Itália

“I M Internazionale Milano”: clube apresenta novo escudo mais simplificado, mas fiel ao original

Football Club Internazionale Milano. Este é o nome do clube que conhecemos no Brasil como Inter de Milão, ou simplesmente Internazionale. Nesta terça-feira, o clube apresentou seu novo escudo, que foi simplificado, mas manteve as principais características originais e tira o FC das letras para valorizar o “IM”. A ideia é valorizar o nome do clube, Internazionale Milano, reforçando sua ligação com a cidade. Na campanha de marketing, o clube tem usado as iniciais, I M, na língua inglesa, o que representa “eu sou”.

Inicialmente, as informações que surgiram em janeiro foram que o clube mudaria seu nome para “Inter Milano”, além de mexer no escudo. A notícia, claro, foi recebida com temor pelos torcedores. Afinal, vimos o que aconteceu com a Juventus, que mudou completamente seu escudo em 2017 e causou reações bem controversas.

A mudança do nome foi posteriormente negada pelo clube, mas não quer dizer que não haja uma mudança de identidade. Diferente do especulado, a Inter não mudou o nome para Inter Milano, mas a apresentação do novo escudo deixa claro que o clube quer sim valorizar o “Milano” que tem no nome e divulgá-lo mais. Até para diferenciar o clube de tantos e tantas “Inter” pelo mundo.

A mudança de identidade visual, com um novo escudo, faz parte de uma mudança grande da marca do clube. Assim como o PSG, que passou a valorizar o “Paris” para ressaltar a ligação com a cidade, a Inter não quis mudar de nome, ao contrário: quer falar o seu nome e sobrenome, Internazionale Milano, e tentar fazer com que esse nome ganhe o mundo. Como qualquer clube que tem nome de cidade, ele acaba adaptado em cada língua, como Inter de Milão aqui no Brasil, ou Inter Milan em países anglófonos, ou ainda “Inter Mailand” na Alemanha. A tentativa de criar uma marca que seja internacional, fazendo jus ao nome, é uma ideia dos donos.

“A Inter mudou sua identidade visual para se abrir a um público cada vez mais digital e sensível à estética, para atingir objetivos globais e diferentes faixas etárias, e se estabelecer como um ícone da cultura e do esporte. O objetivo é fazer a marca da Inter relevante e reconhecível para além da sua base de torcedores e permitir que um público mais jovem e internacional se identifique com valores de inclusão, estilo e inovação que caracterizam a Inter desde a sua fundação”, diz comunicado do clube.

“A evolução inspira-se muito nas raízes do clube; os valores fundamentais da Inter permanecem na frente e no centro, preservando o espírito histórico e emocional com o qual os torcedores mais leais se identificam e enfatizando o vínculo com a cidade de Milão. Este vínculo vai além de Milão ser a casa do clube, porque a Inter também incorpora os valores da cidade: o espírito internacional e a predileção pela inovação e pela mudança contínua, sem trair a sua essência”.

“O novo logo é uma reinterpretação moderna do símbolo histórico do clube, tem um aspecto mais simples e minimalista. Enquanto mantém a continuidade com a versão original, o novo escudo é mais adequado para a era do entretenimento”.

“O foco está nas letras I e M, que foi preservado do design original de Giorgio Muggiani e são emolduradas pelos círculos concêntricos clássicos, de acordo com a tradição nerazzurri. As letras F e C, enquanto isso, continuam no nome e na identidade do clube: FC Internazionale Milano. Embora os gráficos do escudo tenham sido simplificados, são ampliadas as áreas que a Inter poderá se desenvolver – um clube de futebol, mas não apenas isso. As cores permanecem aquelas aplicadas na noite do dia 9 de março de 1908, tornadas mais vibrantes e vivas”.

O novo escudo foi desenvolvido pela Bureau Borche. Segundo o próprio clube, a ideia foi manter grande parte do design original do escudo criado em 1908 por Giorgio Muggiani, mas em uma versão que é “particularmente adequado para dispositivos digitais e pode ser visto claramente”. O clube ainda ressalta que “essa visibilidade em dispositivos móveis e telas cada vez menores é extremamente importante hoje em dia quando se busca obter a exposição certa”.

As cores, que simbolizam o céu e a noite, foram mantidas, mas o clube justificou que elas estão mais claras, mais intensas e mais vibrantes, de forma a ser mais perceptível e reconhecível. Apesar do escudo não ter mais o amarelo, o clube afirmou que a cor voltará a ser usada e será usada em muitas peças. Ainda não se sabe se estará na camisa, mas certamente em muitas peças da coleção do clube. A fonte usada, segundo informado pelo clube, é o Giorgio Bold para as letras do escudo e Univers Roman 55 para os textos.

A evolução dos escudos da Inter de 1908 a 2014 (Pinterest, Bauscia.it)

Segundo a Internazionale, o atual escudo será usado até o final da temporada nas camisas. O novo só estará aplicado em coleções de agasalhos e uniforme de pré-jogo, que já irão a campo na próxima partida da equipe. A partir da próxima temporada, 2021/22, o novo escudo estará na camisa.

Mais do que mudar de escudo, o clube está em processo de mudar também de dono. O grupo Suning, atual dono da Inter, vive uma reestruturação e passa por problemas financeiros. O clube sente os efeitos e, embora seja líder, tem problemas financeiros. Apesar disso, o clube conseguiu pagar a parcela da transferência de Achraf Hakimi ao Real Madrid, além dos salários devidos até o fim do mês.

Há a expectativa que o Grupo Suning venda parte das ações da Internazionale para ter fluxo de dinheiro novo. O grupo chinês não gostaria de sair da operação do clube, mas precisa de novos sócios para continuar. Por isso, muitas negociações são especuladas, mas nada ainda foi fechado. O BC Partners, empresa britânica de investimentos, é uma das principais candidatas.

Assista ao vídeo de apresentação do novo escudo da Inter:

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo