino rapidamente foram ao local e tentaram cobrir as pichações com tinta vermelha, enquanto aguardam a prefeitura da cidade remover adequadamente o ato abominável de vandalismo. Uma atitude insensível que surpreende, ainda que já tenhamos visto torcedores rivais extremamente irresponsáveis zombarem de vítimas de outras tragédias, como a de Heysel e, mais recentemente, a da Chapecoense.

Incomodado e inconformado com o ocorrido, Gianluigi Buffon publicou um texto em sua página do Facebook que comprova a nobreza de espírito e a esportividade em que ele se apoia enquanto atleta e ser humano. Na mensagem, o goleiro da Juventus, que disputará o Derby di Torino no próximo sábado, demonstra repúdio às mensagens pichadas e aos pichadores. Além do mais, ele se dirige diretamente a torcedores da Velha Senhora, pedindo que eles sigam os valores do clube e sejam “homens de honra”. Em suma, Gigi agiu como um ídolo exemplar deve agir escrevendo um grande texto em sua rede social, tanto para condenar o ato no monumento, quanto para mostrar respeito ao Torino, sua história e o que aconteceu em 1949.

Confira o post de Buffon traduzido:

“Em um belo dia pós-vitória, meus pensamentos estão com nossos primos do Toro. Com seus torcedores, e os gloriosos jogadores que trouxeram orgulho à nação e à fé granata. A homenagem a vocês é eterna, os campeões do Grande Torino, e perdoe aqueles que são responsáveis por atos sem nenhuma qualidade, que ridicularizam ou desrespeitam vocês nos dias de hoje, depois de quase 70 anos que vocês faleceram”.

“As vítimas estão mortas, elas não estão incomodando ninguém. Elas devem ser deixadas em paz e ser respeitadas. As vítimas têm esposas, filhos e netos, e proporcionar a eles um outro sofrimento terrível, depois de tudo que eles já sofreram, é desumano. A rivalidade, a provocação, a esportividade… A vida te dá um monte de sentimentos. Alguns dele são nobres, outros nem tanto. Mas quando você escreve faixas sem decoro e impróprias, provavelmente sem consciência plena do que está fazendo, você está mais morto do que os mortos. Me provoca raiva e desgosto ver nossos 39 anjos da tragédia de Heysel sendo torturados até hoje. Não nos deixe sucumbir às mesmas falhas”.

“Somos homens, precisamos nos distinguir se quisermos semear algo duradouro e construtivo para a humanidade que está atormentada. Não podemos nos contentar em ser medíocres e vis apenas para compensar um pouco do aqui e do agora. Em algumas situações, é melhor ser a vítima do que ser quem atormenta, porque quem atormenta será condenado pela vida a rastejar pelo inferno de suas vazias existências. As vítimas sofrerão no momento, mas depois elas perceberão que ser diferente de quem atormenta dará força a elas e segurança para que baseiem suas vidas em valores autênticos e se tornem portadores de beleza, consciência, respeito e lealdade; sem excluir qualquer concorrência ou rivalidade”.

“Torcedores da Juve, eu me dirijo a vocês porque sei que posso depois de tudo que passamos juntos. Torcedores da Juve, me permitam ter muito orgulho de vocês, porque se nós pararmos para pensar e realmente acreditarmos no que ‘lo stile Juve’ representa, e nos valores absolutos que nos caracterizam, é inconcebível traduzir e violar os sentimentos daqueles que sofreram e ainda estão sofrendo. Nós não insultamos afeição, sentimentos e memórias. Um abraço a todos que acreditam que mesmo – e especialmente – no esporte, é necessário sermos homens de honra. Hoje, amanhã, sempre e para sempre: fino alla fine”.

 

Mostrar mais

Nathalia Perez

Jornalista em formação trabalhando a favor de um meio esportivo mais humano. Meus heróis sempre foram jogadores de futebol, mas hoje em dia são muito mais heroínas.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo