Copa do MundoItáliaMundo

A questão física pesou, e Rossi vai enfrentar mais uma frustração

Giuseppe Rossi trabalhou duro para disputar a Copa do Mundo. Conseguiu voltar aos gramados a tempo e foi incluído na lista de 30 jogadores de Cesare Prandelli, mas, mais uma vez, não vai defender as cores da seleção italiana em um grande torneio internacional. A convocação final, divulgada neste domingo, não contém o nome do atacante da Fiorentina.

Leia também: A Roma terá mesmo uma candidata fortíssima a camisa mais bonita de 2014/15

A ausência de Rossi não pode ser necessariamente considerada uma surpresa. Há muito tempo, Prandelli fala da importância da questão física no torneio que vai ser disputado no Brasil. A Itália abre os trabalhos contra a Inglaterra, no calor de Manaus, e ainda joga em Natal e no Recife. O retorno de Francesco Totti chegou a ser discutido no país, mas, entre outros motivos, essa exigência acima do comum também pesou na decisão de não apostar no veterano jogador da Roma.

E Rossi ainda não está em plena forma, depois de uma séria lesão nos ligamentos do joelho. Jogou 18 minutos da final da Copa Itália contra o Napoli e fez dois gols nas últimas três rodadas do Campeonato Italiano. Foi o suficiente para ganhar uma chance na preparação da Itália para o Mundial. Não foi o suficiente para permanecer nela.

Rossi ficou 71 minutos em campo contra a Irlanda, no último sábado, mas não convenceu Prandelli, embora não tenha sentido dores. O técnico italiano preferiu Lorenzo Insigne, do Napoli, que faz companhia a Mario Balotelli, Ciro Imobille, Antonio Cassano e Alessio Cerci no sistema ofensivo da tetracampeã. O corte de Ricardo Montolivo, que se lesionou contra os irlandeses, também foi confirmado.

Mas ninguém deve estar mais frustrado que Rossi, talvez o mais técnico atacante dessa geração italiana. Marcelo Lippi o deixou de fora do Mundial de 2010, por opção, e Prandelli não pode levá-lo à Eurocopa de 2012, por lesão. Agora, mais uma vez os infortúnios afastaram o talentoso canhoto de uma grande competição internacional. Aos 27 anos, ele tem pelo menos mais duas – a Euro de 2016 e a Copa de 2018 – para tentar brilhar com a camisa azul da Itália.

Confira a lista de 23 convocados da Itália:

Goleiros: Gianluigi Buffon (Juventus), Salvatore Sirigu (Paris Saint-Germain-FRA) e Mattia Perin (Genoa);

Defensores: Ignazio Abate (Milan), Andrea Barzagli (Juventus), Leonardo Bonucci (Juventus), Giorgio Chiellini (Juventus), Matteo Darmian (Torino), Mattia De Sciglio (Milan) e Gabriel Paletta (Parma);

Meio-campistas: Alberto Aquilani (Fiorentina), Antonio Candreva (Lazio), Daniele De Rossi (Roma), Claudio Marchisio (Juventus), Thiago Motta (Paris Saint-Germain-FRA), Marco Parolo (Parma), Andrea Pirlo (Juventus) e Marco Verratti (Paris Saint-Germain);

Atacantes: Mario Balotelli (Milan), Antonio Cassano (Parma), Alessio Cerci (Torino), Ciro Immobile (Torino) e Lorenzo Insigne (Napoli).

Você também pode se interessar por:

>>>> Por que o que Aidar disse foi tão ofensivo ao Napoli

>>>> Diz aí, por que é importante para o Torino ver Immobile como artilheiro da Serie A?

>>>> A Inter encerra uma era celeste com o adeus de quatro grandes bandeiras

>>>> O Parma deixou o Milan de fora de competições europeias pela primeira vez em 16 anos

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo