EuropaInglaterraLiga Europa

Um novato e um prodígio transformaram a tragédia do United na Liga Europa em goleada

Para quem olha apenas o placar, até parece que o jogo foi fácil. Mas não se engane: o Manchester United tomou sufoco e suou muito para eliminar o Midtjylland, avançando às oitavas de final da Liga Europa. Os dinamarqueses abriram o placar em Old Trafford com um lindo gol e mantiveram a classificação nas mãos até os 18 minutos do segundo tempo, com direito a pênalti perdido por Juan Mata. Entretanto, os Red Devils resolveram jogar bola na meia hora final, com dois grandes protagonistas: o até então desconhecido Marcus Rashford, autor de dois gols, além de Memphis Depay, sobrando com jogadaças.

O pesadelo do Manchester United começou logo no aquecimento. Outra vez, Louis van Gaal perdeu um de seus protagonistas por lesão, precisando substituir Anthony Martial por Marcus Rashford – atacante de 18 anos, da equipe sub-19, que chegou a ser relacionado para dois jogos do time principal e sequer entrara em campo. E a escalação geral, que já não animava muito, cumpria os temores da torcida durante a primeira etapa. Os Red Devils criaram poucas oportunidades nos minutos iniciais e ainda viram o Midtjylland abrir o placar logo em seu primeiro ataque, aos 27 minutos. Carrasco na Dinamarca, Pione Sisto fez um carnaval na zaga vermelha e obrigou os anfitriões a marcarem ao menos dois gols.

A desvantagem, enfim, fez o Manchester United acordar. E o empate saiu logo na sequência, com um gol contra de Bodurov. Todavia, tudo parecia conspirar contra os Red Devils. A pressão se mostrava inútil diante da bola que não queria entrar. Schneiderlin chegou a carimbar a trave, enquanto Mata poderia ter decretado a virada antes do intervalo, cobrando pênalti. Parou na defesa do goleiro Andersen.

O alívio só veio na etapa complementar. Apesar da falta de experiência, Rashford chamava a responsabilidade e participava ativamente do ataque. E coube ao garoto encaminhar a classificação, demonstrando o seu faro de gol para marcar o segundo e o terceiro. Oportunista e bem colocado, estufou as redes nos cruzamentos de Mata e Guillermo Varela. Abriu o caminho para que o United goleasse.

Depois disso, o jogo contou com um recital de Memphis Depay. O camisa 7 infernizou pelo lado esquerdo do ataque, demonstrando um repertório respeitável de dribles. Além disso, também arriscava bastante a gol, com 10 finalizações ao longo dos 90 minutos. Um toque de mão permitiu a Ander Herrera fazer o quarto, cobrando pênalti. E quando o Midtjylland já estava com dez em campo, depois da expulsão de André Romer, o holandês deixou o dele e fechou a conta. Fez uma grande jogada individual, gingando para cima da defesa e chutando de fora da área. Belo gol.

No fim das contas, a goleada serve para tirar a impressão ruim sobre o Manchester United e aliviar um pouco as cobranças sofridas. Ainda assim, o time não pode perder de vista os problemas recorrentes, contra um dos adversários mais modestos desta Liga Europa. O nível da competição deve crescer bastante para os Red Devils a partir das oitavas. E eles precisarão jogar muito mais se quiserem mesmo agarrar a chance mais concreta de classificação à Liga dos Campeões 2016/17. Depay e Rashford, ao menos, elevaram o moral.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo