Itália

O Südtirol será uma grata novidade na Serie B italiana, em acesso faturado ao lado de Modena e Bari

Localizado na fronteira com a Áustria, o Südtirol é o primeiro clube de sua região na Serie B desde 1947/48

A Serie C do Campeonato Italiano equivale a quatro competições paralelas dentro de uma só. Os três acessos diretos são definidos em três ligas regionalizadas de 20 times cada, em que apenas o campeão sobe. A promoção restante fica para playoffs gigantescos que envolvem 28 times. Nesta temporada, o primeiro a confirmar sua vaga na Serie B de 2022/23 foi o tradicional Bari, se reconstruindo após declarar falência. Já neste final de semana, outros dois times subiram. O Modena é outro tradicional, com histórico na Serie A. A novidade fica para o Südtirol, que pela primeira vez figurará na segunda divisão.

O Südtirol é um clube relativamente recente, fundado em 1995, na província autônoma de Tirol do Sul – que, encravada na fronteira com a Áustria, possui o alemão como idioma mais falado entre seus 500 mil habitantes. A região é mais conhecida por seu desempenho nos esportes olímpicos de inverno e no montanhismo, com pouca tradição no futebol. Tanto é que a única participação na Serie B tinha acontecido em 1947/48, com o extinto Bolzano. Assim, o Südtirol nasce exatamente para ocupar essa lacuna e tentar impulsionar o esporte regional, contando com o apoio de investidores locais.

A trajetória do Südtirol começou no equivalente à sexta divisão do Campeonato Italiano. A equipe galgou degraus sem sofrer rebaixamentos e se estabilizou na terceira divisão a partir de 2010/11. Também bateu na trave algumas vezes. Em 2013/14, sucumbiu na final dos playoffs contra o Pro Vercelli. Já em 2017/18, seria vice-campeã de seu grupo na terceirona, abaixo do Padova. Nos últimos anos, os biancorrossi se acostumaram a brigar pelas cabeças, com a quarta posição em 2019/20 e a terceira em 2020/21. Até que o feito se consumasse em 2021/22.

O Südtirol assumiu a liderança do Grupo A da terceira divisão no meio do primeiro turno e não saiu mais. O principal perseguidor era o Padova, numa disputa de altíssimo nível, em que ambas as equipes só sofreram duas derrotas. O confronto direto aconteceu na penúltima rodada e o empate por 0 a 0 manteve os biancorrossi dois pontos à frente. Neste domingo, o acesso se confirmou com o triunfo por 2 a 0 sobre a Triestina. O técnico é o croata Ivan Javorcic, de carreira ligada ao Brescia, além de um longo trabalho pela Pro Patria. Em campo, o destaque individual é o meia Daniele Casiraghi, autor de ambos os gols do acesso. Já o goleiro Giacomo Poluzzi teve um desempenho incrível com somente nove gols sofridos em 38 partidas, além de 29 jogos sem ser vazado. Não sofreu dois tentos num mesmo jogo uma vez sequer.

Por sua vez, o Modena possui 13 temporadas na Serie A, a última delas em 2003/04, e 50 na Serie B. Os gialloblù enfrentaram dificuldades financeiras nos últimos anos, que culminaram na falência em 2017/18. A reconstrução começou com o acesso imediato na Serie D em 2018/19. Depois disso, foram duas campanhas na terceirona, até que a nova promoção fosse registrada. Será a primeira aparição do clube na segunda divisão nacional desde 2015/16, quando caíram sob as ordens de Hernán Crespo na maior parte da campanha.

O Modena se estabeleceu na liderança do Grupo B da Serie C a partir do segundo turno. Os gialloblù também sofreram uma perseguição ferrenha da Reggiana, que aproveitou alguns tropeços dos líderes na reta final para manter as esperanças. Mas, dois pontos à frente, o Modena só precisava de uma vitória simples contra a frágil Pontedera na rodada final. Acabou goleando por 4 a 0, mais que suficiente à subida. O técnico é o experiente Attilio Tesser, especialista em acessos que já tinha subido antes com Novara, Cremonese e Pordenone.

Por fim, vale destacar a bonita festa da torcida do Bari no Estádio San Nicola, no último jogo da campanha. Apesar das arquibancadas abarrotadas, os Galletti perderam para o Palermo por 2 a 0 – resultado ao menos sem efeito para a conquista do time. Os rosaneri, por sua vez, disputarão os playoffs. Os mata-matas envolverão outras camisas tradicionais, incluindo Catanzaro, Reggiana, Padova, Cesena, Avellino, Piacenza, Pescara, Pro Vercelli, Pro Patria, Foggia e Triestina. Só o campeão dos mata-matas sobe.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.
Botão Voltar ao topo