Itália

Sacchi vê disputa pelo título “mais incerta e equilibrada” com surpresa Lazio e Inter de Conte

Figura histórica do futebol italiano, o ex-treinador Arrigo Sacchi prevê uma disputa pelo título incerta e equilibrada, com a surpreendente Lazio de Simone Inzaghi e a Internazionale de Antonio Conte fazendo com que a Juventus, atual octacampeã nacional, tenha que suar se quiser conquistar mais um scudetto.

[foo_related_posts]

Em uma coluna para a Gazzetta dello Sport, Sacchi reservou palavras elogiosas principalmente para a Inter. Segundo ele, o espírito e a motivação do time já estão altos e a qualidade do treinador Conte é indiscutível.

Juventus e Internazionale estão empatadas em 42 pontos em 17 rodadas. A Lazio aparece com 36 e um jogo a menos.

“Espero que seja mais divertida e que, no fim do dia, o time que mereça mais seja o vitorioso”, afirmou. “Os nerazzurri, apesar de muitas lesões, confortavelmente venceram o Genoa por 4 x 0. A Inter jogou muito bem no fim de semana, com boas movimentações e evidente progresso em seu futebol”.

“Foi a formação 3-5-2 habitual, mas com uma interpretação muito mais ofensiva, tanto dos três defensores, mas acima de tudo de Cristiano Biraghi e Antonio Candreva pelas alas. No ataque, os homens de Conte praticaram uma posse rápida, mantendo a bola nos pés com muitas variações”.

“Avançaram mais com passes do que com bolas longas, mantiveram distâncias curtas entre os jogadores e podem usar a força bruta de um atacante como Romeu Lukaku, o protagonista generoso do jogo. O Maior desenvolvimento da Inter foi na pressão, que manteve o Genoa em constante estado de confusão”, disse.

Ajuda também que a Juventus, apesar do ótimo aproveitamento, ainda não atingiu o topo da forma sob o comando de Mauricio Sarri, duas vezes derrotada pela Lazio este mês, tanto pela Serie A, quanto pela Supercopa da Itália.

“Ainda estamos em uma fase de altos e baixos”, disse Sarri, em entrevista à Sky Sports da Itália. “Temos momentos em que realmente jogamos em equipe, outros em que nos perdemos por um momento. É normal. O Liverpool de Klopp, campeão europeu e mundial, nos dois primeiros anos, ficou em décimo primeiro e oitavo lugar (na verdade, oitavo e quarto lugar). Aqui a mentalidade é diferente e é mais difícil ter uma evolução mais lenta, mas mais duradoura”.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo