ItáliaSérie B

Catania é acusado de manipular resultados para evitar 3ª divisão e presidente é preso

O presidente do Catania, Antonino Pulvirenti, foi preso junto com outros seis dirigentes nesta terça-feira por manipulação de resultados na Serie B italiana. A acusação é que Pulvirenti pagou adversários para que deixassem o seu clube vencer e, assim, escapar do rebaixamento à terceira divisão. A operação é chamada de “Trens de Gols” e faz referência à forma como os envolvidos se comunicavam para organizar o esquema.

LEIA TAMBÉM: Parma terá que se inspirar em Fiorentina e Napoli e recomeçar na Serie D

O Catania foi rebaixado da Serie A para a Serie B na temporada 2013/14 e se desmanchou. O time foi mal também na segunda divisão e brigou contra o descenso até o final da campanha. O clube do sul da Itália terminou em 15º lugar entre os 22 que disputam, com 49 pontos. O 18º e 19º colocados disputam um playoff contra o rebaixamento, enquanto o 21º e 22º caem diretamente para a Lega Pro, terceira divisão do país, que é regionalizada.

As investigações da justiça italiana mostraram conversas telefônicas com Pulvirenti e alguns dos membros da diretoria do Catania falando com dirigentes de adversários, com provas que sugerem que houve manipulação de resultados. “Ao menos cinco partidas, se não seis, foram manipuladas com somas de dinheiro pagas a jogadores adversários”, afirmou o promotor de justiça de Catania, Giovanni Salvi, em coletiva de imprensa. Apesar das acusações sobre os dirigentes, não há suspeitas sobre os jogadores do time.

O nome “Trens de Gols” é uma referência ao modo como os envolvidos se comunicavam para manipular os resultados. Os “trens” eram os jogadores que seriam pagos e os “horários de chegada” se referiam ao número da camisa destes jogadores.

Além de Pulvirenti, foram presos também o vice-presidente do Catania, Pablo Cosentino, e o ex-diretor esportivo do clube siciliano, Daniele Delli Carri. Segundo as investigações, Pulvirenti falava com Giovanni Impellizzeri, advogado, também preso para receber aval para ir adiante com o esquema. Delli Carri, então, falava com Piero Di Luzio, também advogado, que o conhecia de quando trabalharam juntos no Pescara, que entrava em contato com Fernando Arbotti, advogado e agente Fifa, que tinha conhecimento e falava com os jogadores.

As partidas sob suspeita são Varese 0x3 Catania, Catania 4×1 Trapani, Latina 1×2 Catania, Catania 2×0 Ternana e Catania 1×1 Livorno. A sexta partida sob suspeita é Catania 1×0 Avellino, no dia 29 de março. Caso as acusações sejam provadas, o Catania será rebaixado à Lega Pro. Pulvirenti se diz “estranho às acusações”, segundo seus advogados, e está “convencido ser capaz de demonstrar que não está envolvido”.

Ainda segundo a justiça italiana, há mais acusados sendo investigados, mas os nomes não serão divulgados para proteger as investigações.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo