Itália


“Eu pago a cerveja”: Aos 33 anos, Caputo marcou em sua estreia pela seleção italiana

Francesco Caputo prometeu pagar a cerveja de todo mundo porque a ocasião é realmente especial. Aos 33 anos, após passar quase toda a sua carreira na segunda divisão, o atacante do Sassuolo marcou em sua estreia pela seleção italiana, na goleada por 6 a 0 sobre a Moldávia, e comemorou com seu típico movimento em que finge tomar uma geladinha.

Caputo teve uma breve experiência de 12 jogos e um tento pela Serie A, em 2010/11, com a camisa do Bari, mas foi emprestado ao Siena, da segunda divisão, no meio daquela temporada. O Bari caiu, e Caputo se estabeleceria como um dos mais competentes artilheiros da Serie B nos sete anos seguintes, sempre próximo ou acima dos dois dígitos em gols.

Explodiu pelo Empoli em 2017/18, quando contribuiu com 27 gols para o acesso e retornou à elite para ficar. Manteve o faro de artilheiro, com mais 16, e foi contratado pelo Sassuolo. Marcou 21 vezes na última temporada, quarto maior goleador da liga, e começou a atual com três tentos em três jogos, o que chamou a atenção de Roberto Mancini. Havia ficado no banco, em setembro, na vitória por 1 a 0 sobre a Holanda.

“Ele está aqui porque traz a cerveja”, brincou Mancini. “Ele faz gols há muito tempo, tem um bom feeling. É um cara bom que merece estar aqui”. Foi escalado como titular para o amistoso contra a Moldávia – tipo de jogo que existe apenas para termos essas histórias – e não demorou para aproveitar a sua oportunidade.

Bem posicionado na entrada da área, dominou o passe de Biraghi nas costas da defesa e tocou na saída do goleiro para anotar o segundo gol da Itália. O primeiro havia sido marcado por Bryan Cristante. “Fico feliz em pagar cerveja para todo mundo!”, disse, segundo o Football Italia. “Posso dizer que estrear pela Itália depois de uma longa jornada e fazê-lo com um gol é o máximo que eu poderia querer. Quero apenas continuar fazendo o que estou fazendo”.

A Itália seguiu impiedosa e chegou a 5 a 0 antes do intervalo, com dois gols de El Shaarawy e um contra de Venceslav Posmac. No segundo tempo, Domenico Berardi apareceu livre na segunda trave para fechar o placar.

.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo