Itália

Jogo de risco

Na teoria, muita coisa é possível. Mesmo para quem estuda muito uma estratégia, conhece todos os seus detalhes, na prática tudo pode ser diferente. Em Jogo de Risco, filme de William Phillips, de 2005, um trio de amigo elabora planos à prova de falhas para assaltos espetaculares, mas que nunca foram colocados em prática. Gian Piero Gasperini, novo técnico da Inter, terá pela frente um desafio parecido: fazer funcionar o seu esquema tática preferido, o 3-4-3, nos nerazzurri.

Chegar em um novo clube é sempre um desafio para o treinador. Especialmente se a equipe foi vencedora nas últimas temporadas. Colocar as suas ideias em prática pode ser perigoso, mudando algo que já está funcionando. Por outro lado, não fazer isso pode resultar na perda da oportunidade de fazer valer as suas convicções no futebol. Esse é um dilema que, ao que parece, Gasperini, não teme. Ou, ao menos, mostra que se esforçará para fazer o seu esquema funcionar.

Adepto do 3-4-3 como seu esquema preferido, trabalhou assim no Genoa durante boa parte dos seus cinco anos nos rossoblu. A sua chegada na Inter tem diversas expectativas e uma delas era saber se o técnico tentaria implantar seu esquema preferido. E o que se observou nos primeiros amistosos é que, sim, o time deve jogar mesmo no 3-4-3. Uma ousadia de Gasperini, mas que é plenamente justificada.

A Inter tem no elenco três zagueiros de alto nível: Lúcio, Walter Samuel e Andrea Ranocchia. Como opções, Iván Córdoba e Cristian Chivu estão entre os principais, mas há garotos que vem sendo testados, como Luca Caldirola. Na linha de meio, houve variação, mas as opções são fartas. O time jogou contra o Galatasaray com Yuto Nagatomo na ala direita, Dejan Stankovic e Wesley Sneijder no centro, e o nigeriano Obi no lado esquerdo.

No primeiro jogo, contra a Cremonese, a formação tinha Davide Santon pelo lado direito, os mesmos jogadores no centro e o jovem Lorenzo Crisetig, volante canhoto, pelo lado esquerdo. No ataque, o recém contratado Ricky Álvarez tem jogado do lado esquerdo, com Giampaolo Pazzini e Samuel Eto’o. No jogo contra o Galatasaray, o holandês Luc Castaignos saiu jogando no setor. O macedônio Pandev entrou nos dois confrontos.

Claro que essas opções foram usadas porque Gasperini ainda não têm todo o elenco à disposição, especialmente pela disputa da Copa América. Mas o que deve ser notado é que o técnico testa suas opções para atuar da forma que mais gosta e o elenco da Inter oferece essa possibilidade.

No gol e na defesa, não há muita dúvida sobre quem irá jogar. No meio-campo, a dúvida é maior. Maicon deve ser o jogador do lado direito do meio, cumprindo a função de ala. O centro é uma dúvida. Pode ter um meio mais marcador, com Esteban Cambiasso e Thiago Motta, deixando Javier Zanetti pelo lado esquerdo. Também pode ter Sneijder no lugar de Motta, tornando o time mais leve e abrindo espaço para mais um atacante. Nagatomo e Santon, eventualmente, podem também atuar pelos dois lados.

Ricky Álvarez, em suas primeiras aparições com a camisa nerazzurra, atuou pelo lado esquerdo, mas fechando o time como um meio-campista na recomposição, ajudando na marcação. Ainda é cedo para dizer que ele será o titular, já que Pandev pode fazer a mesma função e tem mais experiência. Sneijder também pode atuar mais como atacante ou até ser um trequartista, atrás dos outros dois nomes certos, Eto’o e Pazzini.

Seja qual for o resultado da experiência de Gasperini, será interessante ver como o time se comportará atuando dessa forma. Maicon, por exemplo, pode ganhar muito mais força ofensiva com a proteção mais forte na defesa. A chave para o esquema dar certo é o meio-campo. O papel que Sneijder desempenhará, mais recuado, armando o jogo mais atrás e recompondo para não deixar um buraco, será fundamental, assim como a participação dos três atacante na marcação – algo que Mourinho conseguiu fazer com Eto’o e Pandev atuando pelas pontas no seu 4-2-3-1 campeão da Liga dos Campeões. Mas mesmo Mourinho só achou sua formação ideal com a Inter no segundo ano.

Veremos o que acontece com Gasperini – e o quanto a diretoria está disposta a esperar, caso as coisas não deem certo logo de início. O que se espera é que a Inter dispute o scudetto e faça uma boa campanha na Liga dos Campeões – chegar ao menos nas quartas de final. Esse será o desafio de Gasperini. Um jogo de risco.

O começo de Conte na Juve

A Juventus começou o seu trabalho sob o comando de Antonio Conte com uma formação próxima do que se esperava. A escalação do time que jogou neste domingo contra o Leões foi a seguinte (com as alterações entre parênteses): Gianluigi Buffon (Storari); Stephan Lichtsteiner (Marco Motta), Andrea Barzagli (Leonardo Bonucci), Giorgio Chiellini e Reto Ziegler (Paolo De Ceglie); Milos Krasic (Jorge Martínez), Michele Pazienza (Luca Marrone), Andrea Pirlo (Manuel Giandonato) e Claudio Marchisio (Elio De Silvestro); Alessandro Matri (Alessandro Del Piero) e Fabio Quagliarella (Luca Toni).

O trabalho do técnico parece ter dado seguimento ao 4-4-2 do antecessor, com peças de mais qualidade – notoriamente os laterais e a presença de Pirlo no meio-campo. Quagliarella deve mesmo ser o titular, mas a Juventus ainda espera conseguir trazer mais um jogador para o setor – Giuseppe Rossi, do Villarreal, ainda é especulado, assim como Sergio Agüero, mas ambas são contratações difíceis. Com isso, a dupla titular deve ser a que entrou em campo, com Del Piero entrando no lugar de um dos dois jogadores, eventualmente.

O amistoso com os portugueses acabou 2 a 1 para o Sporting, mas nesses amistosos de início de temporada, o que menos importa é o resultado, e mais a preparação do time, especialmente aqueles que têm um técnico novo. Ainda em tour pela América do Norte, os bianconeri enfrentarão o América nesta terça, 26 de julho, em Nova York, além do Chivas, outro mexicano, em Raleigh, na quinta-feira, 28. No dia 13 de julho, o clube fará um amistoso com o Betis, no estádio Arechi, em Salerno.

Com os bianconeri com o elenco que têm e com o time base que se desenha, o objetivo será voltar à Liga dos Campeões. Brigar pelo título talvez ainda seja demais para o time. Só que mais uma temporada fora do principal interclubes da Europa será certamente um fracasso.

Milan inicia os trabalhos

O primeiro amistoso do Milan na temporada foi contra a equipe semi-amadora Solbiatese Arno Calcio, com o placar de 12 a 0. Nos dois tempos do amistoso, os times que entraram em campo foram: 1° Tempo: Abbiati (Amelia), Antonini, Nesta, Oddo, Taiwo, Flamini, Van Bommel, Seedorf, Valoti, Ibrahimovic, Cassano. 2° Tempo: Amelia (Roma), Abate, Bonera, Ferreira(De Sciglio), Zambrotta (Fossati), Gattuso, Ambrosini, Emanuelson, Boateng, Paloschi (Comi), Inzaghi.

Os rossoneri ainda terão os reforços de Thiago Silva, Robinho e Pato, que estavam com a Seleção Brasileira. O próximo compromisso do time é a Copa Audi, disputada na Alemanha, será a partir desta terça, 26 de julho. Além do Milan, Bayern Munique, Internacional e Barcelona participam. Depois, o time joga a Supercopa da Itália, no dia 6 de agosto, contra a Inter.

Depois do título italiano, Massimiliano Allegri terá a missão de manter o time competitivo. Como disse Clarence Seedorf, o trabalho começa no scudetto, mas a expectativa é que vá além disso.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo