Copa do MundoEliminatórias da CopaItália

Insigne honrou a camisa 10 da Itália, com uma atuação de gala para destroçar Liechtenstein

Lorenzo Insigne chegou a passar momentos difíceis pelo Napoli no último ano. Terminou a temporada 2015/16 em declínio e atravessou um momento de desconfiança nas primeiras semanas de 2016/17. Em derrota para o Besiktas, no San Paolo durante a Liga dos Campeões, chegou a ser vaiado pelo excesso de erros e deixou o campo chorando. Entretanto, a volta por cima do ponta seria inquestionável. Recuperou a melhor forma para protagonizar o voraz ataque celeste em sua ótima campanha na Serie A, voando no segundo turno. E, ganhando espaço de volta entre os titulares da seleção italiana, o napolitano ratificou a excelente fase. Comandou a goleada por 5 a 0 sobre Liechtenstein no Estádio Friuli, que mantém a força dos azzurri nas Eliminatórias. Honrou a 10 que já foi de Baggio, Totti, Del Piero, Rivera, entre outros craques.

Aberto na meia esquerda, Insigne protagonizou os melhores lances da Itália ao longo do primeiro tempo. A capacidade do camisa 10 para abrir espaços na frágil defesa de Liechtenstein era impressionante, criando várias chances para os seus companheiros. Uma pena que Ciro Immobile tenha desperdiçado a maioria absoluta delas, faltando calma na definição. Enquanto isso, o napolitano também arriscava uma vez ou outra. Até marcar um golaço aos 34. Dominou um passe veloz de Leonardo Spinazzola com a ponta da chuteira, já levantando a bola. Ajeitou com o peito e, sem deixar cair, emendou a bomba no ângulo, sem tempo de reação para o goleiro Peter Jehle. Vantagem mais do que merecida, e que poderia ser maior.

Na segunda etapa, Insigne continuou comandando a sua equipe com muita velocidade, contando também com as participações valiosas de Antonio Candreva e, sobretudo, de Andrea Belotti. A partir de um bom lance do camisa 10, o centroavante fuzilou para aumentar a contagem aos seis minutos. E o Gallo faria o papel de garçom para Eder anotar o terceiro aos 29. Por fim, os 15 minutos finais serviram para Federico Bernardeschi mostrar serviço. Botando fogo na partida vindo do banco de reservas, no lugar de Candreva, o prodígio da Fiorentina fez boas jogadas e anotou o quarto. E, nos acréscimos, Insigne deu excelente enfiada para Spinazzola oferecer sua segunda assistência, servindo Manolo Gabbiadini, que encerrou a goleada.

Do ponto de vista do aprimoramento do time, o jogo em Udine serviu para diversos jovens valores se destacarem, dando boas opções a Giampiero Ventura. Enquanto isso, a Itália mantém sua perseguição à Espanha na liderança do Grupo F. As duas equipes somam os mesmos 16 pontos, com vantagem de quatro gols no saldo para a Fúria, que venceu a Macedônia neste domingo por 2 a 1. Na próxima rodada, marcada para 2 de setembro, as duas equipes fazem uma verdadeira decisão pela vaga direta ao Mundial de 2018 no Bernabéu. Prova de fogo à nova geração italiana.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo