Premier League

West Ham se engrandeceu para derrubar o gigante Liverpool em Londres

Com gol olímpico e usando bem as bolas paradas, o West Ham venceu o Liverpool com autoridade em casa e fez a sua torcida sorrir

O West Ham se engrandeceu neste domingo e conseguiu uma vitória enorme no London Stadium diante do gigante Liverpool: venceu por 3 a 2, com autoridade, e se colocou na briga pelas primeiras posições. Foi uma atuação de alto nível do time dirigido por David Moyes, com direito a gol olímpico de Pablo Fornals e participação decisiva de Jarrod Bowen.

VEJA TAMBÉM: Smith Rowe é a estrela mais uma para manter bom momento do Arsenal contra o Watford

O primeiro gol do West Ham veio logo no começo do jogo, aos quatro minutos. Uma cobrança de escanteio venenosa de Pablo Fornals, que pegou o goleiro Alisson atrapalhado por Angelo Ogbonna e Michail Antonio, e não conseguiu um desvio em cheio. Ele só raspou na bola, que morreu no fundo da rede: 1 a 0.

Foi um gol olímpico, mas a Premier League, rigorosa que é nesse tipo de lance, marcou como gol contra de Alisson. O goleiro brasileiro bobeou na bola, em um tipo de lance muito comum na Premier League, com pressão dos atacantes sobre o arqueiro. O lance chegou a ser avaliado pelo VAR por uma possível falta, mas nada foi marcado – corretamente, na visão deste que escreve.

No final do primeiro tempo, aos 41 minutos, o Liverpool conseguiu o gol de empate. Em uma jogada ensaiada, Salah rolou uma cobrança de falta para Trent Alexander-Arnold, que bateu bonito e marcou um golaço: 1 a 1 no placar.

Era de se imaginar que o Liverpool voltasse para o segundo tempo buscando a virada. Só que o West Ham conseguiu o segundo gol. Em um contra-ataque bem armado, Fonals tabelou com Bowen, recebeu em profundidade e saiu na cara de Alisson. Ele finalizou, o goleiro brasileiro até conseguiu tocar na bola, mas não evitou o gol: 2 a 1 para os Hammers. Eram 22 minutos e o time da casa tinha a vantagem.

Jürgen Klopp colocou Thiago Alcântara em campo no lugar de Alex Oxlade-Chamberlain. Deu mais criatividade ao time para buscar a vitória. Só que veio outro golpe. Cobrança de escanteio com curva de Bowen na segunda trave e mais uma vez a defesa do Liverpool não conseguiu dar conta do poderia aéreo do West Ham: Kurt Zouma, na segunda trave, cabeceou e mandou para a rede: 3 a 1 para os mandantes, com 29 minutos.

A coisa complicou demais para o Liverpool e Klopp resolveu mandar o time todo ao ataque. Colocou Divock Origi no lugar de Diogo Jota e logo depois sacou Fabinho para colocar Takumi Minamino. Como era de se esperar, o Liverpool pressionou muito.

Aos 38 minutos, Alexander-Arnold colocou a bola na área e Origi dominou bonito, ajeitando, a finalizando ao girar. Um belo gol do belga, que recolocou os Reds na partida, 3 a 2. O time pressionou, cruzou bolas na área, finalizou de onde deu, mas não teve jeito: a vitória ficou com a equipe da casa.

Uma imensa vitória para o West Ham, porque isso significa que o time supera o Liverpool na classificação, com 23 pontos contra 22. Os Reds ficam em quarto e os Hammers em terceiro. Quem comemorou muito o tropeço do Liverpool foi o Manchester City, único dos três primeiros colocados a vencer. O time também tem 23 pontos, três a menos que o Chelsea, líder, que empatou com o Burnley.

West Ham e Liverpool voltam a campo no dia 20 de novembro, depois da data Fifa. Os Hammers enfrentam o Wolverhampton, fora de casa, enquanto o Liverpool receberá o Arsenal em Anfield.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo