ItáliaSerie A

Balotelli: gols e polêmica na estreia, mas a culpa não é dele

Gols, polêmica e comemorações marcantes – ou, basicamente, sem comemoração. O curioso é pensar que, de tudo isso, o que Balotelli não tem participação alguma é justamente a polêmica. Isso pode ser colocado na conta do árbitro Paolo Valeri. A estreia de Mario Balotelli com a camisa rossonera certamente deixou os torcedores do Milan feliz, mas o último lance do jogo deixou um gosto ruim para os torcedores. A vitória por 2 a 1 veio em um pênalti aos 48 minutos do segundo tempo, conevertido com categoria por Balotelli, mas completamente inexistente.

Balotelli precisou de 31 chutes para marcar seu primeiro gol pelo Manchester City. E apenas dois para marcar pelo Milan. Depois de um cruzamento da esquerda de Stephan El Saarawy, a bola pingou na área e Balotelli sapecou um voleio de canhota para balançar as redes pela primeira vez com a camisa do Milan, aos 25 minutos do primeiro tempo.

Foi apenas um dos muitos bons lances do primeiro tempo, em uma parceria que deu muito certo com M’Baye Niang, um dos melhores em campo no primeiro tempo ao lado da nova contratação. Tanto que, em uma tabela entre os dois “gêmeos”, quase saiu o segundo gol. Os dois usam o famoso cabelo moicano. O próprio Balotelli ainda teria a chance de marcar em um chute de fora da área, bem defendido pelo goleiro.

O gol de empate veio aos dez minutos do segundo tempo. Depois de um contra-ataque rápido, o atacante Luis Muriel arrancou pela direita e tocou para Giampiero Pinzi marcar. Desse momento em diante, o jogo tornou-se ataque contra defesa, com o Milan tomando a iniciativa, tentando pressionar no campo de ataque. E dando o contra-ataque, é verdade, tanto que a Udinese chegou a desperdiçar algumas chances.

O Milan levava perigo. Primeiro, Niang chutou com força e a bola bateu com estrondo na trave. Logo depois, Balotelli cobrou falta com categoria, mas o goleiro Padelli fez ótima defesa. Padelli, aliás, fez ótima partida, com sete defesas, sendo algumas muito importantes. Quando Niang cansou, Robinho foi chamado para seguir pressionando. O brasileiro, porém, pouco apareceu. A principal figura do Milan era mesmo Balotelli e o melhor coadjuvante era Niang. Os rossoneri seguiram tentando com chutes de fora, como Montolivo, quando tentou com uma bomba de fora da área.

Quando o jogo parecia que terminaria empatado, El Shaarawy desceu pela esquerda e tomou um carrinho preciso de Thomas Heurtaux. O árbitro Paolo Valeri, porém, não entendeu assim e apontou a marca do pênalti, o que gerou a revolta do treinador Francesco Guidolin e dos jogadores da Udinese. Balotelli, que desta vez não tinha nada a ver com a polêmica, cobrou com categoria para marcar 2 a 1 e dar a vitória ao time. Vitória, aliás, que foi muito comemorada por ele e pelos companheiros. O Milan sobe a 40 pontos e se iguala à rival Inter, porém com saldo melhor. E o time assume a quarta posição, entrando definitivamente na briga pela vaga na Liga dos Campeões. Os três primeiros da Serie A se classificam à competição europeia.

Confira os resultados da 23ª rodada da Serie A:

Sexta-feira, 1º/fev
Roma 2×4 Cagliari

Sábado, 2/fev
Torino 0×0 Sampdoria
Napoli 2×0 Catania

Domingo, 3/fev
Chievo 1×2 Juventus
Palermo 1×2 Atalanta
Pescara 2×3 Bologna
Siena 3×1 Internazionale
Genoa 3×2 Lazio
Fiorentina 2×0 Parma
Milan 2×1 Udinese

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo