Itália

Com um excelente João Mário e golaço de Murillo, Inter sofre, mas elimina o Bologna

Parecia que seria tranquilo, um jogo para controlar e vencer sem grandes problemas. Mas poucas coisas tem acontecido sem grandes problemas para a Internazionale nesta temporada, apesar da recente recuperação sob o comando do técnico Stefano Pioli. Depois de abrir 2 a 0 contra o Bologna, a equipe de Milão sofreu o empate e precisou jogar uma prorrogação, cansando ainda mais seus atletas, o que certamente não estava nos planos. Mas Candreva garantiu a passagem às quartas de final da Copa Itália, aos 8 minutos do tempo extra.

LEIA MAIS: Icardi iguala Milito em gols no Italiano pela Inter e é a estrela que faz torcedores sonharem com Champions

No primeiro tempo, quando a Inter superou o Bologna com sobras, antes de cair de rendimento e permitir o empate, duas coisas se destacaram: o golaço de Murillo, de bicicleta, que abriu o placar; e as duas belas assistências de João Mário, o meia português que tem se provado uma grande contratação. Foi ele quem cobrou o escanteio da bicicleta de Murillo e depois deu uma bonita enfiada de bola para Palacio ampliar.

Atuando mais avançado com Pioli, ele melhorou de rendimento e tem ajudado a Internazionale a emplacar uma boa sequência de resultados. A vitória sobre o Bologna foi a sétima seguida da temporada, sendo cinco pelo Campeonato Italiano. Depois de um começo muito ruim, a Inter já é sexta colocada na Serie A, a cinco pontos da zona de classificação para a próxima Champions League.

Esta partida também marcou a estreia de Gabigol como titular da Internazionale. O atacante brasileiro, que teve poucas chances nos últimos meses, começou jogando e ficou na média. Por vezes individualista demais, buscou o jogo, tentou algumas finalizações e foi substituído aos 27 minutos do segundo tempo.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo