Itália

Itália comemora atuação contra a Alemanha, mas deixa bem claro: ainda tem muito trabalho pela frente

A tetracampeã mundial segurou o empate contra a Alemanha, após sofrer uma pesada derrota para a Argentina na Finalíssima

Roberto Mancini prometeu renovar a sua equipe depois da Finalíssima contra a Argentina durante a semana e não decepcionou. Promoveu a estreia de cinco novos jogadores contra a Alemanha e, dadas as circunstâncias, o empate por 1 a 1 ficou de bom tamanho. O técnico campeão europeu se satisfez com o desempenho, mas enfatizou que foi apenas um primeiro passo.

Dos estreantes, Davide Frattesi foi titular no meio-campo, com Tommaso Pobega, Samuele Ricci, Matteo Cancellieri e Wilfried Gnonto, garoto de 18 anos que deu assistência para o gol de Lorenzo Pellegrini, saindo do banco de reservas.

“Um resultado não muda nada, ainda temos uma longa estrada pela frente. Eles foram muito bem. Não é fácil. A Alemanha é um dos melhores times do mundo no momento. Nós hesitamos um pouco no começo, mas pouco a pouco começamos a jogar. Foi a primeira vez que eles jogaram juntos e fizeram um grande trabalho. Sofreram quando tiveram que sofrer, atacaram quando tiver que atacar. Podemos apenas torcer para esses jovens jogadores se desenvolverem rapidamente”, disse, à RAI.

Jogador da base da Internazionale, Gnonto foi atrás de tempo de jogo pelo Zurique, do Campeonato Suíço. Foi dele a jogada de ponta direita e o cruzamento para o gol de Pellegrini. “Eu sabia que Kehrer já tinha amarelo, então, quando peguei a bola, não pensei em nada além de driblá-lo. Eu estava determinado a superá-lo e a bola daquele ângulo é a mais difícil para o goleiro e os defensores. Se você é um atacante, você tem que fazer a diferença e eu fiz isso”, comemorou.

Pellegrini, candidato a ser um dos líderes da nova seleção italiana que Mancini está montando, ficou feliz com o resultado após muitas críticas pela derrota para a Argentina. “Vimos um time contra uma equipe alemã de muita intensidade. Mostramos o ponto a partir do qual esta seleção recomeçará. Tentou sempre ser honesto. Há muitos garotos que estão trabalhando duro nos treinos, a 100%, e eu nunca vi ninguém conseguir resultados sem fazer isso, então estamos no caminho certo”, disse.

“É importante ter equilíbrio. Não podemos pensar após uma derrota que não temos esperança, nem após uma boa atuação que nosso trabalho terminou”, completou o meia da Roma. A Itália volta a campo na próxima terça-feira contra a Hungria pela segunda rodada da Liga das Nações.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo