Serie A

Bonucci: “Vou jogar por seis ou sete anos e serei treinador”

A safra de técnicos italianos tende a aumentar: Leonardo Bonucci, 30 anos, tem a carreira da prancheta no horizonte quando pendurar as chuteiras, daqui a seis ou sete anos, como contou em entrevista à Gazzetta dello Sport, depois de sua grande transferência da Juventus para o Milan, por € 40 milhões. E a sua maior inspiração vem de um ex-treinador, o atual comandante do Chelsea, Antonio Conte.

LEIA MAIS: No primeiro jogo em casa, torcida do Milan mostrou o quanto está empolgada

“Eu serei treinador. Certeza absoluta. Estou pensando nisso há quatro ou cinco anos. É algo que Conte colocou dentro de mim, eu me vejo sendo um pouco que nem ele. Eu também quero levantar um troféu como treinador”, afirmou o zagueiro, que também reservou alguns elogios ao seu técnico atual, Vincenzo Montella.

“Eu vejo muito desejo de melhorar nele, assim como de transmitir a vontade de vencer. Ele é um tático muito esperto, um treinador de muito futuro e espero vencer com ele”, afirmou. “Sua ideia de futebol é muito boa. Eu nunca vi ninguém jogar dessa maneira com uma defesa de quatro homens”. Bonucci atuou várias vezes com três homens na defesa na Juve, mas afirma que, para ele, não faz diferença o sistema tático. “Na verdade, com três há mais campo para defender. Você sabe quantas vezes eu fiquei no mano a mano?”, questionou.

Apesar de todo o investimento do Milan, contratando jogadores interessantes como Kessié, Ricardo Rodríguez, André Silva, e o próprio Bonucci, o zagueiro italiano acha que o seu novo clube ainda está um pouco atrás do seu antigo clube. “A Juventus continua favorita, e o Napoli tem uma grande chance de brigar pelo scudetto. Como estamos agora, ainda estamos um passo atrás, mas não temos que nos limitar. Depois desses dois, eu vejo Milan, Internazional e Roma como iguais”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo