ItáliaSérie B

Dois anos depois de cair, o Crotone está de volta à Serie A

A segunda divisão da Itália definiu o segundo clube promovido à Serie A. Depois do Benevento de Pippo Inzaghi, cujo acesso foi garantido há um mês, o Crotone garantiu a sua vaga, nesta sexta-feira, após golear o Livorno por 5 a 1. Será a terceira participação do clube da Calábria na elite do futebol italiano, retornando após o rebaixamento de dois anos atrás.

O Livorno até tentou estragar a festa ao abrir o placar, aos 12 minutos, mas o Crotone virou para 3 a 1 ainda antes do intervalo. Simeon Nwankwo, atacante nigeriano de 28 anos, fechou o placar de pênalti e chegou aos 18 gols na Serie B, empatado no topo da artilharia com Pietro Iemmello, do Perugia.

O Cretone conta com o ex-vascaíno Maxi López, mas o argentino participou de apenas 347 minutos da campanha, com 14 jogos, dois desde o início, e um único gol, na derrota por 2 a 1 para o Spezia.

O Spezia, aliás, foi o coadjuvante do dia. Além de ser um dos ex-times do treinador Giovanni Stroppa, precisava tropeçar contra a Cremonese para que o acesso do Crotone fosse confirmado. O empate por 0 a 0 colocou a vantagem dos calabreses em oito pontos, a duas rodadas do fim da competição.

Jogadores do Crotone acompanham o jogo do Spezia (Foto: Divulgação/Crotone)

O Crotone estreou na Serie A em 2016/17, quando foi uma das melhores históricas da liga. Ficou 36 rodadas na zona de rebaixamento, entre a segunda e a penúltima, somou apenas um ponto nos primeiros nove jogos, mas conseguiu uma arrancada improvável para permanecer na elite.

Nesse sequência, ganhou do Chievo, da Internazionale, da Sampdoria, do Pescara e da Udinese. Perdeu apenas da Juventus e, na última rodada, derrotou a Lazio para carimbar a sobrevivência. Obrigou o então treinador Davide Nicola a pedalar 1,3 mil kms entre Turim e Crotone, cruzando a Itália de norte a sul.

O conto de fadas,  porém, chegou ao fim na temporada seguinte. Nicola caiu em dezembro, e o experiente Walter Zenga não conseguiu evitar a queda. Stroppa, ex-jogador formado pelo Milan, reserva no time de Arrigo Sacchi quando começava sua carreira, assumiu no lugar de Zenga, mas durou apenas até outubro.

Foi substituído por Massimo Oddo e chamado de volta após o ex-lateral pedir demissão depois de apenas oito jogos. Terminou aquela temporada no meio da tabela da Serie B, mas, nesta, conseguiu uma campanha muito regular para garantir o acesos com duas rodadas de antecedência.

Começou bem o campeonato, mas teve um período de baixa entre outubro e dezembro, com cinco derrotas em sete rodadas. Em seguida, porém, arrancou rumo à Serie A. Perderia apenas três vezes no restante do torneio, com 13 vitórias e quatro empates.

A última vaga na Serie A será decidida pelos playoffs e a briga está ótima. Apenas seis pontos, o restante ainda em disputa, separam o sétimo colocado Empoli, da Cremonese, em 14º. A briga está aberta a praticamente todo mundo.

Classificações Sofascore Resultados

.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo