InglaterraPremier League

Tottenham e Everton empatam e fervem a disputa pelo Top 4

O empate por 2 a 2 não foi satisfatório nem para o Tottenham e, diante das condições do jogo, nem para o Everton. O resultado, porém, ajuda a colocar ainda mais fogo na disputa pelas vagas na próxima Liga dos Campeões. Aliviados com o gol no final, os Spurs permanecem na terceira colocação, com 58 pontos e um jogo a mais que os concorrentes. Já o Everton permanece em sexto, com 52 pontos, a três do Chelsea e a quatro do Arsenal.

Mesmo sem o lesionado Gareth Bale, o Tottenham parecia abrir caminho para uma vitória tranquila. Bastaram 39 segundos para que Emmanuel Adebayor balançasse as redes, aproveitando cruzamento de Jan Vertonghen. Mas, ao contrário do primeiro minuto, os 89 seguintes seriam bem mais duros aos Spurs.

Embora os londrinos permanecessem melhores, o Everton buscou o empate logo aos 15 minutos. Leighton Baines cobrou escanteio e conectou a bola na cabeça de Phil Jagielka, que venceu Hugo Lloris. A sequência do primeiro tempo perdeu ritmo, com equilíbrio entre as equipes. Os Spurs arremataram mais, mas sem levar perigo à meta de Tim Howard.

Já na volta do intervalo, o Everton buscou a virada. O segundo gol saiu aos oito minutos, com Kevin Mirallas. O belga arrancou pela direita, entortou dois marcadores e chutou longe do alcance de Lloris. Sem se abater, o Tottenham quase empatou logo na sequência, mas Howard conseguiu desviar o chute de Moussa Dembélé rumo à trave.

Depois disso, o que se viu foi um bombardeio dos Spurs. O Everton se conteve na defesa e passou a sofrer com os cruzamentos feitos pelo time da casa. Howard permaneceu soberano na área por muito tempo, mas o empate acabou saindo aos 41 minutos. Adebayor carimbou a trave e, no rebote, Gilfy Sigurdsson não desperdiçou. Com o jogo aberto, Victor Anichebe ainda teve a chance de retomar a vantagem para os Toffees no fim, mas desperdiçou.

Liverpool não sai do zero em Anfield

Se a metade azul de Liverpool pode se contentar com o empate, a vermelha lamenta a chance desperdiçada. O Liverpool recebeu o West Ham em Anfield e não foi capaz de ir além do empate por 0 a 0. Os Reds permanecem em sétimo, mas agora a cinco pontos de distância do Everton e com um jogo a mais. O West Ham, que tenta se distanciar da zona de rebaixamento, permanece na 12ª colocação, com 37 pontos.

Antes de a bola começar a rolar, Anfield foi tomado pela comoção. Às vésperas do 24º aniversário do desastre de Hillsborough, que matou 96 pessoas, as equipes respeitaram um minuto de silêncio. E, na sequência, as arquibancadas entraram em erupção com aplausos e cantos em homenagem às vítimas.

Restou apenas às equipes repetirem um futebol agradável em campo. O Liverpool começou trabalhando no campo de ataque e se movimentando bastante, principalmente com Philippe Coutinho e Jordan Henderson, mas sem criar grandes chances. Depois de um primeiro tempo frio, o jogo melhorou um pouco na volta do intervalo.

Os Reds criaram sua melhor chance, em chute de Luis Suárez que James Tomkins salvou em cima da linha. Logo depois, Daniel Sturridge chegou a balançar as redes dos Hammers, mas teve o seu tento anulado por impedimento. Melhor para os londrinos, que mantivera a solidez defensiva e ainda foram salvos por Jussi Jaaskelainen nos acréscimos.

Confira os resultados da 31ª rodada da Premier League

Sábado, 6/abr
Reading 0×2 Southampton
Norwich 2×2 Swansea
Stoke 1×3 Aston Villa

Domingo, 7/abr
Liverpool 0x0 West Ham
Tottenham 2×2 Everton
Chelsea x Sunderland
Newcastle x Fulham
Queens Park Rangers x Wigan

Segunda-feira, 8/abr
Manchester United x Manchester City

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo