Inglaterra

Treinar o Everton nunca foi e nunca será uma possibilidade, diz Gerrard

A lenda do Liverpool afirmou que não ficou surpreso com a ida de Benítez ao Everton, mas com a citação de seu nome entre os candidatos ao cargo

Steven Gerrard não sabe de onde saiu a notícia de que estava na lista de concorrentes ao cargo de técnico do Everton quando Carlo Ancelotti pediu demissão para retornar ao Real Madrid, mas tem certeza de uma coisa: trabalhar no rival do clube que defendeu durante quase toda a sua carreira nunca foi e nunca será uma possibilidade.

O campeão escocês Gerrard enfrentará Ancelotti neste domingo em um amistoso de comemoração dos 150 anos do Rangers contra o Real Madrid e foi questionado pela ESPN se ele ficou surpreso com a decisão de Rafa Benítez, seu antigo chefe no Liverpool, de aceitar substituir o italiano no Everton. Disse que não. O que realmente o surpreendeu foi ser citado entre os candidatos ao emprego.

“Rafa não nasceu na cidade. Ele não é vermelho dos pés à cabeça e nunca enfrentou o Everton e competiu contra eles por 20 anos, então acho que é uma situação muito diferente”, afirmou Gerrard. A contratação de Benítez gerou certa revolta entre alguns torcedores azuis, especialmente porque teve uma vez que ele chamou o Everton de “clube pequeno”.

“Rafa pensa com a própria cabeça e tomará suas próprias decisões profissionais. Não surpreende que ele queria voltar à Premier League, em um clube grande, e ter a oportunidade de competir contra todos os melhores times da liga, então não fiquei muito chocado e surpreso, na verdade”, afirmou.

“Eu fiquei muito chocado e surpreso que meu nome foi associado ao cargo. Eu não sei de onde isso saiu, se foi conversa de jornal ou se tinha alguma verdade nisso, não tenho certeza. (Treinar o Everton) nunca é uma possibilidade se depender de mim”, completou.

A saída repentina de Ancelotti, que havia completado um ano e meio de altos e baixos, mas promissores pelo Everton, também pegou Gerrard de surpresa, mas ele não chegou a achar ruim.

“Ele era o treinador do meu maior rival e estava fazendo um grande trabalho. Ele é um dos melhores técnicos do mundo, tem sido há algum tempo. Eu já joguei contra ele e será um grande prazer compartilhar a linha lateral com ele e tentar aprender e ganhar um pouco do seu conhecimento se eu puder porque ele é alguém que eu admiro há muito tempo”, encerrou.

Em seu primeiro trabalho como treinador principal, Gerrard encerrou o jejum de dez anos do Rangers sem títulos escoceses e também conduziu a primeira campanha invicta do clube em 122 anos.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo