Copa da ItáliaItália

Na estreia de Eriksen, Inter vence Fiorentina e semifinais da Copa da Itália serão com pesos pesados

No dia da estreia de Christian Eriksen e Victor Moses, que entraram no segundo tempo, a Internazionale venceu a Fiorentina por 2 a 1 e avançou à semifinal da Copa da Itália, nesta quarta-feira. A vitória dos nerazzurri em San Siro faz com que os quatro semifinalistas sejam times dos mais pesados na Itália: Juventus e Milan de um lado, Inter e Napoli de outro. É uma chance de título, ainda mais para Milan e Napoli, que estão longe da disputa pelo scudetto.

[foo_related_posts]

Com um time forte em campo, Conte fez uma alteração no seu tradicional esquema 3-5-2. Colocou Matías Vecino no meio-campo ao lado de Nicolò Barella, com os dois alas, um de cada lado – sendo um deles Ashley Young, pela esquerda – e três jogadores no ataque: Alexis Sánchez um pouco mais atrás e Romelu Lukaku e Lautaro Martínez mais à frente. Uma leve alteração, mas que permite, por exemplo, a entrada de Christian Eriksen justamente na posição onde jogou o chileno.

O primeiro tempo teve a Inter um pouco melhor, mas com bastante dificuldade no campo de ataque. Com mais posse de bola, tentava chegar, mas só criou mesmo uma grande chance. A única mexida no placar veio no final. Em uma boal trabalhada pela direita, que começa com Candreva, passa por Barella e volta a Candreva, ele tenta o passe para Lautaro Martínez, que cai na área, mas a bola sobra para o próprio Candreva tocar de pé esquerdo e marcar 1 a 0, aos 44 minutos.

No segundo tempo, o técnico da Fiorentina, Giuseppe Iachini, colocou em campo o atacante Patrick Cutrone no lugar de Milan Badelj, tentando dar mais força ofensiva ao time. E aos 15 minutos, os visitantes chegaram ao empate. Erick Pulgar cobrou escanteio e Martín Cáceres venceu o duelo pelo alto com Lautaro Martínez para marcar: 1 a 1.

Só que o placar não ficou assim por muito tempo. Aos 21 minutos, Christian Erikssen estreou pela Inter substituindo Alexis Sánchez. O chileno mais uma vez foi apagado em campo e parece não encontrar espaço no time.

Um minuto depois da entrada do dinamarquês. Vecino chegou pela direita à linha de fundo, cruzou e Nikola Milenkovic afastou de cabeça. Só que Barella pegou de primeira, de fora da área, e acertou o canto: 2 a 1 para a Inter.

Pouco depois do gol, aos 29 minutos, o técnico Antonio Conte promoveu mais uma estreia. Colocou em campo o ala Victor Moses, que entrou no lugar de Antonio Candreva. Como esperado, atuou pela ala direita. É um jogador mais ofensivo, mais rápido e mais perigoso, ofensivamente, que Candreva. Na última mudança, Sebastiano Esposito entrou no lugar de Romelu Lukaku, que não conseguiu fazer um grande jogo.

Eriksen conseguiu entrar bem em campo dando mais criatividade e se conectando bem aos atacantes. A disposição de conte de mudar um pouco o esquema para ter um jogador mais próximo dos dois atacantes para municiá-los. Tentou tocar mais e melhor a bola. Teve pouco tempo, mas conseguiu dar alguns sinais do que pode fazer. Assim como Moses, pelo lado direito, entrou para tentar dar velocidade, embora tenha conseguido fazer pouco em campo.

Normalmente um destaque do time, o ataque da Inter não foi tão eficiente quanto tem acontecido nos últimos jogos. No dia que Eriksen entrou em campo pela primeira vez com a camisa da Inter, foi Nicolò Barella que mostrou qualidade e teve uma ótima atuação. Matías Vecino, que tem sido especulado para deixar o time, também fez bom jogo e mostrou que pode ser uma opção se ficar. Até Ashley Young, pela ala esquerda, fez boa partida, tal qual Antonio Candreva.

No final, a vitória por 2 a 1 classificou a Inter à semifinal da Copa da Itália, que será disputada em dois jogos. O adversário da Inter será o Napoli, que eliminou a atual campeã, Lazio. Os jogos serão disputados nos dias 12 de fevereiro a ida, em Nápoles, e quatro de março a volta, em Milão. A final será no dia 13 de maio.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo