Itália

Bakayoko sobre abordagem dos policiais em Milão: “Eles realmente colocaram nossas vidas em perigo”

Abordagem policial com arma apontada para Bakayoko gerou muitas críticas e acusação de racismo; polícia italiana se defendeu, sem convencer

O meio-campista Timoué Bakayoko, do Milan, de 27 anos, comentou sobre o episódio do qual foi vítima de uma abordagem policial em Milão. Ele e um passageiro foram parados e viram os policiais apontando uma arma de fogo para ambos, após serem confundidos com suspeitos, segundo a polícia italiana. A abordagem dos policiais foi acusada de ser racista e o jogador comentou sobre como os métodos da abordagem estavam errados.

Bakayoko e outro homem foram parados no dia 3 de julho enquanto a polícia procurava suspeitos em um suposto tiroteio na noite anterior. O vídeo do incidente surgiu na segunda-feira e mostra o jogador sendo revistado, com policiais apontando armas para ele e o passageiro, até que os policiais o reconhecem e param a ação.

“Cometer um erro é humano. Não tenho problema em admitir isso, porém, os métodos que eles usam mostram um problema”, afirmou o jogador. “É preciso que saibam que no vídeo não se vê tudo, talvez apenas a parte mais calma”.

“Eu me vi com uma arma a um metro de distância, assim como o passageiro. Eles realmente colocaram nossas vidas em perigo. As consequências poderiam ser mais sérias se não tivesse permanecido calmo e se não fosse reconhecido a tempo”, disse ainda Bakayoko.

A polícia de Milão se desculpou pelo erro e defendeu as ações dos policiais dizendo que as alegações de racismo são “fora de lugar”. Argumentam que Bakayoko e seu amigo correspondiam perfeitamente e por acaso à descrição de um suspeito, que era “alguém vestindo uma blusa verde dirigindo uma SUV”.

Ainda segundo a polícia, a abordagem exigia “as mais altas medidas de segurança” porque os suspeitos reais eram procurados por uma briga entre gangues de origem senegalesa e norte-africana na qual foram disparados tiros. Bakayoko e seu amigo foram imediatamente liberados assim que foram reconhecidos, algo que dá para ver muito claramente no vídeo.

A unidade italiana da Anistia Internacional criticou duramente a ação da polícia. “As imagens de Bakayoko sendo parado fazem pensar em perfis étnicos. É uma prática discriminatória que poderia ter sérias consequências para uma pessoa que não é famosa”, disse a entidade.

Bakayoko, tem contrato com o Chelsea e está emprestado ao Milan até o final desta temporada. O jogador já foi vítima de racismo em jogos do Campeonato Italiano, como aconteceu em 2019 em um jogo entre Lazio e Milan, em 2019.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo