Itália

Cavani diz que rejeitou Juventus e Inter: “Não poderia fazer algo do gênero com os napolitanos”

A Juventus contratou recentemente duas figuras ligadas ao Napoli. Exerceu a cláusula de rescisão de Gonzalo Higuain e foi à Inglaterra buscar Maurizio Sarri. Os dois são tratados como traidores por uma parte considerável dos torcedores da cidade do sul da Itália, um destino que Edinson Cavani se esforçou para evitar. Em entrevista ao site Mondo Napoli, afirmou que rejeitou abordagens da Velha Senhora e da Internazionale por gratidão ao clube em que explodiu ao futebol europeu.

O atacante do Manchester United chegou à Europa pelo Palermo e se transferiu ao Napoli em 2010. Teve três fantásticas temporadas no estádio San Paolo, rebatizado de Diego Armando Maradona após a morte da lenda, com 104 gols em 138 jogos e a conquista da Copa Itália. Rendeu uma boa grana ao ser vendido ao PSG.

O site Mondo Napoli entrou em contato com Cavani para comentar um mural que foi feito em sua homenagem na estação de metrô Mostra-Stadio Maradona e mandou um recado aos torcedores, sem especificar quando recebeu as abordagens de Juve e Inter.

“Obrigado, apenas. Sempre serei grato. É por esta razão que disse não a muitos clubes italianos, incluindo a Juventus, que me ligava com frequência, e também à Inter. Eu não poderia fazer algo do gênero com os napolitanos. Se penso em Nápoles, penso em alegria, porque sei que fiz muito por eles e eles continuam a me homenagear”, disse.

Uma foto rodou as redes sociais com os dois filhos de Cavani, Bautista e Lucas, que moram com a sua ex-esposa em Nápoles, admirando o mural. “Eu vi a foto e é linda. A emoção dobrou ao ver meus filhos admirarem aquele mural. Não consigo explicar”, disse. “(O mural) É mais uma demonstração do carinho de Nápoles e eu jamais esquecerei”.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo