Serie A

A Salernitana emenda vitórias e a salvação, que antes parecia missão hercúlea, já surge no horizonte

A Salernitana derrotou a Fiorentina neste domingo e, com três vitórias seguidas, ficou a três pontos de deixar o Z-3

Durante um bom tempo, a Salernitana pareceu condenada ao rebaixamento na Serie A. O futebol apresentado era pobre e os sinais de reação eram nulos. Foram apenas oito pontos conquistados até o fim de dezembro, com muitas goleadas sofridas e a lanterna absoluta antes da pausa de inverno. Desde o começo do ano, os grenás começaram a se mexer. Fizeram um mercado bastante movimentado em janeiro e, no meio de fevereiro, apostaram em Davide Nicola como treinador. Alguns sinais de melhora começaram a surgir, entre mais empates e derrotas apertadas contra adversários de peso. Até que, enfim, a Salernitana deslanchasse na última semana. São três vitórias consecutivas, após três vitórias nas 32 rodadas anteriores. Neste domingo, diante de uma vibrante atmosfera no lotado Estádio Arechi, os grenás venceram a embalada Fiorentina por 2 a 1. O time já é o antepenúltimo colocado e fica a três pontos de sair do Z-3, o que parece totalmente possível.

Durante a primeira metade da Serie A, a Salernitana de longe era o pior time. Claramente os grenás permaneciam um nível abaixo, e não foi a mudança de treinador que melhorou as coisas. Nem mesmo a presença de Franck Ribéry no elenco servia de alento. A própria instabilidade nos bastidores atrapalhava, já que o acesso teve como coproprietário o empresário Claudio Lotito, também dono da Lazio. Com isso, a Salernitana precisou de novos administradores e a demora na venda quase gerou o risco de rebaixamento automático. Danilo Iervolino foi confirmado como novo presidente praticamente no último momento possível, mas traria um fôlego financeiro importante para a janela de janeiro.

A Salernitana precisava de reforços e buscou nomes interessantes. O volante Éderson e o centroavante Mikael foram soluções trazidas do Brasileirão, enquanto Simy tinha seu histórico respeitável na Serie A. Outros mais rodados como Federico Fazio, Simone Verdi, Diego Perotti e Luigi Sepe também foram levados. Os grenás ganhavam um time praticamente novo para buscar um caminho. E se o técnico Stefano Colantuono ainda conseguiu emendar alguns empates, a chegada de Davide Nicola em fevereiro garantia um especialista em sobrevivências na Serie A.

Nicola se tornou um “célebre” bombeiro do Campeonato Italiano. O treinador conseguiu evitar riscos de descenso à frente de equipes como Genoa e Udinese. Seu maior milagre, ainda assim, viria com o Crotone em 2016/17. Quando restavam mais nove rodadas, a equipe estava a oito pontos de escapar do descenso. Nicola conduziu seus jogadores a faturarem seis vitórias e dois empates no intervalo, o que garantiu uma sensacional escapada.

A Salernitana chegou a sofrer uma goleada por 5 a 0 diante da Internazionale, já sob as ordens de Nicola, mas empatou com o Sassuolo e teria derrotas mais apertadas contra adversários fortes, a exemplo de Juventus e Roma. Isso até que as vitórias surgissem nas rodadas recentes. O time venceu a Sampdoria e a Udinese na última semana. Já neste domingo, num desafio de mais peso contra a Fiorentina, outro triunfo, por 2 a 1. Milan Duric abriu o placar em cabeçada no primeiro tempo e, depois que Riccardo Saponara empatou, Federico Bonazzoli definiu o triunfo a dez minutos do fim, punindo um desleixo violeta na área. Seis titulares eram reforços da janela de inverno, incluindo Éderson.

A energia da torcida no Estádio Arechi indica também outra virtude para tentar a permanência. Há um vento favorável soprando nesse momento. A Salernitana chegou aos 25 pontos, três a mais que Genoa e Venezia, além de três atrás do Cagliari. Escapar da zona de rebaixamento, hoje, parece totalmente factível. E a tabela também oferecerá suas ajudas. Embora os grenás ainda tenham a Atalanta pela frente, de resto pegam apenas outros times da metade inferior da tabela, com confrontos diretos diante de Cagliari e Venezia em casa. Olhando as cartas na mesa, a salvação nem soa mais como o milagre que parecia necessário até meses atrás.

Standings provided by SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo