EurocopaItália

Presidente da Federação Italiana confirma intenção de sediar a Eurocopa em 2028 ou 2032

Itália quer aproveitar a chance de um grande evento para resolver um dos grandes problemas do país: os estádios defasados

O presidente da Federazione Italiana Giuoco Calcio (FIGC), Gabriele Gravina, confirmou a intenção da Itália em ser sede da Euro 2028 e 2032, algo que faz com que a conversa sobre a renovação dos estádios italianos volte à pauta. Os estádios defasados são apontados como um dos principais problemas do futebol italiano desde que sediou a Copa do Mundo de 1990, que gerou a renovação de diversos estádios no país. A Euro seria mais um motivador para, enfim, fazer uma renovação. A maioria dos estádios italianos são públicos.

Gravina já tinha deixado no ar a intenção de sediar um grande evento e indicou que o país poderia ser candidato a sediar a Euro 2028 e até a Copa 2030. No caso desta última, se especulou até mesmo uma parceria inusitada com a Arábia Saudita, algo que depois foi desmentido – e que soou mais como um balão de ensaio para saber se teria aceitação pública.

“O passo decisivo para a Euro 2028 será em março e iremos apresentar nossa candidatura antes da reunião do Comitê Executivo da Uefa no dia 20 de março, o que também fica aberto para 2032”, disse Gravina, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira.

“Iremos continuar avaliando as duas opções. Iremos fazer isso de modo sério, porque há um grande desejo pela renovação de infraestruturas, por exemplo em Florença, Cagliari, Bolonha e Bari”, informou o presidente. Há projetos de reforma em vários desses estádios, mas estão parados pela burocracia da política regional italiana.

O caso de Florença é bastante simbólico. O dono da Fiorentina, Rocco Comisso, afirmou várias vezes que tem o desejo de construir um novo estádio para o clube ou mesmo reformar o atual, Artemio Franchi. Comisso diz que os políticos italianos criam complicações para que qualquer uma das opções vá à frente.

A ideia é que com os recursos para sediar a Euro 2028 e 2032 seja possível fazer as reformas nos estádios italianos. A Roma é mais um clube que há anos fala em construir um novo estádio e deixar o clássico Estádio Olimpico, na capital.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo