Itália

Guia da Serie A – Parte I

Passada a decepção da Azzurra na Copa do Mundo, é hora de a Itália voltar a olhar para seu campeonato. A Serie A, agora com administração independente após a separação da Lega Calcio, começa no dia 28 de agosto, com a pentacampeã Internazionale partindo novamente como favorita. Em um mercado de poucas novidades nos grandes, a sensação é de que um grande e equilibrado bolo de perseguidores se forme atrás dos nerazzurri.

A Trivela apresenta o guia da temporada em duas partes, nesta e na próxima semana, com os times introduzidos em ordem alfabética. Você pode conferir as novidades nos elencos e os prováveis times-base (com os reforços em maiúsculas).

Bari

Nome do clube: Associazione Sportiva Bari
Gênero: masculino (o Bari)
Estádio: San Nicola (58.270 lugares)
Site oficial: www.asbari.it
Principal jogador: Sergio Almirón (m)
Quem chegou: Romero (m, Udinese), Ghezzal (a, Siena), Pulzetti (m, Livorno), Raggi (d, Bologna), Rinaldi (d, Rimini), D'Alessandro (m, Grosseto), M. Rossi (d, Sampdoria)
Quem saiu: Ranocchia (d, Genoa), Bonucci (d, Juventus), Meggiorini (a, Bologna), Kamata (a, Siena), Carobbio (m, Siena), Allegretti (m, Grosseto), Statella (m, Grosseto), Donda (m, Godoy Cruz-ARG), Sforzini (a, Cluj-ROM)
Técnico: Giampiero Ventura (mantido)
Colocação em 2009/10: 10º
Objetivo na temporada: Permanência na Serie A
Competição europeia: nenhuma
Time-base: Gillet; RAGGI, M.ROSSI, A.Masiello S.Masiello; Alvarez, Donati, Almirón, Rivas; GHEZZAL, Barreto.

O Bari foi a equipe sensação da última temporada na elite. Recém-chegado da segunda divisão, era cotados por muitos para um retorno imediato à Serie B. No entanto, os Galletti se mostraram um osso duro de roer e conquistaram uma permanência tranquila. O desafio do veterano técnico Giampiero Ventura será repetir o feito sem contar com o fator surpresa. E pior: sem uma das melhores duplas de zaga do último campeonato. Bonucci foi vendido para a Juventus, enquanto Ranocchia retornou a Gênova. A contratação em definitivo de Sergio Almirón foi fundamental para a qualidade do meio-campo, mas a falta de reforços de expressão em outros setores pode pesar contra. O Bari deve ter mais dificuldades desta vez.

Bologna

Nome do clube: Bologna Football Club 1909
Gênero: masculino (o Bologna)
Estádio: Renato Dall'Ara (39.444 lugares)
Site oficial: www.bolognafc.it
Principal jogador: Marco Di Vaio (a)
Quem chegou: Paponi (a, Perugia), Esposito (d, Livorno), Meggiorini (a, Bari), Lupatelli (g, Cagliari), Siligardi (m, Piacenza), Morleo (d, Crotone), Ekdal (m, Juventus), Cherubin (d, Cittadella), Khrin (m, Inter), Ramírez (m, Peñarol-URU), Garics (d, Atalanta), Gavilán (a, Betis-ESP), Rubin (d, Torino)
Quem saiu: Savio (a, 1860 Munique), Raggi (d, Bari), Appiah (m, Cesena), Guana (m, Chievo), Adaílton (a, Vaslui-ROM), Bernacci (a, Torino), Lanna (d), Mingazzini (m), Zenoni (d), Marazzina (a), Colombo (g), Lavecchia (m)
Técnico: Franco Colomba (mantido)
Colocação em 2009/10: 17º
Objetivo na temporada: Permanência na Serie A
Competição europeia: nenhuma
Time-base: Viviano; ESPOSITO, Britos, Portanova, MORLEO; Buscè, Mudingayi, Mutarelli, Pisanu; Di Vaio, MEGGIORINI.

O time rossoblu vem de duas temporadas consecutivas sofrendo para escapar do descenso, e será difícil imaginar algo diferente desta vez. O clube segue em poder da família Menarini, que parece mais interessada em encontrar um comprador do que em bancar um elenco forte para manter o lugar entre os grandes. Os gols de Marco Di Vaio salvaram nas últimas ocasiões, mas será que só isso bastará novamente? Com contratações por atacado, sem tanto critério, e aposta em jovens cedidos por clubes maiores, como o interista Khrin e o juventino Ekdal, o Bologna espera surpreender de alguma forma, mas as perspectivas não são das melhores.

Brescia

Nome do clube: Brescia Calcio
Gênero: masculino (o Brescia)
Estádio: Mario Rigamonti (22.500 lugares)
Site oficial: www.bresciacalcio.it
Principal jogador: Matteo Sereni (g)
Quem chegou: Sereni (g, Torino), Scaglia (m, Torino), Zoboli (d, Torino), Gorzegno (m, Sassuolo), Koné (m, Iraklis-GRE), Feczesin (a, Debrecen-HUN), Juan Antonio Ignacio (a, River Plate-ARG), Éder (a, Empoli), Diamanti (m, West Ham-ING)
Quem saiu: Rispoli (m, Parma), Kozak (a, Lazio), Paghera (m, Verona), Säumel (m, Torino), Viotti (g, Triestina)
Técnico: Giuseppe Iachini (mantido)
Colocação em 2009/10: 3º na Serie B (promovido nos play-offs)
Objetivo na temporada: Permanência na Serie A
Competição europeia: nenhuma
Time-base: SERENI; Zambelli, Martínez, ZOBOLI, Dallamano; Vass, Budel, KONÉ; DIAMANTI, Possanzini, ÉDER

O Brescia inicia a temporada cometendo um erro comum a times promovidos: acreditar que a base que disputou a Serie B é suficiente para brigar por algo na primeira divisão. Com um mercado pobre, as Andorinhas são desde já fortes candidatas ao rebaixamento. Afinal de contas, os tempos em que o time se mantinha na elite graças à presença de Roberto Baggio no elenco já ficaram para trás. Entre os recém-chegados, as únicas  novidades que seguramente reforçam o time são o experiente Matteo Sereni, garantia de segurança no gol, e o meia Alessandro Diamanti, de volta ao futebol italiano após uma breve experiência no West Ham.

Cagliari

Nome do clube: Cagliari Calcio
Gênero: masculino (o Cagliari)
Estádio: Sant'Elia (23.486 lugares)
Site oficial: www.cagliaricalcio.net
Principal jogador: Andrea Cossu (m)
Quem chegou: Pinardi (m, Modena), Martignoni (d, Locarno-SUI), Biasi (d, Cesena), Magliocchetti (d, Triestina), Perico (d, Albinoleffe), Laner (m, Albinoleffe), Acquafresca (a, Genoa), Pelizzoli (g, Albinoleffe)
Quem saiu: Marzoratti (d, Empoli), Dessena (m, Sampdoria), Lupatelli (g, Bologna), Larrivey (a, Colón-ARG), López (d), Barone (m), Parola (m)
Técnico: Pierpaolo Bisoli (novo)
Colocação em 2009/10: 14º
Objetivo na temporada: Permanência na Serie A
Competição europeia: nenhuma
Time-base: PELIZZOLI; Pisano, Astori, Canini, Agostini; Biondini, Conti, Lazzari; Cossu; Jeda, Matri.

O Cagliari não tem mais o comando de Massimiliano Allegri, que fez do time um dos mais interessantes da Serie A e agora dirige o Milan. A aposta do clube sardo foi em um nome conhecido: Pierpaolo Bisoli, identificado com a equipe em seus tempos de jogador (vestiu a camisa entre 1991 e 1997). Bisoli vem de um trabalho importante: levou o Cesena de volta à Serie A. No Cagliari, ele encontra a manutenção de peças importantes da espinha dorsal, como Biondini, Lazzari, Cossu e Matri. Por outro lado, tem de encontrar uma saída para insatisfação do goleiro Marchetti, que esperava ser negociado e até agora segue no elenco. Na última temporada, o time caiu muito de rendimento na reta final (tanto que Allegri saiu antes do fim do campeonato) e só não correu riscos porque tinha uma boa poupança de pontos. Desta vez, não deve poder se permitir tal luxo.

Catania

Nome do clube: Calcio Catania
Gênero: masculino (o Catania)
Estádio: Angelo Massimino (20.266 lugares)
Site oficial: www.calciocatania.it
Principal jogador: Maxi López (a)
Quem chegou: Raphael Martinho (m, Paulista-BRA), Gómez (m, San Lorenzo-ARG), Antenucci (a, Ascoli), Pesce (m, Ascoli)
Quem saiu: Martínez (m, Juventus), Moretti (d, Ascoli)
Técnico: Marco Giampaolo (novo)
Colocação em 2009/10: 13º
Objetivo na temporada: Permanência na Serie A
Competição europeia: nenhuma
Time-base: Andújar; Potenza, Silvestre, Spolli, Capuano; Izco, Ledesma, Biagianti, Mascara; Maxi López, Ricchiuti.

Em meio a um mercado morno, o Catania se pergunta se conseguirá suprir as perdas do meia-atacante Jorge Martínez, negociado com a Juventus, e do técnico Sinisa Mihajlovic, que assumiu a Fiorentina. Os Elefantes têm o time mais argentino da Itália – são doze no elenco – e as esperanças de um campeonato positivo passam pelo principal deles. Maxi López foi contratado em janeiro e se comportou como se estivesse há anos na Serie A. Marcou onze gols em meia temporada, evitou que o time fosse seriamente ameaçado e rapidamente conquistou status de ídolo. Se o ex-gremista repetir a dose, o Catania pode sonhar com mais um campeonato com motivos para festejar.

Cesena

Nome do clube: Associazione Calcio Cesena
Gênero: masculino (o Cesena)
Estádio: Dino Manuzzi (23.860 lugares)
Site oficial: www.cesenacalcio.it
Principal jogador: Stephen Appiah (m)
Quem chegou: Nagatomo (d, FC Tokyo-JAP), Caserta (m, Atalanta), Pellegrino (d, Atalanta), Moscatiello (m, Fulham-ING), Ighalo (Granada-ESP), Bogdani (a, Chievo), Von Bergen (d, Hertha Berlim-ALE), Appiah (m, Bologna), Tachtsidis (m, AEK-GRE), Cavalieri (g, Liverpool-ING)
Quem saiu: Volta (d, Sampdoria), Biasi (d, Cagliari), Bucchi (a, Napoli), Franceschini (d), Tardioli (g)
Técnico: Massimo Ficcadenti (novo)
Colocação em 2009/10: 2º na Serie B
Objetivo na temporada: Permanência na Serie A
Competição europeia: nenhuma
Time-base: Antonioli; Petras, PELLEGRINO, VON BERGEN, NAGATOMO; Schelotto, CASERTA, Colucci, Giaccherini; Do Prado, BOGDANI.

De volta à Serie A depois de 19 anos, o Cesena precisou trabalhar com a criatividade no mercado para se reforçar com um orçamento limitado. Recorreu a contratações baratas ou a custo zero, mas conseguiu três jogadores que estiveram na última Copa do Mundo: o lateral japonês Nagatomo, o zagueiro suíço Von Bergen e o meia ganense Appiah. O goleiro brasileiro Diego Cavalieri chegou para brigar por posição com Francesco Antonioli, ex-Milan, Roma e Sampdoria, que completa 41 anos em setembro. Sem o técnico Bisoli, agora no Cagliari, o clube acertou com Massimo Ficcadenti, que espera resultados melhores do que em sua última passagem pela Serie A, em 2007/08, quando foi demitido pela Reggina na décima rodada. Nesta temporada, o título do Cesena é o 17º lugar.

Chievo

Nome do clube: Associazione Calcio ChievoVerona
Gênero: masculino (o Chievo)
Estádio: Marc'Antonio Bentegodi (44.799 lugares)
Site oficial: www.chievoverona.tv
Principal jogador: Stefano Sorrentino (g)
Quem chegou: César (d, Grenoble-FRA), Jefferson (g, Lecce), Memushaj (m, Paganese), Bogliacino (m, Napoli), Moscardelli (a. Piacenza), Guana (m, Bologna), Callari (m, Lumezzane)
Quem saiu: Yepes (d, Milan), Bogdani (a, Cesena), Hanine (m, Crotone)
Técnico: Stefano Pioli (novo)
Colocação em 2009/10: 16º
Objetivo na temporada: Permanência na Serie A
Competição europeia: nenhuma
Time-base: Sorrentino; Frey, Morero, Mandelli, Mantovani; Luciano, Marcolini, Bentivoglio; BOGLIACINO; Pellissier, Granoche.

O novo técnico Stefano Pioli assume praticamente o mesmo elenco deixado por Domenico Di Carlo, que assumiu a Sampdoria após conquistar uma brilhante permanência na Serie A à frente do Chievo. A única baixa considerável é a de Yepes, que era o esteio da defesa. De resto, o clube fez um mercado discreto, e começa a nova temporada ciente de que cada ano a mais entre os grandes é uma conquista importante para um time de bairro, com torcida diminuta. Para alcançar o objetivo, conta com os jogadores mais identificados com o clube, como Marcolini e o capitão Pellissier, este último o maior artilheiro dos clivensi na Serie A.

Fiorentina

Nome do clube: ACF Fiorentina
Gênero: feminino (a Fiorentina)
Estádio: Artemio Franchi (46.282 lugares)
Site oficial: www.violachannel.tv
Principal jogador: Adrian Mutu (a)
Quem chegou: D'Agostino (m, Udinese), Boruc (g, Celtic), Cerci (m, Roma)
Quem saiu: Gobbi (m), Keirrison (Barcelona-ESP)
Técnico: Sinisa Mihajlovic (novo)
Colocação em 2009/10: 11º
Objetivo na temporada: Vaga em competição europeia
Competição europeia: nenhuma
Time-base: Frey; De Silvestri, Gamberini, Felipe, Pasqual; Montolivo, Bolatti; Marchionni, D'Agostino, Vargas; Gilardino.

Começar a vida sem Cesare Prandelli, o homem que reconduziu o time a posições de honra no futebol italiano. Esse é o desafio da Fiorentina, que agora vive sob o comando de Sinisa Mihajlovic. O ex-zagueiro sérvio encontra um elenco pouco modificado, mas com alguns problemas importantes logo de cara: a grave lesão do meia montenegrino Stevan Jovetic, que perderá a maior parte da temporada, e a suspensão por doping de Mutu, que só ficará à disposição no fim de setembro. A solução para a ausência de Jovetic pode ser D'Agostino, ex-Udinese, que a princípio jogaria mais recuado, mas também pode fazer a função de “trequartista”. No ataque, a expectativa é de que Alberto Gilardino se recupere de um Mundial ruim. A Fiorentina fez um campeonato muito abaixo das expectativas na última temporada, mas tinha a “desculpa” da Champions, onde fez bom papel. Agora, sem a distração europeia, pode voltar suas forças para brigar na parte alta da tabela.

Genoa

Nome do clube: Genoa Cricket and Football Club
Gênero: masculino (o Genoa)
Estádio: Luigi Ferraris (36.356 lugares)
Site oficial: www.genoacfc.it
Principal jogador: Luca Toni (a)
Quem chegou: Ranocchia (d, Bari), Rudolf (a, Debrecen-HUN), Toni (a, Roma), Eduardo (g, Braga-POR), Chico (d, Almería-ESP), Destro (a, Inter), Zuculini (m, Hoffenheim-ALE), Miguel Veloso (m, Sporting-POR), Zigoni (a, Milan), Rafinha (d, Schalke 04-ALE)
Quem saiu: Amelia (g, Milan), El Shaarawy (a, Padova), Aleksic (a, Crotone), Lazarevic (m, Torino), Cofie (m, Torino), Papastathopoulos (d, Milan), Zapater (m, Sporting-POR), Acquafresca (a, Cagliari)
Técnico: Gian Piero Gasperini (mantido)
Colocação em 2009/10:
Objetivo na temporada: Vaga na Liga dos Campeões
Competição europeia: nenhuma
Time-base: EDUARDO; RANOCCHIA, Dainelli, Bocchetti; RAFINHA, ZUCULINI, M.VELOSO, Criscito; Palladino, TONI, Palacio.

Depois de ver a Sampdoria se classificar para a Liga dos Campeões, o Genoa abriu os cofres para tentar igualar o feito dos rivais. O Grifone se converteu no protagonista do mercado ao contratar nomes como Toni, Miguel Veloso, Rafinha e Eduardo. O técnico Gian Piero Gasperini, que vai para sua quinta temporada no clube, tem peças de sobra para montar uma equipe respeitável, capaz de alcançar uma das quatro primeiras colocações. Sua principal preocupação deverá ser acertar o sistema defensivo, que impediu uma campanha melhor no último campeonato. No ataque, se Toni ficar livre de problemas físicos, poderá ser o goleador que falta desde a saída de Diego Milito.

Internazionale

Nome do clube: Football Club Internazionale Milano
Gênero: feminino (a Internazionale)
Estádio: Giuseppe Meazza (80.074 lugares)
Site oficial: www.inter.it
Principal jogador: Wesley Sneijder (m)
Quem chegou: Biabiany (a, Parma), Castellazzi (g, Sampdoria), P.Coutinho (m, Vasco-BRA), Faraoni (d, Lazio), Obinna (a, Málaga-ESP), Mancini (a, Milan)
Quem saiu: Arnautovic (a, Werder Bremen-ALE), R.Quaresma (m, Besiktas-TUR), Toldo (g), Donati (d, Lecce), Destro (a, Genoa), Khrin (m, Bologna), Balotelli (a, Manchester City-ING)
Técnico: Rafael Benítez (novo)
Colocação em 2009/10: campeã
Objetivo na temporada: Título
Competição europeia: Liga dos Campeões
Time-base: Júlio César; Maicon, Lucio, Samuel, Zanetti; Cambiasso, T.Motta; Eto'o, Sneijder, Pandev; Milito.

A série de cinco títulos da Inter começou com Roberto Mancini, passou por José Mourinho – que levou o time à glória europeia – e tem tudo para continuar sob a batuta de Rafa Benítez. O time titular foi mantido inteiramente, e a permanência de Maicon, que esteve com um pé no Real Madrid, pode ser considerada um “reforço” para os nerazzurri. Com o onze inicial garantido, o clube tratou de qualificar suas peças de reposição. O ex-vascaíno Philippe Coutinho é ótima aposta como vice-Sneijder, e o veloz Biabiany retorna ao clube após boa passagem pelo Parma. Em matéria de elenco, a Inter está muito à frente dos principais rivais. Por isso, qualquer coisa além do hexacampeonato será decepcionante.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo