Eliminatórias da CopaItália

Com crise de atacantes na Itália, Balotelli sonha em voltar à Azzurra: “Seria um sonho”

Aos 31 anos, Balotelli ainda tem esperanças de defender a Itália na repescagem das Eliminatórias da Copa e diz que irá se preparar para isso

Um dos problemas que a Itália tem sofrido nos últimos meses na sua seleção nacional é a de atacantes em crise. Já durante a Eurocopa, Ciro Immobile, que começou bem, terminou sem conseguir balanças as redes nos jogos eliminatórios. Seguiu com problemas nos jogos seguintes, nos jogos deste segundo semestre. Seus substitutos também não aproveitaram a chance, especialmente Andrea Belotti. A Itália perdeu a primeira posição no grupo para a Suíça e terá que disputar a repescagem em busca de uma vaga na Copa. Com todo esse cenário, Mario Balotelli deu uma entrevista dizendo que sonha em voltar à Azzurra e acredita que pode conseguir.

Aos 31 anos, Balotelli é um jogador experiente e que ficou abaixo das expectativas do que se esperava dele. Surgiu na base da Internazionale, jogou pelo Manchester City – sendo dirigido por Roberto Mancini nos dois clubes – e jogou ainda pelo Milan, em duas passagens, mas sem conseguir atingir o potencial que se esperava dele, de ser um atacante do mais alto nível mundial.

Com um inegável talento, Balotelli se envolveu em muitas confusões, não conseguiu ser constante na carreira e perdeu a chance nos principais clubes da Europa. Atualmente, joga pelo Adana Demirspor, da Turquia, onde jogou partidas nesta temporada e marcou cinco gols, contando todas as competições.

“Me sinto bem depois de dois anos e meio. Me sinto pronto para voltar à seleção. Seria um sonho. Sairia da Turquia a pé agora se eu soubesse que seria convocado em março”, afirmou o jogador à OCW Sport. “Tenho um relacionamento muito bom com Mancini e sempre tive. Ele apenas tem que me dizer o que ele quer de mim para que possa voltar à seleção. E eu irei. Ser ouvi isso recentemente? Sim”.

“O que ele quer de mim ele já disse muitas vezes. Eu não tenho que prometer nada a mim mesmo. Ele sabe que estou bem, por que ele não me chamaria?”, questionou Balotelli. “Pelas minhas características, eu poderia jogar com qualquer um. Mesmo com Ciro [Immobile]. Se eu cobraria os pênaltis? Não vou responder porque isso criaria mais controvérsia, mas todo mundo sabe que posso cobrar pênaltis. Todo jogador sonha em ser atacante em sua seleção”.

Balotelli então foi perguntado por que Mancini ainda não o convocou. “Ele não convocou porque ele sabe meu potencial e não estou naquele nível ainda. Agora, tenho até março para estar no melhor da minha condição. Não estou aqui para reclamar de não ser chamado. Não estou longe da minha melhor condição, apenas tenho que trabalhar”.

O último jogo de Balotelli pela seleção italiana foi em 2018, em um empate por 1 a 1 com a Polônia, na Liga das Nações, no começo do trabalho de Mancini com a Azzurra. Na época, o jogador estava no Nice, da França. Jogou ainda pelo Olympique de Marseille por poucos meses, pelo Brescia por uma temporada e depois jogou pelo Monza, na Serie B italiana. Em julho deste ano, foi contratado pelo Adana Demirspor, da Turquia.

“Eu recusei propostas da Itália antes de me transferir para a Turquia”, contou o atacante. “Mesmo que a Itália tenha ganhado a Euro, todo mundo começa a atirar lama depois do primeiro problema. Isso é algo que eu nunca gostei da Itália. Estou feliz que muitas pessoas estão me escrevendo e pedindo para voltar à seleção. Mas o problema é: como você pode bagunçar tudo depois do primeiro problema? Há muitos ignorantes na Itália”.

A Itália voltará a campo pela repescagem em março de 2022. Veja aqui o calendário com todas as datas importantes do futebol de seleções até a Copa do Mundo de 2022.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo