Poucos são aqueles que seguem atuando no mais alto nível depois dos 40 anos de idade. E raríssimos os que, nesta faixa etária, continuam sendo considerados entre os melhores do . Gianluigi Buffon é desses privilegiados. Para ratificar a sua trajetória lendária, como um dos goleiros mais fantásticos da história, o veterano permanece brilhando com a camisa da Juventus, independentemente do tempo. No domingo, dia em que completou quatro décadas de vida, Gigi recebeu as homenagens, mas não entrou em campo pela Serie A, após longo período se recuperando de lesão muscular. O retorno do quarentão ficou para esta terça, na visita à pelas semifinais da Copa da . E o camisa 1 não demorou a brilhar. Pegando um pênalti, foi fundamental para a vitória por 1 a 0 sobre a Dea, que deixa a Velha Senhora um pouco mais perto da decisão.

Com o time praticamente completo, a Juventus precisou de dois minutos para sair em vantagem na densa neblina de Bérgamo. Após uma roubada de bola na intermediária, Gonzalo Higuaín foi lançado em profundidade. Cortou a marcação e fuzilou o goleiro Etrit Berisha, antes de correr para o abraço. A partida reunia duas equipes empenhadas, que tentavam criar suas jogadas a partir da marcação alta. E a Atalanta não demorou a tentar responder, encontrando os seus espaços no ataque. Porém, quando crescia, desperdiçou a melhor chance aos 25.

Com a ajuda do VAR, o árbitro assinalou pênalti após toque de mão de . Papu Gómez partiu para a cobrança. E Buffon (que, apesar de todos os seus predicados, nunca foi um especialista nas penalidades) voou no canto certo para defender o chute do argentino, sem sequer dar rebote. Muita festa ao velho ídolo, provando que os quase dois meses no estaleiro não atrapalharam em nada a sua forma. Continua intimidando quem vier pela frente e impulsionando a grandeza da Velha Senhora.

Na reta final do primeiro tempo, preponderou a eficiência da Juve. O time se defendia de maneira compacta, sem dar espaços, e incomodava no ataque. Higuaín chamava a responsabilidade. Faltou apenas caprichar um pouco mais nas conclusões. Já o segundo tempo se desenrolou bastante travado. A Atalanta precisava ter a iniciativa, mas encontrava dificuldades de criar oportunidades, mesmo passando a controlar mais a posse de bola. Enquanto isso, os bianconeri até ensaiaram o segundo tento, sem aproveitar. Nos minutos finais, então, aconteceu a blitz dos nerazzurri. E o herói voltou a ser Buffon, saindo nos pés de para operar uma defesaça aos 43. Além disso, a defesa bianconera conseguiu salvar os perigos na área, mantendo o placar favorável.

A Atalanta segue o seu sonho de retornar à decisão da Copa da Itália após 22 anos. Contudo, a missão se torna sensivelmente mais difícil em Turim. E sobretudo quando se encara um monstro como Buffon. O goleiro voltou a deixar em aberto a sua decisão sobre a aposentadoria ao final da temporada. Enquanto é possível, ele nos oferece o gosto de desfrutarmos a qualidade de uma lenda. Se optar pelo adeus, o camisa 1 será daqueles que não se renderão ao corpo ou à mente, mas apenas fará valer a própria vontade. Afinal, por tudo aquilo que ainda faz, Gigi é eterno.