Serie A

Buffon completa 44 anos e pensa em mais: “Continuo porque estou fazendo coisas que outros não fazem”

Em entrevista à Gazzetta, Buffon preferiu não estipular limites para o final de sua carreira

Gianluigi Buffon assoprou 44 velinhas nesta sexta-feira e continua feliz num campo de futebol. A aposentadoria ainda não é assunto que passa pela cabeça do goleiro, que continua na ativa com o Parma pela Serie B. Gigi, inclusive, afirmou que sua permanência em campo pode ser bem mais longa. Em tom de brincadeira, disse que, se a Itália não for para a Copa do Mundo de 2022, talvez esteja em 2026. E não dá para duvidar, diante da paixão que o veterano demonstra pelo jogo.

“Vamos ver como o Parma e eu terminaremos a temporada. Sinto a responsabilidade de representar as pessoas da cidade, que me dão um amor incondicional. Se a Itália não se classificar para esta Copa do Mundo, talvez eu possa jogar as próximas. Não ficaria surpreso de ainda estar em forma aos 48. Michael Jordan não descartou jogar até os 50 e eu o entendo. No fim das contas, respondemos em campo”, afirmou, à Gazzetta dello Sport.

Buffon até respondeu se esperava jogar o Mundial de 2022: “Não, não espero mais estar na Copa. Sempre usei o Mundial como desculpa para aqueles que perguntavam se eu continuaria jogando. A verdade é que continuo porque estou fazendo coisas que outros não fazem. No entanto, a dinâmica me faz entender que o Catar é impossível. Está tudo bem desse jeito, preciso respeitar as escolhas de um homem inteligente como Roberto Mancini. Falamos apenas há três anos, mas ele deve escolher o mais adequado, também para proteger o grupo. Temos bons goleiros”.

Gigi analisou as novidades recentes da convocação da Azzurra: “A volta de Balotelli é complicada, vamos dizer que devemos confiar em Mancini. Há uma lógica, não sei se é certo ou errado, mas há uma lógica. Quanto a João Pedro, depende de como ele vai se integrar ao grupo. Mauro Camoranesi se encaixou perfeitamente em nosso elenco”.

Buffon ainda falou sobre a Juventus. Exaltou a chegada de Dusan Vlahovic, ao mesmo tempo em que avaliou que Paulo Dybala deveria ficar no clube. “A contratação de Vlahovic é grandiosa e surpreendente. Ele é um dos melhores jogadores jovens do mundo, ao lado de Haaland e Mbappé. Ele tem algo diferente. É a evolução do camisa 9: forte fisicamente e dinâmico”, afirmou. “Sobre Dybala, eu ficaria na Juventus, mesmo por menos dinheiro, mas apenas se ele se sentir valorizado. E, se eu fosse a Juventus, ficaria empolgado com uma dupla de ataque entre Vlahovic e Dybala”.

Buffon disputou os 19 jogos do Parma nesta temporada da Serie B, com apenas 21 gols sofridos. Apesar do bom desempenho individual, os gialloblù passam longe das expectativas e correm risco de rebaixamento. Ocupam o 14° lugar na tabela, com apenas três pontos acima da zona vermelha.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo