Champions LeagueItália

Gattuso já escolheu um lado para torcer na final da Champions: “Como italiano, estou com a Juve”

Quantas vezes você ouviu que determinado time era o Brasil na Libertadores? Muitas, não é? E se você torce pelo sucesso e pela prosperidade do futebol brasileiro, já deve mesmo ter se pegado torcendo para equipes locais em competições internacionais. Isso é normal e nada tem a ver com pular o muro ou dar espaço para outro clube em seu coração, assim como é normal, também, optar por torcer por um time de outro país em alguma decisão. Gennaro Gattuso prefere ser o primeiro tipo de pessoa: o que apoia o futebol local em qualquer circunstância. O ex-volante, agora ex-técnico do Pisa e eterno ídolo do Milan, em entrevista à Sky Sport Italia, comentou que estará na torcida pela Juventus na final da Champions League, contra o Real Madrid.

LEIA TAMBÉM: Além da faixa, torcida da Lazio publicou uma carta em respeito ao adeus de Totti

“Como italiano, estou totalmente com a Juventus”, afirmou Rhino. “Nós precisamos voltar ao topo da Europa, e eu espero que um time italiano possa fazer com que a taça da Champions League volte à Itália. Isso pareceria impensável até dois ou três anos atrás, mas agora esta Juve, com o novo estádio e uma nova diretoria, construiu um timaço, uma equipe muito importante. Eles não parecem um time italiano, e isso é uma coisa boa para o nosso futebol”, complementou. Comparada aos outros clubes do país do Calcio, a Juve de fato tem algo diferente. Não o estilo de jogo ou características que possam ser notadas dentro de campo, já que os bianconeri carregam traços muito fortes do futebol italiano, sobretudo defensivamente. Mas pelo clube estar cada vez mais empenhado em expandir sua marca e seus negócios, o que não é comum das agremiações italianas, mais tradicionalistas nesse sentido.

Gattuso não é o único, tampouco faz parte de um seleto grupo de pessoas que não tem ligação com a Juventus e irão torcer para a Velha Senhora ficar com a Orelhuda. Com os bianconeri chegando na final em 2015, contra o Barcelona, e agora, com o Real Madrid, muitos italianos resgataram o orgulho nacional em termos de futebol e tradição. Mesmo que uma possível vitória da Juve não influencie no coeficiente da Uefa, já que já está definida há algum tempo a nova resolução de vagas nas principais ligas europeias, é importante para o país um triunfo juventino, para ajudar na recuperação do status da Itália de potência mundial no futebol, de campeonato forte e de influência e referência em competições européias.

Sobre a venda do Milan aos chineses da Rossoneri Sport Investment Lux, Rhino, que foi bicampeão da Champions com a camisa rossonera, disse que o Diavolo tem uma história importante a ser honrada, e se mostrou otimista com o novo cenário. “Agora vai chegando o momento que abre o mercado e os torcedores começam a esperar grandes aquisições, e acho que o clube fará. Logo menos vamos começar a ver em campo as respostas dessa venda”, comentou. Gattuso não seguirá no comando do Pisa, rebaixado para a terceira divisão com uma das melhores defesas da Serie B, na próxima temporada. Seu futuro permanece sem definição ainda.

Foto de Nathalia Perez

Nathalia Perez

Jornalista em formação trabalhando a favor de um meio esportivo mais humano. Meus heróis sempre foram jogadores de futebol, mas hoje em dia são muito mais heroínas.
Botão Voltar ao topo