Inglaterra

United venceu o Tottenham graças à solidez na defesa, mas a pergunta fica: Romero é confiável?

Não foi a estreia dos sonhos que o torcedor do Manchester United esperava. Valeu pelos três pontos, mas não exatamente por aquilo que o time de Louis van Gaal apresentou. Inferiores ao Tottenham em muitos momentos, os Red Devils se aproveitaram de um erro dos visitantes para garantir a vitória por 1 a 0 em Old Trafford. Obviamente, este é apenas o primeiro jogo da temporada e ainda há muito a se fazer em um elenco que se reconstrói pelo terceiro ano consecutivo – o segundo sob as ordens do técnico holandês. Neste momento, as dúvidas parecem mesmo mais insistentes do que a certeza.

VEJA TAMBÉM: Quais contratações ainda faltam para os grandes da Premier League?

O Tottenham fez um excelente início de jogo. Marcou no campo de ataque e sufocou o United. Criou boas oportunidades, ainda que sem nenhuma chance clara para balançar as redes. Mas, aos 22 minutos, um erro na saída de bola resultou em um contra-ataque fatal dos Red Devils. Depay lançou Young na direita e o cruzamento saiu na medida para Rooney. O camisa 10 demorou para finalizar, mas Kyle Walker teve a infelicidade de desarmar mandando a bola contra as próprias redes. O suficiente para garantir a vitória dos mancunianos e desestabilizar os Spurs, que se perderam depois do gol e não aproveitaram a pressão no final.

Faltou agressividade ao Manchester United. Em um time recheado de meio-campistas, Vorm precisou trabalhar pouco. Depay mostrou serviço em sua estreia oficial, mas em uma função diferente à qual arrebentou no PSV durante a última temporada. Já Schweinsteiger saiu do banco e não teve tempo para apresentar muito. Destaque mesmo veio pela solidez do sistema defensivo, algo que faltou em muitos momentos na última temporada. O Tottenham jogou sufocando durante boa parte do duelo, mas o time de Van Gaal se estruturou bem, sobretudo nas bolas aéreas. Individualmente, Smalling acertou todas.

Já outro novato que chamou a atenção é Sergio Romero. Diante da desconfiança sobre Valdés e da incerteza com De Gea, o argentino assumiu a titularidade. Não é o sonho de consumo da maioria dos torcedores do United, ainda mais diante do que De Gea fez nos últimos meses – e não foi pouco, terminando como o melhor do time na temporada. Só que o novo goleiro demonstrou uma segurança que nem sempre lhe é usual. Embora tenha feito uma Copa do Mundo enorme, Romero não conseguiu ser titular nas últimas duas temporadas, reserva de Subasic no Monaco e de Viviano (um goleiro pra lá de modesto) na Sampdoria. Por isso, até mesmo o espanto em sua chegada a Old Trafford.

VEJA TAMBÉM: As 10 melhores histórias da Premier League para ficar de olho nesta temporada

Romero parece propenso ao erro a cada lance. Não é o tipo de goleiro que transmite confiança total. Porém, tem também as suas virtudes. É importante especialmente na saída de boa com os pés. E, pouco exposto por uma linha defensiva bem montada, segura as pontas. Aconteceu com a Argentina na Copa e na primeira prova de fogo com o United, neste sábado. Quando precisa fazer defesas difíceis, que exigem tempo de reação e agilidade, o argentino se destaca. O problema está exatamente nos lances mais tranquilos, em que não se pode errar. E por vezes ele erra.

Para uma estreia, o que vale é o saldo final, e os três pontos em um jogo já difícil são importantes ao United. De qualquer forma, o clube está ciente que há um caminho a percorrer. E, se não for com De Gea, será imprescindível repetir tanta firmeza na zaga quanto a demonstrada neste domingo. Importante para os resultados e para o novo goleiro, que tem sua grande chance de mostrar que a Copa de 2014 não foi um mero acaso em sua carreira.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo