Esta quarta-feira (6) reserva um dos maiores confrontos domésticos da Itália. O líder Milan recebe a atual eneacampeã Juventus, e uma figura com passagem pelos dois clubes analisou o momento vivido pelas duas equipes. Carlo Ancelotti, hoje técnico do Everton, já esteve no comando de ambos os rivais que se enfrentam nesta semana e, como alguém que acompanha de perto o futebol italiano, deu seus pitacos sobre os trabalhos de Stefano Pioli e Andrea Pirlo à frente da dupla.

Ancelotti viu o período sem Zlatan Ibrahimovic como um teste ao Milan, que, para ele, respondeu com qualidade ao desafio da ausência de seu principal jogador, lesionado e fora dos últimos 12 jogos da equipe.

“Pioli está trabalhando muito bem. O Milan tem uma ideia clara de como jogar. A ausência do Ibrahimovic foi um teste, e eles passaram com destaque. O grupo respondeu em campo e acreditou em seu treinador”, destacou, em entrevista à Gazzetta dello Sport.

Andrea Pirlo, que já foi treinado por Ancelotti e vive nesta temporada seu início de carreira como treinador, viveu momentos de dúvida em seus primeiros meses no cargo, mas Ancelotti acredita que o novato está reagindo. “O Pirlo não tem uma varinha mágica, mas ele venceu por 3 a 0 em Barcelona e classificou o time para as oitavas de final da Champions League. Nem todo mundo conseguiu isso.”

Para Ancelotti, tanto Milan quanto Juventus têm motivos para acreditar na vitória nesta quarta-feira, cada qual com sua força e sua recompensa: “O Milan tem a oportunidade de estender sua sequência, e a Juventus pode continuar sua recuperação. O Milan mostrou que não depende do Ibrahimovic, a Juventus mostrou sinais de consolidação”.

De forma mais ampla, Ancelotti vê a briga pelo Scudetto bastante aberta. No momento, aponta três concorrentes, a Juve entre eles, mesmo estando apenas na quinta colocação, com dez pontos a menos que o líder Milan. Ainda assim, não ousa descartar uma dupla que tem ido bem neste início de temporada.

“É uma corrida entre três clubes, com Milan, Inter e Juventus. No entanto, o Napoli tem os recursos para se envolver na briga, e a Roma parece sólida.”

Na segunda colocação, com um ponto a menos que o Milan, a Inter tem a seu favor o fato de não estar mais em disputas europeias, eliminada da Champions League como lanterna de seu grupo. Com um treinador experiente em brigar por títulos nacionais como Antonio Conte, Ancelotti, por fim, enxerga os nerazzurri fortes na disputa pela Serie A: “A verdadeira força da Inter, além dos jogadores de qualidade como o Lukaku, é o treinador. Ele (Conte) está acostumado a lutar por grandes troféus. Conte venceu campeonatos na Itália e na Inglaterra”.