ItáliaSerie A

Árbitros explicando suas decisões polêmicas na TV? Na Itália, pode acontecer em breve

Se tem um país que não está para brincadeira quando o assunto é discutir novidades que diminuam as polêmicas de arbitragem, este país é a Itália. Depois de se abrir como cobaia para testes de tecnologias propostas para o futebol mundial nos últimos anos, como a da linha do gol e a de replays instantâneos para os árbitros, agora os italianos ensaiam a introdução de entrevistas pós-jogo de profissionais da arbitragem, abrindo espaço para que eles possam explicar seus erros ou decisões mais polêmicas.

VEJA TAMBÉM: Nova bola da Bundesliga terá “quadrinhos” para exaltar os símbolos do futebol alemão

A ideia é de Marcello Nicchi, presidente da Associação Italiana de Árbitros. A atual temporada italiana, em particular, tem registrado diversos casos polêmicos de reclamações contra a arbitragem, como as de Montella e Mancini após o duelo entre Sampdoria e Internazionale, no início deste mês, e, cansado das controvérsias, Nicchi quer ao menos discutir a possibilidade de que os árbitros possam explicar seu lado da história após decisões duvidosas.

“Temos que continuar amortecendo qualquer controvérsia desnecessária. Será algo experimental, mas, se ajudar a criar uma atmosfera mais calma e a eventualmente eliminar a controvérsia do mundo do futebol, é provável que nos próximos dois ou três anos os árbitros possam falar após os jogos”, afirmou Marcello Nicchi, em entrevista à emissora italiana RAI.

Se, em alguns casos, imaginar um profissional da arbitragem explicando suas decisões na TV pode suscitar imagens de ainda mais discussão e polêmica, considerando que, em maioria dos episódios, as pessoas já imaginam qual pode ter sido a perspectiva do árbitro quando tomou determinada decisão equivocada, por outro lado, a combinação árbitros e TV também pode gerar cenas de empatia e perdão, como no caso do turco Deniz Coban, que invadiu a entrevista de Riza Calimbay, técnico do Kasimpasa, para se desculpar por um erro que prejudicou a equipe de Calimbay.

A intenção de Nicchi é boa, visa diminuir polêmicas que às vezes desviam o foco dos jogos, mas parte de uma premissa inocente, que pressupõe ser possível acabar com discussões tão inerentes ao esporte quanto a grama e a bola. Ainda que os árbitros ganhem 30 minutos cada de exposição em TV aberta, isso não irá torná-los isentos de críticas. Talvez em casos emocionais, como o do turco acima, mas não dá para esperar esse mesmo tipo de reação compreensível como regra. De qualquer forma, a simples continuidade dos italianos em debater o tema da arbitragem é algo de que todo o mundo do futebol pode se beneficiar. Eventualmente, boas ideias surgem.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo